Análise Textual - Gêneros Textuais - Conceito
2 pág.

Análise Textual - Gêneros Textuais - Conceito


DisciplinaAnálise Textual9.472 materiais293.872 seguidores
Pré-visualização1 página
GÊNEROS TEXTUAIS
O que são gêneros textuais, como se constituem e por que é importante utilizá-los para o ensino de Língua Portuguesa? 
O que um aluno deve saber para interpretar e/ou compor um gênero? Quais conteúdos devem ser contemplados? 
Conceituação de gênero
Vamos estudar um pouco o conceito de gênero?
Gênero textual é um nome que se dá às diferentes formas de linguagem que circulam socialmente, sejam elas mais informais ou mais formais. Sempre que nos manifestamos linguisticamente o fazemos por meio de textos. E cada texto realiza sempre um gênero textual. Um romance, um artigo de opinião, um conto, uma receita de bolo, uma aula, uma palestra ou um debate na televisão são gêneros textuais. 
Os gêneros são instrumentos de comunicação, formas de dizer sócio-historicamente cristalizadas provenientes das necessidades produzidas em diferentes lugares sociais da comunicação humana, seja em linguagem verbal ou não verbal. 
Podem ser considerados exemplos de gêneros textuais: romances, artigos de opinião, contos, receitas de bolo, aulas, palestras, debates na televisão, anúncios, convites, atas, avisos, bulas, cartas, cartazes, crônicas, editoriais, ensaios, entrevistas, contratos, decretos, discursos políticos, histórias, instruções de uso, letras de música, leis, mensagens, notícias, entre outros. São textos que circulam no mundo, que têm uma função específica, para um público específico e com características próprias.
Os gêneros são, em última análise, o reflexo de estruturas sociais recorrentes e típicas de cada cultura. Por isso, em princípio, a variação cultural deve trazer consequências significativas para a variação de gêneros, mas esse é um aspecto que somente o estudo intercultural dos gêneros poderá decidir. (MARCUSCHI, 2005) 
O que determina o gênero?
Pode ser a forma, a função, o suporte ou o ambiente em que os textos aparecem.
Como já dissemos, os gêneros textuais englobam todos os textos (literários ou não) produzidos por usuários de uma língua. Assim, ao lado da crônica, do conto, identificamos também a carta pessoal, a conversa telefônica e tantos outros exemplares de gêneros que circulam em nossa sociedade. 
Eles surgem das necessidades e atividades socioculturais. Exemplo disso é o e-mail , que surgiu da grande influência das inovações tecnológicas.
Assim, conforme Marcuschi (2005), pela presença marcante nas atividades de comunicação, os grandes suportes tecnológicos da comunicação (rádio, televisão, jornal, Internet, revista) propiciam e abrigam gêneros novos bastante característicos. Tais gêneros surgem ancorados em outros gêneros. Pode ser por transmutação ou por assimilação de um por outro. Exemplos: telefonemas, telegramas, telemensagens, teleconferências, videoconferências, reportagens ao vivo, cartas eletrônicas (e-mails), bate-papos virtuais, aulas virtuais e assim por diante.
Suporte 
De acordo com Marcuschi (2003), suporte é um locus físico ou virtual com formato específico que serve de base ou ambiente de fixação do gênero materializado como texto. 
Os gêneros se acham sempre ancorados em alguma situação concreta, por isso é necessária a compreensão do contexto situacional para a plena compreensão textual. Os gêneros novos, ao surgirem, ancoram-se em outros já existentes, revelam um enraizamento em outro(s) gênero(s).
Ex.: as passagens da carta para o e-mail ou da aula presencial para a aula de educação a distância.
Joanes
Joanes fez um comentário
Material excelente, de fácil entendimento.
0 aprovações
Carregar mais