A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Propriocepção

Pré-visualização | Página 1 de 2

Propriocepção 
 
 
> A propriocepção é a capacidade do corpo de reconhecer sua posição espacial, interpretar informações e 
responder a estímulos de forma consciente ou inconsciente com postura e movimento adequados, fora que 
é um estímulo aferente. Ademais, o indivíduo pode entender onde sua mão, por exemplo, está localizada, 
sem que precise olhar para ela. 
> Ela irá garantir movimentos com exatidão, consistência e precisão. 
> OBS- Imobilização muda a propriocepção. 
> A depender do quadro do paciente pode haver a perda da sensibilidade e dos receptores. 
 
 
> Ação: 
• Corrigem o desempenho em uma atividade esportiva – o desempenho adequado requer boa agilidade, boa 
coordenação e bom equilíbrio. 
• Realizam papel neurossensorial vital nas habilidades motoras. 
• Fundamentais para a capacidade de execução de tarefas com destreza, domínio e proficiência. 
• Fazem manutenção da postura, na percepção consciente e inconsciente da posição das articulações e na 
produção do movimento. 
 
• Exemplos de propriocepção: Equilíbrio quando está em pé, escrever, saltar, correr e arremessar, mudar a 
intensidade de movimentos, mover-se do asfalto para uma superfície de cascalho e corrigir a 
ultrapassagem do alvo em um arremesso. 
 
 
> O controle neuromuscular é produzido por informações chamadas de inputs que entram em contato com 
receptores na pele, nas articulações, nos músculos e nos tendões. 
> Para que haja realização da movimentação é preciso que o indivíduo tenha resistência, força e flexibilidade, 
porém, é a propriocepção dá a agilidade para mudar a direção do movimento com rapidez e eficiência, o 
equilíbrio para manter sua estabilidade e a coordenação para realizar a atividade de forma correta e 
consistente. 
 
 
 
> 
 Para que a propriocepção ocorra, existem estruturas responsáveis pela condução da informação, essas 
são os proprioceptores.
 Eles são nervos aferentes que recebem e enviam até o sistema nervoso central (SNC) impulsos gerados a 
partir de estímulos na pele, nos músculos, nas articulações e nos tendões.
 Os impulsos podem transmitir:
- Informações referentes à tensão de um músculo; 
- Posição relativa de um segmento corporal para controlar a atividade muscular. 
 
 Os tipos de receptores são da informação são os Órgãos Tendinosos de Golgi e os Fusos Musculares. 
 Outros receptores aferentes também garantem a entrada (input) de informações no SNC e determinam a 
capacidade de desempenho do indivíduo. 
 
Propriocepção 
> 
 Os receptores aferentes na pele são de adaptação rápida, de adaptação lenta do tipo I e de adaptação 
lenta do tipo II. 
 
 Adaptação rápida – responsáveis pela sensação de vibração. Eles produzem uma explosão de impulsos 
que se desgasta velozmente, detectando mudanças repentinas de velocidade e de movimento (p. ex., 
aceleração e desaceleração). 
 Adaptação lenta dos tipos I e II - responsáveis por percepções sensoriais, como o estiramento da pele. 
Produzem um nível constante de manutenção da estimulação. Eles são responsáveis pelo fornecimento de 
informações sobre a posição de membros e de articulações e sobre pequenas alterações dessa posição. 
 
 Os fusos musculares e os órgãos tendinosos de Golgi (OTG) são os receptores aferentes primários de 
músculos e de tendões. 
 OTG – O órgão tendinoso de Golgi funciona como um mecanismo de proteção, respondem ao estiramento, 
mas não é tão sensível quanto o fuso muscular. Também respondem à contração e à tensão em um 
músculo. Está localizado nas junções proximal e distal do músculo e se originam nos fascículos do tendão. 
A proteção realizada pelo OTG é conhecida como inibição autógena. Sua atividade provoca a inibição 
simultânea do neurônio motor alfa de seu próprio músculo e a ativação internuncial (entre os neurônios 
aferentes e eferentes) do músculo antagonista, ou seja, inibe a contração muscular, o que proporciona um 
melhor relaxamento do músculo para melhorar a eficácia do alongamento. 
 
 NOTA 
 
 
 
 
 Fuso Muscular - Situam entre e estão paralelos às fibras musculares extrafusais e respondem somente ao 
estiramento do músculo e sua estimulação leva à contração muscular. Ambas as fibras nervosas aferentes 
no fuso muscular transmitem sinais para a medula espinal em relação a mudanças no comprimento do 
músculo e à velocidade e à duração de um estiramento. Uma resposta eferente enviada para as fibras 
musculares intrafusais e extrafusais faz o músculo reagir à estimulação. Fibras eferentes gama transmitem 
às fibras musculares intrafusais, e fibras eferentes alfa transmitem às fibras musculares extrafusais para 
produzir uma contração muscular. Uma vez que o músculo se contrai e se encurta, o estresse e a 
estimulação do fuso muscular cessam. O resultado é a estimulação simultânea de músculos sinergistas e a 
inibição dos músculos antagonistas. 
 
 Os receptores aferentes se encontram, principalmente, no interior do tecido conjuntivo de uma cápsula 
articular e dos ligamentos circundantes e influenciam a propriocepção. 
 Eles são divididos em grupos de tipos de fibra II, III e IV 
 Aferentes do grupo II - São axônios de grande diâmetro com alta velocidade de condução. Existem dois 
tipos de terminações nervosas nesse grupo, as terminações de Ruffini (adaptação lenta e responde a cargas 
sobre o tecido conjuntivo) e os corpúsculos de Pacini (adaptação rápida, são considerados sensíveis à 
Fibra muscular intrafusal: alfa, beta e gama, e saindo das fibras intrafusais estão as fibras aferentes, ou 
sensoriais, Ia, Ib e II. 
compressão, especialmente durante mudanças de alta velocidade, quando a articulação acelera ou 
desacelera), ambos localizados na cápsula articular. O de Golgi-Mazzoni também estão localizados nas 
cápsulas articulares. Eles são estimulados pela compressão articular, mas não pelo movimento da 
articulação, ou seja, atividades de suporte de peso. 
 
 Aferentes dos grupos III e IV – São axônios de pequeno diâmetro finamente mielinizados ou não 
mielinizados, com condução mais lenta dos estímulos. Não conduzem tão rapidamente quanto as de 
grande diâmetro porque não são mielinizadas e/ou porque sua dimensão oferece mais resistência à 
condução do que as fibras de maior diâmetro. Essas fibras são agrupadas porque são receptoras de dor e 
chamadas de terminações nervosas livres, por causa da aparência de suas terminações nervosas. São 
localizadas em estruturas articulares e no tecido mole. 
 
 
 Os ligamentos também contêm receptores. Embora tenham sido identificados receptores nos ligamentos 
do joelho e do ombro, os receptores ligamentares mais minuciosamente investigados são aqueles presentes 
no ligamento cruzado anterior do joelho. Estes, geralmente, não são ativos nas amplitudes médias de 
movimento, mas tornam-se estimulados quando o ligamento é tensionado, produzindo uma resposta 
inibitória dos músculos agonistas. 
→ Uma vez que as fibras aferentes enviem informações para o SNC, a resposta motora corporal é determinada 
pelo local no SNC que interpreta os estímulos e inicia a reação eferente. 
 
→ Os reflexos proprioceptivos são gerados, frequentemente, para proteger uma área por meio da imobilização 
muscular ou pelo movimento rápido de retirada e são controlados pela medula espinal. 
→ Um impulso é chamado de reflexo espinal se vai, de uma fibra aferente da raiz dorsal para um neurônio 
internuncial ou diretamente para um neurônio eferente na medula espinal e depois, imediatamente, da raiz 
ventral para o músculo. Essa é uma resposta simples. 
→ Os reflexos que não utilizam um neurônio internuncial produzem uma resposta mais rápida do que aqueles 
que o utilizam. Isso se deve ao tempo adicional necessário para se transmitir informações de um neurônio 
para outro. 
→ Quanto menos conexões, mais rápida a resposta reflexa. 
 
 
 
→ O tronco encefálico é o principal centro de correlação proprioceptiva, trabalhando a manutenção do 
equilíbrio.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.