A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Morfofuncional do Sistema Cardiovascular e Imunitário (Embriologia, Histologia, Anatomia)

Pré-visualização | Página 1 de 4

Universidade de Brasília 
Faculdade de Medicina 
 
 
Morfofuncional do Sistema Cardiovascular e Imunitário 
(Embriologia, Histologia, Anatomia) 
QUESTÕES DE ANATOMIA 
 
Questão 1. Paciente do sexo masculino, 36 anos de idade, evolui com cefaleia, vômitos, convulsões e 
oftalmoplegia dois dias após submeter-se a um procedimento de harmonização facial com injeção de ácido 
hialurônico no ângulo da mandíbula. A anamnese, exame físico e a ressonância nuclear magnética, 
permitiram diagnosticar uma embolia do seio cavernoso de origem iatrogênica. Considerando o caso 
descrito: (1,0) 
A. Descreva dois possíveis trajetos (citando os nomes dos vasos sanguíneos), que o ácido hialurônico 
percorreu, desde o local de injeção, até alcançar o seio cavernoso. (máximo 10 linhas) 
 
O ácido hialurônico poderá ter percorrido vários trajetos, dois dos possíveis trajetos são: a aplicação 
do ácido hialurônico na região do ângulo da mandíbula, na veia facial comum, a qual segue seu 
trajeto até a veia facial. Após isso, a veia oftálmica inferior, que fica na extremidade entre a veia 
fecaila e a veia angular, segue seu trajeto até o seio cavernoso; além disso, outro possível trajeto é 
a injeção do ácido hialurônico também na veia fácil comum, porém ele segue para a veia facial que 
posteriormente segue para a veia angular que por fim seguem para as veias palpebrais inferior e 
superior até a veia oftálmica superior. Logo após, o ácido hialurônico segue para o seio cavernoso. 
 
 
B. Qual caraterística dos vasos da face permite que o sangue e possíveis corpos estranhos se 
desloquem bidireccionalmente em relação ao coração? (máximo 10 linhas) 
 
A característica dos vasos que permitem que eles se desloquem bidireccionalmente em relação ao 
coração é o fato dos vasos sanguíneos da face não possuírem válvulas que impedem o refluxo, fato 
denominado de avalvulares. 
 
Questão 2. Quanto à vascularização do membro superior: (1,0) 
A. Cite dois vasos onde é possível aferir a pulsação e os pontos de referência anatômicos para a 
localização dos mesmos. (máximo 10 linhas) 
 
Os pulsos periféricos podem ser aferidos em seis locais do membro superior, dois deles são: pulso 
ulnar na parte distal do braço – artéria ulnar, imediatamente abaixo da margem lateral do tendão do 
músculo flexor ulnar do carpo; e o pulso radial na tabaqueira anatômica – artéria radial quando cruza 
a região lateral do punho, entre o tendão do músculo extensor longo do polegar e os tendões dos 
músculos extensor curto do polegar e abdutor longo do polegar, 
 
B. Cite dois vasos superficiais onde é possível realizar punção para administração medicamentosa e 
descreva a localização dos mesmos, utilizando pontos de referência anatômicos. (máximo 10 linhas) 
 
Um possível vaso de punção para administração medicamentosa é a veia intermédia do cotovelo 
que se localiza no assoalho da fossa cubital do cotovelo, encontra-se anteriormente à aponeurose 
do músculo bíceps braquial e logo após cruza o assoalho, conectando assim a veia basílica que 
está medial à veia cefálica que está lateral. Conjuntamente a isso, a veia cefálica, originada na 
tabaqueira anatômica na base do polegar, é uma possibilidade para a punção medicamentosa. Ela 
passa lateralmente ao redor da extremidade distal do antebraço, alcançando superfície anterolateral 
do braço, ascendendo proximalmente e cruzando o cotovelo, seguindo além do braço, por onde 
 
Universidade de Brasília 
Faculdade de Medicina 
 
 
passa pelo trígono clavipeitoral, uma depressão regular próxima a clavícula, entre os músculos 
peitoral maior e deltóide. 
 
Questão 3. Ao sair da sua festa de casamento, um noivo se desequilibrou, caiu e teve um corte na veia 
femoral provocado por fragmentos de uma taça que ele havia colocado no bolso. O homem foi encaminhado 
ao hospital, mas não resistiu à hemorragia e veio a óbito no caminho. Segundo relato de convidados da 
festa, o sangramento foi intenso, com sangue “esguichando” pelo ferimento (adaptado de um fato verídico 
ocorrido em 2012). Considerando o acidente descrito, responda: (1,0) 
A. O texto afirma que o vaso atingido foi a veia femoral. Considerando outros dados do texto, você 
concorda com essa afirmação? Justifique. (máximo 10 linhas) 
 
Ao ler o relato descrito no texto, nota-se que o termo “sangue “esguichando” pelo ferimento é 
característica de hemorragia arterial, não de hemorregia venular como citado no texto. Esse fato 
acontece porque a oressão emu ma artéria é muito maior que a pressão do sangue me uma veia. 
Desse modo, o acidente ocorrido com o homem deve ter sido na artéria femoral que é um vaso de 
grande calibre que recebe fluxo sanguíneo a uma pressão alta. Também, a artéria femoral é 
responsável pelo suprimento sanguíneo da região inferior do corpo. Portanto, tais fatos justificam a 
intensidade do esguicho do sangue na região. 
 
B. Em que região do corpo o vaso foi atingido? Cite o nome e descreva como as estruturas vasculares 
estão dispostas nessa região. (máximo 10 linhas) 
 
A região do corpo que o vaso foi atingido é o trígono femoral, que é a zona de transição entre o 
abdômen e a coxa, onde se localiza a artéria femoral. Delimitado superiormente pelo ligamento 
inguinal, medialmente pelo músculo adutor longo (parte medial) e lateralmente pelo músculo sartório 
(parte medial). O trígono femoral possui em seu conteúdo o nervo femoral e seus ramos, al´me da 
bainha femoral, a qual abrange a artéria femoral e seus ramos e a veia femoral e suas tributárias 
proximais: veias safena magna e femoral profunda. Esses ramos da artéria femoral são a artéria 
epigástrica superficial, arteria circunflexa ilíaca superficial, arteria pudenda externa superficial e 
pudenda externa profunda. 
 
C. Descreva como o vaso atingido é formado (nome do(s) vaso(s)) desde a aorta e quais os seus 
principais ramos na coxa e na perna. (máximo 10 linhas) 
 
A formação da artéria femoral inicia-se na artéria aorta abdominal, que origina a artéria ilíaca comum, 
que forma a artéria ilíaca externa que se continua na artéria femoral. A artéria femoral profunda é 
o maior ramo da artéria femoral e a principal artéria da coxa. As artérias circunflexas 
femorais circundam a parte superior do corpo do fêmur e se anastomosam entre si e com outras 
artérias, que suprem os músculos da coxa e a extremidade superior (proximal) do fêmur. A artéria 
circunflexa femoral medial emite ramos responsáveis pela maior parte da vascularização para a 
cabeça e o colo do femur. A artéria obturatória emite ramos que ajudam a artéria femoral profunda 
a suprir os músculos adutores. As artérias perfurantes suprem a parte posterior da coxa. A artéria 
poplítea é a continuação da artéria femoral e é a irrigação principal da perna. 
 
 
Questão 4. Sobre a Anatomia do Coração, leia atentamente a situação problema e responda os itens a 
seguir: “Uma mulher hispânica de 35 anos chega ao consultório cansada e queixando-se de dispneia, fadiga 
 
Universidade de Brasília 
Faculdade de Medicina 
 
 
recente e dificuldade para dormir, que atribui a estresse relacionado ao trabalho. No exame, a frequência 
cardíaca é de 120 batimentos/min e o ritmo não tem um padrão discernível (é irregular). A ausculta do 
coração indica sopro sistólico (durante a ejeção de sangue do ventrículo esquerdo) que tem característica 
estridente. O diagnóstico mais provável é de fibrilação atrial em decorrência de intumescência do átrio 
esquerdo, que foi confirmado com a realização dos devidos exames” 
A. Considerando o diagnóstico de fibrilação atrial, descreva sobre a localização e organização dos 
componentes do complexo estimulante do coração, cuja função foi afetada no caso descrito. (0,5) 
 
O nó atrioventricular localiza-se peto da fixação da válvula septal da valva atrioventricular direita, 
próximo ao óstio do seio coronariano e dentro do septo atrioventricular. A continuação direta do nó 
atrioventricular,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.