A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Afecções das Glândulas Adrenais

Pré-visualização | Página 1 de 1

Hiperadrenocorticismo (HAC) 
 
• Síndrome de Cushing 
• Síndrome de hipercortisolismo 
persistente 
• Doença mais comum em cães 
• Principais apresentações: 
- Dependente de hipófise ou ACTH 
dependente (85%) - espontâneo 
- Dependente de adrenocortical ou ACTH 
independente (15%) - espontãneo 
- Iatrogênico – excesso de corticoides 
 
 
 
Grupo de risco 
- Cães de meia idade a idosos, média 10 
anos 
- Poodle, Dachshund, Maltês, Schnauzer, 
Yorkshire, Pastor alemão, Beagle, Labrador. 
- Dependente de hipófise: 75% cães < 20 kg 
- Dependente de adrenal: 50% cães > 20 kg 
Triagem do paciente 
• Leucograma de estresse - leucocitose por 
neutrofilia, eosinopenia, linfopenia e 
monocitose 
• Trombocitose 
• ↑ ↑ ↑ FA 
• ↑ ALT 
• Hipercolesterolemia, hipertrigliceridemia, 
hiperglicemia 
• Densidade urinária reduzida e proteinúria 
• Ureia e creatinina normais ou reduzidas - 
atenção em cães idosos 
• Ecografia abdominal total 
- Aspecto/tamanho das adrenais 
- Auxilia diferenciação de HPD e HAD 
- Presença de alterações hepáticas 
- Presença de metástases em fígado, baço 
e rins 
• Tomografia e ressonância magnética 
- Avaliar alterações hipofisárias 
- Avaliar infiltração vascular de neoplasias 
adrenais 
 
Testes endócrinos 
• Nenhum teste utilizado é considerado 
100% sensível ou específico 
• A dosagem isolada de cortisol basal não 
traz nenhum valor diagnóstico 
• Radioimunoensaio (RIE) é o padrão ouro 
para determinação do cortisol 
- Não sofre interferência de hemólise, 
icterícia e de lipemia na amostra 
Teste de supressão com baixa dose de 
dexametasona (TSBDD) 
• Sensibilidade >85% 
• Dexametasona não interfere no 
imunoensaio utilizado para mensurar 
cortisol 
• Auxilia na diferenciação de HPD e HAD 
 
• Cão normal: inibe a secreção hipofisária 
de ACTH, provocando um declínio 
prolongado na concentração de cortisol 
(até 48h) 
• HAC hipófise dep.: discreto feedback 
negativo. Suprime a concentração de 
cortisol (até 4h), porém cortisol aumenta 
após 4h. 
• HAC adrenocortical dep.: concentração 
de cortisol não é suprimida nem após 4h e 
nem após 8h (atividade de ACTH já é 
suprimida, assim, dexametasona não tem 
efeito) 
Tratamento 
• Controlar o hipercortisolismo 
• Cirúrgico: adrenalectomia - opção 
principalmente nos casos ACTH 
independentes 
• Opções de tratamento medicamentoso 
- Trilostano e mitotano 
• Média de sobrevida após o início do 
tratamento é de cerca de 30 meses 
Adrenalectomia 
• Abordagem na linha média ventral 
• Padrão-ouro de tratamento para tumores 
adrenais 
• Pacientes usualmente obesos, 
hemodinamicamente prejudicados, com 
dificuldades de cicatrização e idosos, 
mortalidade no transoperatório pode 
chegar a 30% 
• Tratamento clínico inicial para controle 
dos sinais clínicos 
• Suplementação de glicocorticoides no 
trans e pós-operatório 
• Córtex contralateral atrófico 
• Após a retirada do tumor adrenal - 
hipoadrenocorticismo imediato 
• Suplementação de glicocorticoides vai 
sendo reduzida até suspender 
Mitotano 
• Adrenocorticolítico seletivo 
• Casos ACTH independentes 
• Administrar somente após o animal ter se 
alimentado 
• Indução: 50 mg/kg/dia - monitorar 
redução do apetite (sutil!) 
• Manutenção: 50 mg/kg/semana - pode 
ser fracionado em 2 a 3 porções ao longo 
da semana 
 
 
Trilostano 
• Bloqueador enzimático - inibe a 
biossíntese de cortisol no córtex adrenal 
• Maior segurança terapêutica 
• Casos ACTH dependentes 
• Dosagem inicial: 0,5 a 1mg/kg BID 
Monitoramento do tratamento 
• Primeiro retorno após 15 dias 
• Intervalos crescentes (sempre que não 
houver mudança no protocolo): 30, 60, 90 
e 180 dias até 2x/ano 
• Ajustes de dose de cerca de 20% 
Hipoadrenocorticismo (Doença de 
Addison) 
• Falha das adrenais em produzir 
glicocorticoides (cortisol) e/ou 
mineralocorticoides (aldosterona) 
• Crise addisoniana aguda: desidratação, 
choque hipovolêmico, bradicardia 
• Importante diagnóstico diferencial para: 
insuficiência renal aguda, gastroenterite 
aguda 
• Avaliar relação Na:K < 27:1 
• Avaliação ECG 
• Fluidoterapia intensa corrigirá 
hipovolemia, hiponatremia e a 
hipocloremia

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.