A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Eritrograma

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 ANÁLISES CLÍNICAS | ALICE COSTA 
Eritrograma 
ERITROIPOIESE 
 
As hemácias passam por diversas 
etapas durante a produção, no início ela é 
redonda e com núcleo, mas, conforme o 
processo de maturação vai acontecendo, fica 
menor e perde organelas. Além disso, nesse 
processo vai acontecendo o desenvolvimento 
da hemoglobina, ficando mais eosinofilica. 
A célula anterior à hemácia, que fica à 
esquerda na linha de produção, é o 
RETICULÓCITO, uma célula maior e com 
algumas organelas no seu citoplasma, ela é 
liberada na circulação e depois de um tempo 
com ação de uma enzima é transformada na 
hemácia madura. Porém, em algumas 
situações patológicas os reticulócitos são 
liberados de uma forma exacerbada. Em 
algumas espécies, como os EQUINOS, não 
liberam os reticulócitos na circulação. 
Para que ocorra a eritropoiese, é 
necessário um ambiente medular com células 
precursoras, hormônios, substratos e fatores 
estimulantes. 
 
AS HEMÁCIAS ou ERITRÓCITOS 
 
As hemácias possuem a função de carrear 
oxigênio para os tecidos. 
▪ FISIOLOGIA 
O baço é um órgão que tem como função 
retirar células velhas da circulação, mas 
também ele acaba armazenando hemácias de 
forma que quando necessário ele pode liberá-
las na circulação. 
Em condições que o organismo necessita de 
mais oxigênio, como uma situação de 
exercício, ocorre uma descarga adrenérgica e 
isso promove a contração esplênica e 
liberação de mais hemácias. 
Já em situações de estresse agudo onde o 
animal também libera adrenalina acontece a 
mesma coisa o que pode acarretar em 
alterações no hemograma como a maior 
eritrocitose. 
 
 
Quando as hemácias envelhecem, 
ocorre o processo de HEMÓLISE, onde são 
destruídas com rompimento da membrana e 
extravasamento do seu conteúdo de 
hemoglobina. Existem dois tipos de hemólise 
intravascular e a extravascular. Depois de 
formada as hemácias circulam no sangue por 
tempo determinado, variando entre as 
espécies. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O ERITROGRAMA 
 
É uma parte do hemograma que 
analisa a série vermelha, ou seja, as hemácias 
também chamadas de eritrócitos ou glóbulos 
vermelhos. 
 
Valores normais 
Espécie 
 Caprino e Ovinos – hemácias menores, 
maior quantidade 
Idade 
 Recém-nascidos – eritrócitos maiores 
 Idosos – eritrócitos menores 
Raça 
 Akita – eritrócitos menores que poodle 
Atividade e comportamento 
 Animais lépidos: Equinos e caninos mais 
hemoglobina que bovinos 
 Gestação – hemodiluição 
 
 
 
2 ANÁLISES CLÍNICAS | ALICE COSTA 
Avaliação do Eritrócito 
▪ Hematimetria 
▪ Hemoglobinometria 
▪ Volume Globular / Hematócrito 
▪ Índices Hematimétricos 
✓ Volume Globular Médio 
✓ Hemoglobina Globular Média 
✓ Concentração da Hemoglobina 
Globular Média 
TÉCNICAS LABORATORIAIS 
HEMATIMETRIA 
Hm = 106 µL 
 Método do Hemocitômetro 
 Método Eletrônico da Contagem 
 
HEMOGLOBINOMETRIA 
Hb= g/dL 
 Método do Cianometahemoglobina 
 
VOLUME GLOBULAR/HEMATÓCRITO 
VG/Ht= % 
 Método Microhematócrito 
 
ÍNDICES HEMATIMÉTRICOS 
 Volume Globular Médio 
 Volume Corpuscular Médio 
VGM ou VCM = VG ou Htx 10 / Nº de Hm → fl 
✓ Tamanho da hemácia 
✓ Microcitose, normocitose, macrocitose 
 
 
 Concentração da Hemoglobina Globular 
Média 
 Concentração da Hemoglobina 
Corpuscular Média 
CHGM ou CHCM = Hb x 100 % / Ht ou VG → % 
✓ Cor da hemácia 
✓ Hipocromia, normocromia 
✓ Obs.: não existe hipercromia 
 
 
 
VARIAÇÕES DOS ERITRÓCITOS 
TAMANHO: ANISOCITOSE 
1. MICROCITOSE 
 Presente nas anemias ferroprivas 
 Cronicidade 
 Relação com animal idoso 
2. MACROCITOSE 
 Presente nas anemias regenerativas 
 Relação com animal jovem 
Obs.: Discreta anisocitose é considerada normal 
no cão. 
FORMA: POIQUILOCITOSE 
1. ERITRÓCITOS COM ALVO (TARGET 
CELLS) 
 Condensação central e 
periférica da hemoglobina 
 Anemias crônicas 
 Deficiência de ferro 
 Doenças hepáticas crônicas 
 Doenças esplênicas crônicas 
 
2. ROULEAUX ERITROCITÁRIO 
 Empilhamento ou grumos de 
hemácias (cadeias) 
 Inflamação (↑proteína – 
globulina, fibrinogênio) 
 Normal no equino 
 
3. EQUINÓCITO 
 Espiculadas, com várias 
projeções regulares 
 Amostras velhas ou com 
excesso de EDTA 
 
4. ACANTÓCITOS 
 Contorno irregular com 
forma estrelar 
 Doenças renais, esplênicas, 
hemangiossarcomas e 
cirrose hepática 
 
5. ESFERÓCITOS 
 Pequenos e intensamente 
corados 
 Anemia hemolítica 
autoimune – cão 
 Incompatibilidade na 
transfusão 
 
6. DACRIÓCITOS 
 Forma de lágrima ou gota – 
pouco frequente 
 Enfermidades renais, 
esplênicas e anemias 
 
3 ANÁLISES CLÍNICAS | ALICE COSTA 
7. ESQUISÓCITOS 
 Fragmentos eritrocitários – 
defeito na produção ou destruição 
acelerada 
 Doenças crônicas renais, 
esplênicas ou anemias ferroprivas 
 
8. METARRUBRÍCITO 
 Eritrócito imaturo e nucleado 
 Anemias regenerativas, hipóxia 
 
COR 
1. POLICROMASIA 
Reticulócitos = Eritrócitos Policromatófilos 
RETICULOCITOSE X POLICROMATOFILIA 
 Colorações diferentes de uma mesma 
célula 
 Indicadores de resposta regenerativa 
dos eritrócitos 
 Anemias ferroprivas 
2. HIPOCROMIA 
 Microcitose hipocromia – anemias 
ferroprivas 
INCLUSÕES ERITROCITÁRIAS 
1. CORPÚSCULOS DE HOWELL-JOLLY 
Resquícios nucleares 
encontradas em eritrócitos 
jovens (seta), observadas em 
gatos e cavalos sadios 1%. 
2. CORPÚSCULOS DE 
HEINZ 
Formações de hemoglobina oxidada na periferia 
✓ Drogas oxidantes 
(fenotiazina em cavalos, 
paracetamol em gatos), 
doenças graves 
intestinais em gatos 
causada por agentes autotóxicos. 
PARASITAS ERITROCITÁRIOS 
 Mycoplasma haemofelis 
 Anaplasma 
 Babesia 
 
 
 
 
ALTERAÇÕES QUANTITATIVAS DOS 
ERITRÓCITOS 
POLICITEMIA / POLIGLOBULIA 
▪ Contagem do nº de hemácias, 
hematócrito ou hemoglobina ACIMA do 
valor referencial 
▪ Hemoconcentração 
Sinais clínicos 
→ Congestão de vasos da esclerótica 
→ Hiperemia de mucosas / Cianose 
→ Aumento da viscosidade sanguínea 
→ Dificuldade respiratória 
→ Letargia/sonolência 
 
1. POLICITEMIA RELATIVA 
 Aumento na concentração 
 Desidratação 
 ↑ Volume globular + Proteína 
Plasmática 
2. POLICITEMIA ABSOLUTA 
 Aumento na produção de células 
 ↑Volume globular 
 Proteína plasmática normal 
 
2.1 POLICITEMIA ABSOLUTA PRIMÁRIA OU 
VERA 
 Caráter neoplásico em humanos – 
pouco diagnosticada nos animais 
 Excessiva produção das células 
precursoras de eritrócitos → 
acompanhada de leucócitos e plaquetas 
 
2.2 POLICITEMIA ABSOLUTA SECUNDÁRIA 
 Resultante de fatores que estimulam a 
produção de eritropoetina (tumores e 
cistos renais, hipóxia) 
 Não há envolvimento de leucócitos e 
plaquetas. 
 
ANEMIA 
▪ Contagem de eritrócitos, dosagem de 
hemoglobina ou determinação do 
hematócrito ABAIXO do referencial. 
Sinais clínicos 
→ Diminuição da volemia: palidez das 
mucosas e descoloração dos 
órgãos e tecidos 
→ Hipóxia: intolerância aos exercícios 
físicos e dispneia. 
→ Mecanismo de compensação do 
organismo: taquipnéia e taquicardia 
e aceleração do pulso 
 
4 ANÁLISES CLÍNICAS | ALICE COSTA 
CLASSIFICAÇÃO DA ANEMIA PATOFISIOLÓGICA 
(ETIOLOGIA/CAUSA) 
 Anemia Hemorrágica 
 Anemia Hemolítica 
 Anemia por diminuição na produção de 
eritrócitos 
 
1. ANEMIA HEMORRÁGICA 
 
1.1 ANEMIA HEMORRÁGICA AGUDA 
 Cirurgias, traumas e deficiências 
de coagulação 
 
1.2 ANEMIA HEMORRÁGICA CRÔNICA 
 Lesões gastrointestinais 
(úlceras e parasitismos) 
 Neoplasias com sangramento 
cavitário (hemangiossarcoma 
cão) 
 Trombocitopenias 
 Ectoparasitas 
 
2. ANEMIA HEMOLÍTICA 
 Parasitos sanguíneos 
 Infeccioso 
 Drogas e químicos (fenotiazinas, 
acetominofen, cobre, chumbo, 
zinco) 
 Acidentes ofídicos 
 Destruição imunomediada do 
eritrócito (anemia hemolítica 
imunomediada, reação 
transfusional) 
 
3. ANEMIA POR DIMINUIÇÃO NA 
PRODUÇÃO DE ERITRÓCITOS 
 Doença renal crônica 
 Deficiência protéica 
 Minerais: deficiências em

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.