A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
62 pág.
Endócrino - Resumo

Pré-visualização | Página 1 de 14

O que é um hormônio? 
É uma molécula mediadora liberada em alguma parte do corpo que regula a 
atividade celular em outras partes do corpo, sendo levado através do interstício ou até 
mesmo pelo sangue. Normalmente, é liberado em um local distante da célula alvo, pode 
afetar até mesmo todas as células do corpo, e tem uma duração mais lenta entre dias ou 
meses. 
 
 
Como os hormônios funcionam? 
Basicamente, os hormônios atuam se conectando a receptores específicos, em cada 
célula alva em que aquele hormônio atua, sendo assim, pode estar na membrana, no 
núcleo, em organelas, dependendo do objetivo do hormônio. 
 
 
Em relação ao caminho do hormônio, como ele é dividido? 
 
 
De acordo com a composição química, como os hormônios são classificados? 
 
Sistema endócrino 
Sistema endócrino= glândulas endócrinas + células secretoras + hormônios 
● Infrarregulação- se a concentração de um hormônio estiver muito elevada, o 
número de receptores na células alvo pode diminuir, tornando a célula alvo menos 
sensível ao hormônio. 
● Suprarregulação- quando a concentração de um hormônio é muito baixa, o 
número de receptores pode aumentar,tornando a célula mais sensível a um 
hormônio. 
● Hormônio circulante- passam das células secretoras que os produzem para o 
líquido intersticial e depois disso para o sangue. 
● Hormônio local- atuam em células vizinhas ou nas mesmas células que os 
secretam sem, primeiro, entrar na corrente sanguínea. 
- Parácrinos - locais que atuam nas células vizinhas 
- Autócrinos - atuam na mesma célula que secreta 
Lipofílico- tem afinidade lipídica - Hormônios esteróides- derivados do 
colesterol 
- Hormônios da tireoide- sintetizado a 
partir do iodo, com anéis de benzeno 
- Óxido nítrico- também é 
neurotransmissor 
Hidrofílico- tem afinidade com a água - Hormônios aminados- sintetizados da 
descarboxilação ou modificação de 
 
 
 
A hipófise, também chamada de glândula pituitária, é constituída por um lobo 
anterior e um lobo posterior, que diferem em sua origem embriológica, modo de 
desenvolvimento e estrutura. O lobo anterio r, também conhecido como adeno-hipófise , 
esta uma estrutura altamente vascularizada , constituída por células epiteliais. As células 
hipofisárias que revestem os capilares produzem os hormônios tróficos, e aqueles que 
induzem a produção de outros hormônios. As células da adeno-hipófise são denominadas 
de acordo com o hormônio que produzem . 
 
 
 
A produção de hormônios tróficos pela hipófise é regulada diretamente pelos 
neuro-hormônios hipotalâmicos liberados nas terminações neuronais na eminência 
mediana . Os neuropeptídeos hipotalâmicos são transportados pelas longas veias porta 
hipofisárias até a adeno-hipófise , onde se ligam a receptores específicos de superfície 
celular acoplados à proteína G , ativando cascatas intracelulares de segundos 
mensageiros que levam à liberação dos hormônios hipofisários pelas respectivas 
células-alvo. 
A liberação dos hormônios adeno-hipofisários é de natureza cíclica , sendo esse 
padrão cíclico de liberação hormonal governado pelo sistema nervoso. Os ritmos são, em 
sua maioria, impulsionados por um relógio biológico interno localizado no núcleo 
supraquiasmático do hipotálamo . Tanto o sono quanto os efeitos circadianos interagem 
para produzir o padrão rítmico global de liberação dos hormônios hipofisários e as 
respostas associadas. Alguns dos ritmos hormonais de 24 horas dependem do relógio 
circadiano (i.e., ACTH, cortisol e melatonina), enquanto outros estão relacionados com o 
sono (i.e., Prl, GH e TSH). 
 
Hipotálamo→ hormônios liberadores e inibidores 
 
Sistema porta hipofisário 
determinados aminoácidos. 
- Hormônios peptídicos e protéicos- são 
polímeros de aminoácidos. 
- Hormônios eicosanóides- derivado do 
ácido araquidônico. 
Eixo hipotálamo hipófise 
 
Basicamente os hormônios liberadores e/ou inibidores liberados pelo hipotálamo 
chega a adeno hipófise por meio do sistema porta, que nada mais é que um conjunto de 
vasos que tem uma função de transporte. Ramos das carótidas internas, surgem as artérias 
hipofisárias superiores que levam o sangue para o hipotálamo, na união entre a eminência 
mediana e o infundíbulo, essas artérias se dividem em uma rede capilar que chamamos de 
plexo primário desse sistema porta, neste ocorre a drenagem para as veias porta 
hipofisárias, e na adenohipófise se dividem novamente em plexo secundário. 
Isso faz com que fique tudo pronto para que os neurônios especializados chamados 
de células neurossecretoras acima do quiasma óptico, os hormônios são então produzidos 
e liberados no plexo primário, que rapidamente seguem para o plexo secundário, onde se 
encontra com as células adeno diafisárias e se ligam a receptores específicos de 
superfície celular acoplados à proteína G , ativando cascatas intracelulares de segundos 
mensageiros que levam à liberação dos hormônios hipofisários pelas respectivas 
células-alvo. Induzindo a produção e liberação dos hormônios que se tornaram circulantes e 
seguiram para os seus tecidos alvo. 
 
Na adeno hipófise a secreção é regulada de duas maneiras 
- Feedback negativo na forma de hormônios liberados pelas glândulas-alvo diminui a 
secreção de 3 tipos de células da adeno-hipófise. 
- Hipotálamo secretam cinco hormônios liberadores, que estimulam a secreção 
de hormônios da adeno hipófise, e dois hormônios inibidores, que suprimem a 
secreção de hormônios da adeno hipófise 
 
Já a neuro hipófise, não produz hormônios, mas armazena e libera dois, a ocitocina 
e o ADH (Hormônio antidiurético). É composta por axônios e terminais axônicos de mais 
de 10.000 células hipotalâmicas neurossecretoras. Os corpos celulares das células 
neurossecretoras se encontram nos núcleos paraventricular e supraóptico do 
hipotálamo; seus axônios formam o trato hipotálamohipofisial. 
Os terminais axônicos na neuro hipófise são associados à neuróglia 
especializada chamada de pituitócitos . O sangue chega à neuro hipófise pelas artérias 
hipofisárias inferiores, ramos da artéria carótida interna. Na neurohipófise, as artérias 
hipofisárias inferiores drenam para o plexo capilar do infundíbulo, uma rede capilar 
que recebe a ocitocina e o hormônio

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.