HDB - Anotação (3)
38 pág.

HDB - Anotação (3)


DisciplinaHistória do Direito Brasileiro10.363 materiais253.105 seguidores
Pré-visualização16 páginas
constitutivo, este não tenha sido registrado. 
 
Começa a existência legal das pessoas jurídicas de direito privado com a inscrição do ato constitutivo 
no respectivo registro, precedida, quando necessário, de autorização ou aprovação do Poder Executivo, 
averbando-se no registro todas as alterações por que passar o ato constitutivo. 
Espécies 
a) Espécies de pessoas jurídicas de direito público: 
a.1) Interno: União, Estados, Distrito Federal, Territórios, Municípios, autarquias, Associações 
Públicas e as demais entidades de caráter público criadas por lei. As pessoas mencionadas estão em 
consonância com o princípio federativo, capitaneado no art. 1º da CF. Para efeitos administrativos, divide-se 
a administração estatal em Administração Direta e Indireta. A primeira constitui-se dos serviços integrados 
na própria estrutura administrativa do ente de direito público interno. Ex: Ministérios, secretarias, 
repartições e gabinetes. Já a segunda, compreende as seguintes entidades: Autarquias, Empresa públicas, 
Sociedades de Economia Mista, Fundações Públicas. 
a.2) Externo: os Estados estrangeiros e todas as pessoas que forem regidas pelo direito internacional 
público. 
Direito Civil 
Prof. Cristiano Sobral 
 
 
Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035.0105 14 
 
b) Espécies de pessoa jurídicas de direito privado: as associações, as sociedades, as fundações, as 
organizações religiosas (incluído pela Lei n. 10.825, de 22.12.2003) e os partidos políticos (incluído pela Lei 
n. 10.825, de 22.12.2003). Posicionando-se nas Jornadas de Direito Civil a doutrina afirma que o rol do art. 
44 do Código Civil, que trata das pessoas jurídicas narradas, não é exaustivo 
 
 
\uf0b7 Associações 
As associações são entidades de direito privado, formadas pela união de indivíduos, com o propósito de 
realizarem fins não econômicos. Podem até obter lucro, desde que esse seja revertido para a própria 
associação. 
A principal distinção entre as associações e as sociedades consiste no fato de não existir naquelas a 
affectio societatis (parágrafo único do art. 53 do Código Civil), em razão de não haver nenhuma relação 
recíproca entre os associados. As sociedades possuem como ponto central o desempenho de atividades 
econômicas em proveito dos sócios.28 
O ato constitutivo de uma associação é um estatuto, que deve ser registrado no Cartório de Registro 
Civil de Pessoa Jurídica. 
O Estatuto das associações deverá conter: 
a) a denominação, os fins e a sede da associação; 
b) os requisitos para a admissão, demissão e exclusão dos associados; 
c) os direitos e deveres dos associados; 
d) as fontes de recursos para sua manutenção; 
e) o modo de constituição e funcionamento dos órgãos deliberativos e administrativos; 
f) o modo de constituição e de funcionamento dos órgãos deliberativos; 
g) as condições para a alteração das disposições estatutárias e para a dissolução. 
h) a forma de gestão administrativa e de aprovação das respectivas contas. 
O exposto acima é de ordem pública e em caso de ausência de um dos seus elementos o ato constitutivo 
da associação irá se tornar nulo. 
Importante mencionar que o sindicato e as centrais sindicais têm natureza de associação. 
Os associados devem ter iguais direitos, mas o estatuto poderá instituir categorias com vantagens 
especiais. É lícita cláusula que proíba determinada qualidade de associado de realizarem uma atividade. A 
qualidade de associado é intransmissível, se o estatuto não dispuser o contrário. 
A qualidade de associado, em regra, é personalíssima. Não confundir a regra com a exceção. Por 
exemplo, fulano associado a determinado clube de futebol. Se fulano morrer, essa qualidade não se 
transmite. A regra é essa. Excepcionalmente, a qualidade de associado se transforma em título patrimonial, 
que se transfere aos herdeiros, o que tem de estar previsto expressamente no título associativo. 
A exclusão do associado só é admissível havendo justa causa, assim reconhecida em procedimento que 
assegure direito de defesa e de recurso, nos termos previstos no estatuto. 
O fato descrito trata do devido processo legal, aplicado às situações que não são necessariamente 
vinculadas ao processo civil. Permite-se até o recurso. Só é admissível a exclusão do associado se houver 
justa causa, a qual deve estar definida no estatuto e nada mais é do que a manifestação do princípio da 
 
28 OLIVEIRA, James Eduardo. Código Civil comentado e anotado. 1. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2009. p. 46. 
 
Direito Civil 
Prof. Cristiano Sobral 
 
 
Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035.0105 15 
 
eticidade.29 
É o estatuto que define a forma de convocação dos órgãos deliberativos, sendo garantido a um quinto 
dos associados o direito de promovê-la.30 
Dissolvida a associação, o remanescente do seu patrimônio líquido, depois de deduzidas, se for o caso, 
as quotas ou frações ideais referidas no parágrafo único do art. 56, será destinado à entidade de fins não 
econômicos designada no estatuto, ou, omisso este, por deliberação dos associados, à instituição municipal, 
estadual ou federal, de fins idênticos ou semelhantes. Por cláusula do estatuto ou, no seu silêncio, por 
deliberação dos associados, podem esses, antes da destinação do remanescente referida neste artigo, receber 
em restituição, atualizado o respectivo valor, as contribuições que tiverem prestado ao patrimônio da 
associação. Não existindo no Município, no Estado, no Distrito Federal ou no Território, em que a 
associação tiver sede, instituição nas condições indicadas neste artigo, o que remanescer do seu patrimônio 
se devolverá à Fazenda do Estado, do Distrito Federal ou da União (art. 61, §§ 1º e 2º). 
Caso uma associação chegue ao fim, o seu patrimônio líquido poderá ser destinado a outras entidades 
de fins não econômicos, designadas no estatuto, ou sendo omisso o estatuto os bens podem ser arrecadados 
pela Fazenda Pública. 
\uf0b7 Sociedades 
As sociedades estão disciplinadas no capítulo do direito da empresa, a doutrina especializada em direito 
empresarial criticou duramente o novo Código Civil por regulamentar o direto empresarial. 
As sociedades têm por principal característica a finalidade de lucro, e este será repartido entre os sócios. 
Busca-se a affectio societatis. 
São constituídas por contrato social e compostas por sócios. Podem ser simples ou empresariais. As 
simples ( arts. 997 a 1038 CC) são aquelas que exercem atividade econômica sem, contudo, submeter- se à 
definição de empresariais. Podem essas sociedades revestir-se de outras formas constitutivas, à exceção da 
sociedade por ações. Uma sociedade de dentistas pode adotar o modelo da sociedade limitada, ou seja, ela 
será simples quanto ao objeto, porém, sua forma será de limitada. Lembre-se de que para que isso ocorra o 
objeto da sociedade não pode ser empresarial. Já conforme o nome diz as sociedades empresariais (arts. 966 
a 982 CC) são aquelas cujo objeto se traduz em uma atividade empresarial. 
\uf0b7 Fundações 
As fundações não são grupos humanos personificados, resultam da personificação (afetação) de um 
patrimônio, por testamento ou escritura pública, que faz o seu instituidor, com o objetivo de realizar 
finalidade ideal. Para criar uma fundação, o seu instituidor fará, por escritura pública ou testamento, dotação 
especial de bens livres, especificando o fim a que se destina, e declarando, se quiser, a maneira de 
administrá-la. A fundação somente poderá se constituir para fins religiosos, morais, culturais ou de 
assistência.31 
 
29 \u201cArt. 58. Nenhum associado poderá ser impedido de exercer direito ou função que lhe tenha sido legitimamente conferido, a não ser nos 
casos e pela forma previstos na lei ou no estatuto.\u201d 
 
30 \u201cArt. 59. Compete privativamente à assembleia geral: 
 I \u2013 destituir