Apostila UNIJUÍ - Planejamento organizacional
126 pág.

Apostila UNIJUÍ - Planejamento organizacional


DisciplinaAdministração Estratégica11.656 materiais79.715 seguidores
Pré-visualização29 páginas
ção das estratégias, com a busca dos objetivos e metas e com a execução dos planos de capacitação
e dos planos de ação aprovados.
A adoção da gestão estratégica na organização requer mudanças de comportamento
dos executivos e das gerências. Isto exige desenvolver um \u201cpesado\u201d trabalho de qualificação
dos detentores desses cargos.
SÍNTESE DA UNIDADE 6
Na Unidade 6 foram apresentadas informações sobre as caracte-
rísticas, a estrutura e a metodologia de elaboração do planejamen-
to estratégico organizacional. Foram estudados, também, os con-
ceitos e o processo de construção dos referenciais do planejamen-
to estratégico, no contexto da administração estratégica. No final,
foram disponibilizadas informações relacionadas com o processo
de elaboração dos planos táticos e dos planos operacionais, tendo
como base a metodologia do Balanced Scorecard \u2013 BSC \u2013 e a
metodologia clássica da elaboração dos referidos planos.
EaD
85
PLANEJAMENTO ORGANIZAC IONAL
Unidade 7Unidade 7Unidade 7Unidade 7
PLANEJAMENTO DE PROGRAMAS INTERINSTITUCIONAIS
OS OBJETIVOS DESTA UNIDADE
\u2013 Apresentar informações sobre as diversas formas de atuação conjunta de duas ou mais
organizações.
\u2013 Disponibilizar orientações estratégicas sobre o processo de elaboração e execução do pla-
nejamento em programas ou empreendimentos interinstitucionais.
AS SEÇÕES DESTA UNIDADE
Seção 7.1 \u2013 Programas Interinstitucionais, Parcerias e Alianças
Seção 7.2 \u2013 Redes Interorganizacionais
Seção 7.3 \u2013 Diretrizes Voltadas para o Planejamento Interorganizacional
Seção 7.1
Programas Interinstitucionais, Parcerias e Alianças
Nesta Unidade serão apresentadas informações sobre como fazer o planejamento de
programas ou de empreendimentos interinstitucionais propostos por várias organizações ou
de programas/projetos elaborados e executados em conjunto por várias entidades.
Abordaremos a ideia de organizações criadas por organizações.
Exemplos de organizações constituídas de organizações: redes, fóruns, consórcios,
condomínios, central de compras, cluster, arranjos produtivos locais (APLs), holding,
agroindústria associativa/familiar, entre outras.
A organização resultante da integração pode ser informal ou formal. Em qualquer dos
casos devem estar presentes mecanismos que facilitem a coordenação, a negociação e o
encaminhamento conjunto das atividades de interesse mútuo.
EaD Adelar Francisco Baggio \u2013 Amauri Luis Lampert
86
O momento é de realização de parcerias e alianças. A parceria existe desde o início da
humanidade, contudo nunca foi tão utilizada quanto na atualidade.
As parcerias ocorrem quando duas ou mais organizações trabalham juntas em busca
de objetivos de interesse comum. As parcerias são definidas por acordos entre organizações
e são viabilizadas por meio de estratégias que visam a operacionalizar o planejamento feito
pelas organizações envolvidas.
Nos últimos anos ganhou força a estratégia de parcerias público-privadas (PPPs). Tra-
ta-se de ações conjuntas entre governo e iniciativa privada. Deve-se ter muito cuidado quando
da elaboração do planejamento desses empreendimentos, pois as condições e o estilo de
funcionamento das organizações públicas são bem diferentes das organizações privadas. As
organizações púbicas agem por orçamento rígido ou licitações e a velocidade das decisões é
bem menor do que aquela das organizações privadas e, muitas vezes, ocorrem interferências
políticas em questões técnicas.
Muitos autores tratam as alianças e as parcerias como sinônimos.
Aliança estratégica é a expressão empregada, normalmente, como referência às alian-
ças comerciais e de negócios, compreendendo diferentes maneiras de acordos formais de
cooperação ou colaboração entre empresas, ou entre empresas e organizações com diferen-
tes finalidades.
Hamel et al. (apud Galerani; Bastiani, 2002, p. 70) informam que a aliança é \u201cassocia-
ção, de curta ou longa duração, entre duas ou mais companhias que tenham interesses
comuns. Em uma aliança, as empresas cooperam em função de uma necessidade mútua e
compartilham habilidades e riscos para atingir um fim comum\u201d.
Estes autores (apud Galerani; Bastiani, 2002, p. 46) distinguem vários tipos de alian-
ças, as quais são apresentadas a seguir:
a) aliança horizontal: trata-se de uma associação que se estabelece com outras companhias
para acesso às competências complementares. Essas competências costumam estar vinculadas
às informações, à pesquisa e ao desenvolvimento, e são importantes para aproveitar algumas
oportunidades específicas de negócios
b) aliança transacional: trata-se de um acordo de alcance limitado e com um objetivo comum
(por exemplo, nas áreas de compras ou de marketing de duas ou mais empresa, ou nas campa-
nhas de publicidade cooperativa);
c) aliança vertical: trata-se de associação que se estabelece dentro de uma mesma cadeia de
valor, com sócios que apresentam maior economia de escala em certos processos (por exemplo,
um dos sócios pode ter um processo melhor ou mais eficiente para fabricação, distribuição ou
vendas de um produto);
EaD
87
PLANEJAMENTO ORGANIZAC IONAL
d) coalizão competitiva: trata-se de uma aliança temporária, sem obrigações legais entre uma
ou mais empresas, que se realiza para alcançar objetivos ou padrões específicos;
e) co-especialização: é outra das finalidades das alianças. Aplica-se à criação de valores
resultantes da combinação de recursos, capacidades ou conhecimentos de diferentes em-
presas;
f) cooptação: é uma das finalidades das alianças, voltada para desenvolver novos empreendi-
mentos. Uma empresa se alia a possíveis concorrentes, que se convertem em fornecedores de
bens e serviços complementares. Trata-se de uma maneira de neutralizar, de modo eficaz,
potenciais rivais;
g) joint ventures: trata-se de uma associação de empresas por tempo indeterminado (geralmente
entre duas empresas), firmada com a finalidade de explorar um ou mais negócios ou novos
mercados. As empresas continuam funcionando de maneira independente, a não ser nos assun-
tos em que decidiram unir esforços;
h) organização virtual: trata-se de uma aliança temporária entre indivíduos e/ou organizações
que formam parte de uma rede e, juntos, possuem as habilidades necessárias para produzir e
oferecer rapidamente um produto ou serviço específico que o mercado exige.
Oliveira (2006, p.10) aponta alguns resultados das alianças estratégicas:
\u2013 estruturação e otimização no processo de controle e avaliação, incluindo ajustes mútuos siste-
máticos;
\u2013 divisão e compartilhamento dos riscos inerentes ao negócio considerado;
\u2013 fortalecimento do produto ou serviço com adicionamento de valor por várias formas, tais como
melhoria de desempenho do produto ou serviço, redução de custos, criação de novas utilidades
no produto, maior competitividade ao produto e imagem ampliada do produto;
\u2013 melhor acesso ao mercado e consolidação de vantagens competitivas;
\u2013 fortalecimento das operações produtivas por intermédio de melhores processos, otimização
das instalações, desenvolvimento de padrões operacionais;
\u2013 aumento da capacitação tecnológica, alavancando a base tecnológica e a criatividade em
pesquisa e desenvolvimento;
\u2013 intensificação e consolidação do processo estratégico, superando as barreiras às entradas
nos vários segmentos de mercado, bem como identificação e exploração de novas oportuni-
dades;
\u2013 aprendizado conjunto e evolução organizacional com a concentração de esforços;
\u2013 desenvolvimento da capacitação financeira mediante a geração de lucros adicionais e redução
dos custos administrativos e da exposição dos investimentos; e
\u2013 desenvolvimento e consolidação de sinergias mais bem estruturadas e amplas que proporcio-
nem resultados interessantes para as organizações