Apostila UNIJUÍ - Planejamento organizacional
126 pág.

Apostila UNIJUÍ - Planejamento organizacional


DisciplinaAdministração Estratégica11.721 materiais80.220 seguidores
Pré-visualização29 páginas
ças, inovações e transformações rápidas e situações ambíguas, além de problemas cada vez
mais diferentes e complexos.
Para Maximiano (2000, p. 26), a administração é um processo de tomar decisões e
realizar ações que compreende quatro processos principais interligados: planejamento, or-
ganização, direção e controle.
2.2.1 \u2013 PLANEJAMENTO
Planejamento é o processo de definir objetivos, atividades e recursos. Planejar, segun-
do Moraes (2001, p. 13), significa pensar antecipadamente em objetivos, ações e atos, com
base em algum método, plano ou lógica (não palpites). O planejamento produz planos, em
que se determinam estratégias, diretrizes, táticas ou procedimentos, de forma racional, a fim
de que os objetivos sejam alcançados.
EaD Adelar Francisco Baggio \u2013 Amauri Luis Lampert
24
Moraes (p. 14) observa ainda que planos são linhas mestras pelas quais:
\u2022 a organização obtém e aplica recursos materiais, humanos e outros necessários ao alcan-
ce dos objetivos;
\u2022 os membros da organização realizam atividades relacionadas com os objetivos;
\u2022 o processo administrativo é monitorado e medido, de modo que sejam tomadas medidas
corretivas, caso a ação não seja satisfatória.
2.2.2 \u2013 ORGANIZAÇÃO
Organização no entendimento de Maximiano (2000, p. 27), é o processo de definir o
trabalho a ser realizado e as responsabilidades pela sua efetivação; é também o processo de
distribuir os recursos disponíveis segundo algum critério.
Organizar, para Moraes (2001, p. 14), significa alocar (distribuir) o trabalho (tarefa/
atividades), a autoridade (estabelecendo relações hierárquicas e coordenativas) e os recur-
sos na organização, criando a estrutura organizacional, composta pelo conjunto de unida-
des organizacionais e relações funcionais.
2.2.3 \u2013 DIREÇÃO
Direção ou execução, nas palavras de Maximiano (2000, p. 27), é o processo de reali-
zar atividades e utilizar recursos para atingir os objetivos. A execução envolve outros pro-
cessos, especialmente o de direção, para acionar os recursos que realizam as atividades e os
objetivos.
Para Moraes (2001, p. 14), dirigir significa dizer às pessoas o que fazer e conseguir que
elas o façam da melhor forma possível; para isso o administrador precisa comunicar, liderar
e motivar.
2.2.4 \u2013 CONTROLE
Na concepção de Maximiano (2000, p. 27), controle é o processo de assegurar a reali-
zação dos objetivos e de identificar a necessidade de modificá-los.
Controlar, para Moraes (2001, p. 14), significa verificar se os atos realizados estão de
acordo com os planos, ou seja, se os atos, individuais ou coletivos, levam realmente a ação
organizacional em direção aos objetivos estabelecidos.
EaD
25
PLANEJAMENTO ORGANIZAC IONAL
Ainda de acordo com Moraes (p. 14), os principais elementos do controle são:
\u2022 estabelecer padrões de desempenho (baseado nos planos);
\u2022 medir o desempenho atual;
\u2022 comparar os dois (padrões e desempenho);
\u2022 executar ações corretivas, caso sejam detectados desvios.
Moraes (p. 14) reforça ainda que planejar e organizar representam aspectos mais abs-
tratos do processo administrativo, enquanto dirigir e controlar caracterizam aspectos mais
concretos, determinando o trabalho efetivo com as pessoas.
Na prática o desempenho dessas funções, complexamente interligadas de forma
interativa, constituirá o processo administrativo, sendo impossível separá-las.
SÍNTESE DA UNIDADE 2
O conteúdo abordado nesta unidade diz respeito ao ciclo adminis-
trativo e às funções administrativas: planejamento, organização,
direção e controle.
EaD
27
PLANEJAMENTO ORGANIZAC IONAL
Unidade 3Unidade 3Unidade 3Unidade 3
PLANEJAMENTO INTUITIVO E PLANEJAMENTO FORMAL
OBJETIVO DESTA UNIDADE
\u2013 Apresentar informações sobre planejamento informal, planejamento formal e os estilos de
planejamento correspondentes aos diversos níveis hierárquicos das organizações.
SEÇÕES DESTA UNIDADE
Seção 3.1 \u2013 Características, Uso e Conceituação de Planejamento Informal
Seção 3.2 \u2013 Natureza, Tipos e Características do Planejamento Formal
Seção 3.1
Características, Uso e Conceituação de Planejamento Informal
O planejamento informal é aquele que a maioria faz: está na cabeça do gerente, do
proprietário ou dos sócios, não se encontra escrito e se baseia em algumas referências, tais
como: nos anos ou meses passados, ou em informações de órgão de classe, ou em pessoas
nas quais o gerente confia, ou na compra de equipamentos caros, ou, ainda, em informa-
ções da mídia.
O planejamento informal ou intuitivo,
[...] geralmente é obra de uma só pessoa; pode ou não resultar num conjunto de planos por escrito
\u2013 mas, muitas vezes, não resulta; geralmente tem um horizonte temporal relativamente curto,
baseia-se na experiência passada, no \u201cpalpite\u201d, no julgamento e na reflexão de um administra-
dor (Steiner; Miner, 1981, p. 100).
EaD Adelar Francisco Baggio \u2013 Amauri Luis Lampert
28
Seção 3.2
Natureza, Tipos e Características do Planejamento Formal
O planejamento pode ser definido, segundo Moraes (2001, p. 60), como \u201co processo
consciente e sistemático de tomar decisões sobre objetivos e atividades que uma pessoa, um
grupo, uma unidade de trabalho ou uma organização buscarão no futuro\u201d.
O planejamento formal não constitui uma resposta informal ou casual a uma crise.
Ele tem um propósito, sendo realizado por administradores, que frequentemente recorrem
ao conhecimento e à experiência dos empregados para elaborá-lo.
O processo de planejamento formal, na concepção de Maximiano (2000, p. 175), é a
ferramenta que as pessoas e organizações usam para administrar suas relações com o futuro.
É a aplicação específica do processo decisório. As decisões que procuram, de alguma forma,
influenciar o futuro, ou que serão postas em prática no futuro, são decisões de planejamento.
O planejamento formal busca:
Estabelecer com antecedência as ações a serem executadas e definir as correspondentes atribui-
ções de responsabilidade em relação a um período futuro determinado, para que sejam alcança-
dos satisfatoriamente os objetivos porventura fixados para uma empresa e suas unidades
(Sanvicente; Santos, 1983, p. 16).
Entende-se ainda que o planejamento formal é um \u201cConjunto de processos, compos-
tos por técnicas e métodos de análise, escolha de objetivos e previsão de futuro em uma
dada organização com avaliações periódicas\u201d (Castor; Suga, 1988).
E mais:
Os vários conceitos de planejamento identificam-no como instrumento de apoio ao processo
decisório das organizações, orientando de forma racional as escolhas necessárias. Ele busca dar
coerência às ações que objetivem proteger a organização das flutuações desfavoráveis, colocan-
do-a em situação vantajosa ou segura (Lopes, 1994).
Considerando o planejamento formal como uma das funções integrantes do processo
administrativo, de acordo com Moraes (2001, p. 60), pode-se estabelecer a relação entre o
processo administrativo e os diferentes níveis organizacionais:
No nível institucional ou estratégico
O planejamento envolve a determinação de objetivos e recebe a denominação de pla-
nejamento estratégico, procurando absorver as incertezas proporcionadas pelo ambiente.
EaD
29
PLANEJAMENTO ORGANIZAC IONAL
No nível intermediário
O planejamento tático trata da alocação de recursos, traduzindo e interpretando as
decisões estratégicas, transformando-as em planos concretos em âmbito departamental.
No nível operacional
O planejamento operacional desdobra os planos táticos, de cada departamento, em
planos operacionais, de cada tarefa.
Na visão de Moraes (2001, p. 72) o planejamento estratégico consiste no estabeleci-
mento de planos gerais que moldam o destino da organização. É realizado no âmbito
institucional, apresenta um horizonte