ManPraticaAtend
118 pág.

ManPraticaAtend


DisciplinaFisiologia Humana I16.349 materiais660.938 seguidores
Pré-visualização38 páginas
(supl 3): S238- 252, 2000.
MONITORAÇÃO DO CRESCIMENTO
Deve ser feita desde a vida intra-uterina até o término da adolescência.
Durante os dois primeiros anos de vida são detectadas as alterações relacionadas com várias
patologias. É importante a verificação do peso (P), da estatura(E) ou altura (A) e do perímetro
cefálico(PC).
No 1º ano de vida as consultas devem ser feitas aos:
15 dias de vida
01 mês
02 meses
04 meses
06 meses
09 meses
12 meses
No 2º ano de vida aos:
15 meses
18 meses
21 meses
24 meses
A partir daí é importante que se verifique o peso e a estatura ou a altura semestral-
mente até os 5 anos e anualmente entre 6 e 18 anos para a detecção dos desvios mais
importantes relacionados ao crescimento como a desnutrição,a obesidade, a baixa estatura
e o gigantismo.
Promoção de Saúde e Prevenção
13Manual Prático de Atendimento em Consultório e Ambulatório de Pediatria
É imprescindível que nos dois primeiros anos de vida as medidas do perímetro
cefálico(PC) sejam colocadas em um gráfico que deve ser comparado com o gráfico de
peso por altura(P/A). Sempre que há um traçado positivo (traçado em ascensão) do PC,deve
haver também um traçado em ascensão no gráfico de P/A. Traçado positivo do PC com traçado
negativo do P/A em mais de 2 consultas, pode indicar uma macrocefalia. Traçado negativo
(traçado descendente) do PC com traçado positivo de P/A pode indicar uma microcefalia.
Todos esses casos merecem rigorosa observação mensal por parte do pediatra, com um bom
exame clínico,solicitação de sorologias para detecção de infecções congênitas como a
rubéola,toxoplasmose, lues e citomegalovirus dentre outras. Faz-se necessário um estudo na
área de imagens como ecografia transfontanelar, tomografia computadorizada e ou ressonân-
cia magnética a depender da indicação.
AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL
A avaliação do estado nutricional deve ser um procedimento feito de rotina pelo pediatra em
todas as idas da criança a uma unidade de atendimento não importando se de emergência ou
uma consulta ambulatorial ou de consultório.
A avaliação nutricional pode ser: clínica
antropométrica e
laboratorial ou bioqúimica.
Clínica \u2013 observa-se freqüentemente:
Estado geral - (irritabilidade, apatia, posição fetal, emagrecimento etc);
Cor da pele e mucosas;
Fácies - boca (queilite, queilose, perleche ou boqueira etc);
cabelos \u2013 rarefeitos, quebradiços;
cílios \u2013 longos e curvos;
Tórax \u2013 rosário costal;
Abdome \u2013 globoso, escavado, circulação colateral etc.
Antropométrica \u2013 usualmente se mede o peso, a estatura e o perímetro cefálico.
Após a verificação destas medidas colocá-las nos gráficos existentes na Caderneta Brasileira
da Saúde da Criança e do Adolescente da SBP ou na Caderneta da Criança do Ministério da Saúde.
Mostrar e explicar o gráfico ao acompanhante da criança.
Laboratorial ou bioquímica \u2013 Os exames mais solicitados são:
Hemoglobina;
Hematócrito;
sumário de urina com sedimentoscopia;
uréia;
creatinina;
glicemia e
perfil lipídico.
Algumas dosagens vitamínicas são importantes como a da Vit. A.
PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO
Desenvolvimento é a capacidade do corpo de adquirir funções ou seja é a capacidade que a
criança apresenta de realizar tarefas.
Promoção de Saúde e Prevenção
14 Manual Prático de Atendimento em Consultório e Ambulatório de Pediatria
Desenvolvimento e crescimento são processos integrados e devem ser avaliados em todas as
consultas.
O desenvolvimento se faz no sentido céfalo-caudal (da cabeça para os membros inferiores,
isto é, de cima para baixo) e próximo-distal (da parte central do corpo para as extremidades,
portanto, de dentro para fora).
Levando-se em consideração alguns marcos da maturidade neurológica e marcos do desen-
volvimento podemos ter no 1º ano de vida 4 períodos importantes:
a) Fase cervical- 0 a 3 meses- ao final desta fase a criança sustenta a cabeça. Nesse período
a criança gosta de ver os rostos da mãe e do pai e gosta que conversem com ela. Já
começa a levar as mãos a boca e acompanha objetos com o olhar. Ela já se movimenta
bastante.
b) Fase troncular- 4 a 6 meses- ao final desta fase a criança já deve iniciar a tarefa de
sentar. Ela já rola na cama e quando colocada de bruços levanta e sustenta a cabeça
apoiando-se nos antebraços. Já brinca com os pés e os leva à boca. Alcança e pega
objetos pequenos,emite sons,vira a cabeça na direção de uma voz ou de um objeto
sonoro.
c) Fase de reptação- 7 a 9 meses- ao final dessa fase a criança deve sentar-se sem apoio e
já deve iniciar a tarefa de arrastar-se ou engatinhar. Nessa idade a criança \u201cestranha\u201d
as pessoas desconhecidas, já começa a ficar de pé ou até mesmo a andar.
d) Fase de deambulação- 10 a 12 meses- normalmente ao final dessa fase a criança já
caminha com apoio ou sozinha. Ela gosta de imitar os pais, faz gestos com a cabeça, dá
adeus e bate palmas. Já faz o movimento de pinça com os dedos polegar e indicador e
já atende pelo seu nome.
No 2º ano de vida \u2013
Anda sozinha e raramente cai;
come sozinha;
identifica a sua imagem no espelho;
fala várias palavras e consegue articular frases curtas e
pode ser iniciada a retirada das fraldas e o uso do penico e do vaso sanitário.
Nos 3º e 4º anos de vida-
Prefere brincar isolada mesmo na companhia de outras crianças;
sabe dizer seu próprio nome e até mesmo o seu endereço;
demonstra suas alegrias, tristezas e raivas;
gosta de ouvir histórias e também já as conta;
ajuda a vestir-se, a calçar chinelos e sapatos e
imita os adultos.
A partir do 5º ano até o início da adolescência entre 11 e 12 anos-
A criança passa a gostar da companhia de outras crianças e começa a ficar muito inde-
pendente;
tem interesse em aprender sobre tudo o que a cerca;
escolhe seus amigos;
aprende canções;
fala bem o que quer e o que sente;
forma seu grupo de estudos e gosta de mostrar o que aprendeu.
E o adolescente?
Se pudéssemos definí-lo poderíamos dizer que é o portador de uma síndrome que se caracte-
riza por:
Promoção de Saúde e Prevenção
15Manual Prático de Atendimento em Consultório e Ambulatório de Pediatria
a) hiperfagia- comem em exagero (os pais que o digam);
b) hipoacusia- só escutam músicas usando todo o volume do aparelho de som (haja paciên-
cia dos vizinhos);
c) mania de agrupamento- nunca estão sozinhos, sempre andam em grupos;
d) sensação de imortalidade- adoram esportes radicais e quase sempre utilizam os veículos
em alta velocidade;
e) boa saúde física- quase nunca adoecem;
f) mania de perseguição- constantemente falam se referindo aos irmãos e outros familiares:
\u201cmãe, você viu que ele sempre tá me olhando\u201d ou então, \u201cbicho, pare de fazer o que eu
faço e de ir onde eu vou\u201d ou ainda, \u201cpai, você só briga comigo e nunca briga com ele.\u201d
g) gostam de ser diferentes: são adolescentes !!!
5 - Consulta de puericultura.
A primeira ida da criança ao pediatra. Assuntos que devem ser tratados.
Inicie a consulta congratulando-se com a família pelo nascimento da criança e perguntando
sobre as dúvidas que a mãe, o pai e os outros familiares possam ter. Escute todas as dúvidas, se
necessário anote-as e responda-as pacientemente.
\u2013 aleitamento materno, (reforço, fissuras, ingurgitamento, etc.)
\u2013 importância das vacinas no primeiro ano de vida;
\u2013 importância do cartão de crescimento e desenvolvimento;
\u2013 troca de fraldas;
\u2013 assaduras;
\u2013 uso de sabão e amaciantes nas roupinhas;
\u2013 problemas de pele;
\u2013 obstrução nasal;
\u2013 obstrução do conduto lacrimal;
\u2013 cólicas do rn;
\u2013 queda do côto umbilical;
\u2013 agasalhos do bebê (quando usar e como)
\u2013 uso de cobertores de lã;
\u2013 sono do bebê (troca do dia pela noite)
\u2013 outros.......
pergunte se ainda resta alguma dúvida e encerre a discussão convidando as mães a aguarda-
rem para serem chamadas aos consultórios.
ABORDAGEM DOS PROBLEMAS MAIS COMUNS
AO RECÉM-NASCIDO
Aleitamento materno; reforçar o aleitamento materno,