CADERNO 1 A SOCIOLOGIA DE DURKHEIM

CADERNO 1 A SOCIOLOGIA DE DURKHEIM


DisciplinaSociologia da Educação4.112 materiais50.056 seguidores
Pré-visualização2 páginas
NAS SOCIEDADES EM QUE HAVIA A ACEITAÇÃO PROFUNDA DE UMA FÉ RELIGIOSA QUE PROMETESSE A FELICIDADE APÓS A MORTE.
É SOBRE FATOS ASSIM CONCRETOS E OBJETIVOS, GERAIS E COLETIVOS, CUJA NATUREZA SOCIAL SE EVIDENCIA, QUE O SOCIÓLOGO DEVE SE DEBRUÇAR. 
*
*
SOCIEDADE: UM ORGANISMO EM ADAPTAÇÃO
PARA DURKHEIM, A SOCIOLOGIA TINHA POR FINALIDADE:
NÃO SÓ EXPLICAR A SOCIEDADE,
COMO TAMBÉM ENCONTRAR SOLUÇÕES PARA A VIDA SOCIAL.
A SOCIEDADE, COMO TODO ORGANISMO, APRESENTA ESTADOS QUE PODEM SER CONSIDERADOS ESTADOS:
"NORMAIS" OU "PATOLÓGICOS",
SAUDÁVEIS OU DOENTIOS. 
A "GENERALIDADE" DE UM FATO SOCIAL REPRESENTAVA, PARA DURKHEIM, O CONSENSO SOCIAL E A VONTADE COLETIVA.
*
*
DURKHEIM CONSIDERA UM FATO SOCIAL COMO "NORMAL" QUANDO SE ENCONTRA:
GENERALIZADO PELA SOCIEDADE,
OU QUANDO DESEMPENHA ALGUMA FUNÇÃO IMPORTANTE PARA SUA ADAPTAÇÃO,
OU SUA EVOLUÇÃO.
EXEMPLO:
AFIRMA QUE O CRIME É NORMAL NÃO APENAS POR SER ENCONTRADO EM TODA E QUALQUER SOCIEDADE E EM TODOS OS TEMPOS,
MAS TAMBÉM POR REPRESENTAR UM FATO SOCIAL QUE INTEGRA AS PESSOAS EM TORNO DE DETERMINADOS VALORES. 
PUNINDO O CRIMINOSO, OS MEMBROS DE UMA COLETIVIDADE REFORÇAM SEUS PRINCÍPIOS, RENOVANDO-OS. 
O CRIME TEM, PORTANTO, UMA IMPORTANTE FUNÇÃO SOCIAL.
AQUILO QUE PÕE EM RISCO A HARMONIA E O CONSENSO REPRESENTA UM ESTADO MÓRBIDO DA SOCIEDADE.
*
*
O OBJETIVO MÁXIMO DA VIDA SOCIAL É:
PROMOVER A HARMONIA DA SOCIEDADE CONSIGO MESMA E COM AS DEMAIS SOCIEDADES,
ESSA HARMONIA É CONSEGUIDA POR MEIO DO CONSENSO SOCIAL,
A "SAÚDE" DO ORGANISMO SOCIAL SE CONFUNDE COM A GENERALIDADE DOS ACONTECIMENTOS.
QUANDO UM FATO PÕE EM RISCO:
A HARMONIA,
O ACORDO,
O CONSENSO,
A ADAPTAÇÃO,
A EVOLUÇÃO DA SOCIEDADE,
ESTAMOS DIANTE DE UM ACONTECIMENTO DE CARÁTER MÓRBIDO E DE UMA SOCIEDADE DOENTE. 
*
*
"NORMAL" É AQUELE FATO QUE NÃO EXTRAPOLA OS LIMITES DOS ACONTECIMENTOS MAIS GERAIS DE UMA DETERMINADA SOCIEDADE E QUE REFLETE:
OS VALORES,
AS CONDUTAS 
ACEITAS PELA MAIOR PARTE DA POPULAÇÃO. 
"PATOLÓGICO" É AQUELE QUE SE ENCONTRA FORA DOS LIMITES PERMITIDOS PELA ORDEM SOCIAL E PELA MORAL VIGENTE. 
OS FATOS PATOLÓGICOS, COMO AS DOENÇAS, SÃO CONSIDERADOS TRANSITÓRIOS E EXCEPCIONAIS.  
*
*
A CONSCIÊNCIA COLETIVA
*
*
DURKHEIM DEMONSTRA QUE OS FATOS SOCIAIS TÊM EXISTÊNCIA PRÓPRIA E INDEPENDEM DAQUILO QUE PENSA E FAZ CADA INDIVÍDUO EM PARTICULAR.
EMBORA TODOS POSSUAM SUA "CONSCIÊNCIA INDIVIDUAL", SEU MODO PRÓPRIO DE SE:
COMPORTAR,
INTERPRETAR A VIDA 
PODEM-SE NOTAR, NO INTERIOR DE QUALQUER GRUPO OU SOCIEDADE, FORMAS PADRONIZADAS DE CONDUTA E PENSAMENTO.
ESSA CONSTATAÇÃO ESTÁ NA BASE DO QUE DURKHEIM CHAMOU DE "CONSCIÊNCIA COLETIVA".
TRATA-SE DO "CONJUNTO DAS CRENÇAS E DOS SENTIMENTOS COMUNS À MÉDIA DOS MEMBROS DE UMA MESMA SOCIEDADE" QUE "FORMA UM SISTEMA DETERMINADO COM VIDA PRÓPRIA" 
*
*
A CONSCIÊNCIA COLETIVA É, EM CERTO SENTIDO, A FORMA MORAL VIGENTE NA SOCIEDADE.
ELA APARECE COMO UM CONJUNTO DE REGRAS FORTES E ESTABELECIDAS QUE ATRIBUEM VALOR E DELIMITAM OS ATOS INDIVIDUAIS. 
É A CONSCIÊNCIA COLETIVA QUE DEFINE O QUE, NUMA SOCIEDADE, É CONSIDERADO:
 "IMORAL", 
"REPROVÁVEL\u201c 
"CRIMINOSO".
A CONSCIÊNCIA COLETIVA NÃO SE BASEIA NA CONSCIÊNCIA DE INDIVÍDUOS SINGULARES OU DE GRUPOS ESPECÍFICOS, MAS ESTÁ ESPALHADA POR TODA A SOCIEDADE. 
*
*
MORFOLOGIA SOCIAL: AS ESPÉCIES SOCIAIS 
*
*
PARA DURKHEIM, A SOCIOLOGIA DEVERIA TER AINDA POR OBJETIVO COMPARAR AS DIVERSAS SOCIEDADES. 
CONSTITUIU ASSIM O CAMPO DA MORFOLOGIA SOCIAL, OU SEJA, A CLASSIFICAÇÃO DAS ESPÉCIES SOCIAIS, NUMA NÍTIDA REFERÊNCIA ÀS ESPÉCIES ESTUDADAS EM BIOLOGIA. 
ESSA REFERÊNCIA, UTILIZADA TAMBÉM EM OUTROS ESTUDOS TEÓRICOS, TEM SIDO CONSIDERADA ERRÔNEA UMA VEZ QUE TODO COMPORTAMENTO HUMANO, POR MAIS DIFERENTE QUE SE APRESENTE, RESULTA DA EXPRESSÃO DE CARACTERÍSTICAS UNIVERSAIS DE UMA MESMA ESPÉCIE.