1.Psoriase sf

1.Psoriase sf


DisciplinaClínica Médico-cirúrgica I68 materiais1.083 seguidores
Pré-visualização1 página
*
*
*
Erupções
 Eritêmato-Escamosas
Andre Costa Beber
2010
Universidade Federal de Santa Maria
Curso de Medicina 
*
*
*
Dermatoses
 Eritêmato-Escamosas
Psoríase
Dermatite seborréica
Pitiríase rósea de Gibert
Parapsoríase
Eritrodermia esfoliativa
Pitiríase rubra pilar
*
*
*
Psoríase
Dermatose inflamatória e proliferativa, cujas lesões características são placas eritêmato-escamosas bem delimitadas, crônicas, que atingem preferencialmente as superfícies extensoras e o couro cabeludo.
*
*
*
Epidemiologia
± 2% população
Menor incidência em orientais, africanos e nativos americanos
Picos aos 16 \u2013 22 e 57 \u2013 60 anos
H1:1M
*
*
*
Etiopatogenia
Causa desconhecida
30% familiar
65 \u2013 70% gêmeos monozigóticos
15 \u2013 20 % gêmeos dizigóticos
Multifatorial
*
*
*
Etiopatogenia
HLA Cw6
PSORS I, localizado no gene 6p21
Doença auto-imune mediada por células T
*
*
*
Etiopatogenia
Tipo I
< 40 anos
Incidência familiar
Forte associação antígenos de histocompatibilidade
Tipo II
> 40 anos
Menor prevalência familiar
Menor correlação com antígenos de histocompatibilidade
*
*
*
Fatores desencadeantes
Trauma
Koebner
Infecção
AIDS
Estreptococo
Drogas
Lítio, beta bloqueadores, antimaláricos e AINES
Retirada de corticóides sistêmicos
*
*
*
Fatores desencadeantes
Fatores hormonais
Fatores psicológicos
Álcool
*
*
*
Formas Clínicas
Psoríase em placas ou vulgar
Psoríase invertida
Psoríase ungueal
Psoríase em gotas
Psoríase eritrodérmica
Psoríase pustulosa
Psoríase artropática
Psoríase palmoplantar
*
*
*
Psoríase em placas
90% dos casos
Cotovelos, joelhos, couro cabeludo e região sacra
Prurido eventual
*
*
*
Psoríase em gotas
Crianças, adolescentes e adultos jovens
0,5 \u2013 1,5 cm
Precedida por infecção estreptocócica, geralmente das vias aéreas superiores
Geralmente resolução espontânea em 2 \u2013 3 meses
Ocasionalmente evolui para psoríase em placas
*
*
*
Psoríase eritrodérmica
Eritema intenso com descamação discreta
Universal
Desencadeada por terapias intempestivas
Administração e posterior retirada de corticóides sistêmicos
AIDS
Repercussão sistêmica
*
*
*
Psoríase pustulosa
Psoríase de Von Zumbusch
Desencadeada por interrupção do corticóide sistêmico, antimaláricos, hipocalcemia, infecções
Febre, leucocitose
*
*
*
Psoríase pustulosa
Quando localizada nas mãos é chamada de acrodermatite contínua de Hallopeau
Pústulas na matriz ungueal leva a perda das unhas
*
*
*
Psoríase artropática
10 - 15% dos doentes de psoríase
2,6 \u2013 7% dos doentes com poliartrite tem psoríase 
Geralmente em doenças + extensas
Mono ou oligoarticular assimétrica
Articulações interfalangeanas
*
*
*
Psoríase artropática
65% a doença cutânea precede a articular
Artrite mutilante
Artrite soronegativa
Espondilite psoriática / sacroilite
*
*
*
Diagnóstico
Clínico
Curetagem metódica de Brocq
Sinal da vela
Sinal de Auspitz
Histopatologia
*
*
*
Curetagem metódica de Brocq
*
*
*
Tratamento
Individualizado
Sexo
Idade
Ocupação
Personalidade
Estado geral de saúde
Inteligência
$
Forma clínica
Extensão
Duração
História natural da doença
*
*
*
Tratamento
Apoio emocional
Informação
Não contagiosa
Benigna
Possibilidade de remissão espontânea
Ampla gama de tratamentos
Não deveria ser + desagradável, intolerável ou perigoso que a doença
*
*
*
Tratamentos tópicos
Emolientes
Fototerapia
Queratolíticos
Análogos da Vit. D
Calcitriol
Calcipotriol
Corticóides tópicos
Imunomoduladores tópicos
*
*
*
Tratamentos tópicos
Coaltar
Goeckerman
Antralina
*
*
*
Tratamentos Sistêmicos
PUVA [psoraleno + ultravioleta A (UVA)]
Metotrexate (MTX)
Retinóides
Ciclosporina
Biológicos
*
*
*
Dermatite seborréica
Dermatose eritêmato-escamosa crônica, frequente, recorrente, das áreas seborréicas (couro cabeludo, face, pré-esternal) e, eventualmente, intertriginosas
*
*
*
Dermatite seborréica
*
*
*
Dermatite seborréica
Seborréia é fator predisponente
1ª infância e vida adulta
Até 5% população mundial
H > M
*
*
*
Fatores predisponentes
Malassesia furfur
Doença neurológica
Alcoolismo
AIDS
Deficiência de Zn
Drogas
Obesidade / DM
*
*
*
Manifestações clínicas
Lactente
Crosta láctea
Doença de Leiner ou Eritrodermia exfoliativa do infante
Eritrodermia + diarréia + vomito + anemia + febre
Deficiência C5
*
*
*
Crosta láctea
*
*
*
Manifestações clínicas
Adulto
Couro cabeludo
Caspa
Pseudotinea amiantacea
Face
Sulco nasogeniano
Glabela
Blefarite
Auricular
Médio torácica
Região pubiana
Axilar
*
*
*
Dermatite seborréica
*
*
*
Tratamento
Lactente
Medidas gerais
Óleo mineral (+ ác. salicílico)
Xampu 
Corticóide fraco em creme
Prednisona VO
*
*
*
Tratamento
Adulto
Couro cabeludo
Xampus: Enxofre, piritionato de zinco, sulfeto de selênio, cetoconazol, alcatrões, ciclopirox olamina, piroctona olamina...
Loções capilares com corticóides com ou sem ác. salicílico
*
*
*
Tratamento
Adulto
Demais áreas
Hidrocortisona creme
Cetoconazol creme
Sabonete com enxofre + ác. salicílico
Pomada oftálmica c/ hidrocortisona
Corticóide média potência
Análogos Vitamina D3
Pimecrolimos / tacrolimos
*
*
*
Tratamento
Adulto
Tratamento Sistêmico
Tetraciclina
Antifúngicos
Prednisona
Isotretinoína
PUVA
*
*
*
Pitiríase rósea de Gibert
Dermatose inflamatória subaguda freqüente, caracterizada por lesçoes eritematoescamosas disseminadas, sucessivas e progressivas, com regressão posterior e cura.
*
*
*
Pitiríase rósea de Gibert
Outono e verão
20 - 30 anos
*
*
*
Etiologia
Desconhecida
HHV 7
Drogas
*
*
*
Pitiríase rósea
*
*
*
Manifestações clínicas
Lesões ovaladas, eritematoescamosas, com bordas ligeiramente elevadas e centro descamativo
Distribuição em \u201cpinheiro de Natal\u201d
Medalhão inicial
Tronco, podendo atingir pescoço e membros, raramente face,mãos e pés
*
*
*
Manifestações clínicas
Não atinge o couro cabeludo
Prurido eventual e discreto
Evolução de 4 \u2013 8 semanas com regressão total
Recorrência rara
Não causa mal formação fetal
*
*
*
Pitiríase rósea
*
*
*
Diagnóstico
Clínico
Diferenciar da roséola sifilítica
Histopatológico
*
*
*
Tratamento
Geralmente não é necessário
Corticóides tópicos
Anti-histamínicos
Emolientes
UVB
Corticóide oral
*
*
*
Parapsoríase
Grupo de doenças caracterizadas por lesões eritêmato-escamosas, não pruriginosas ou discretamente pruriginosas, evolução crônica eque se assemelham a psoríase.
*
*
*
Parapsoríase
Reação inflamatória na pele, sem causa conhecida
Quadro inicial de micose fungóide ou de linfomas malignos da pele
*
*
*
Parapsoríase
Parapsoríase em grandes placas
Parapsoríase em pequenas placas
*
*
*
Tratamento
Emolientes
UVB
PUVA
Corticóides tópicos
*
*
*
Eritrodermia esfoliativa
Eritema generalizado e persistente, acompanhado de descamação e prurido com intensidade variável, com decurso subagudo ou crônico
*
*
*
Eritrodermia esfoliativa
Agravamento doença pré \u2013 existente
Reação a drogas
Forma inicial de linfoma
*
*
*
Eritrodermia esfoliativa
*
*
*
Eritrodermia esfoliativa
*
*
*
Tratamento
Depende da causa
Emolientes
Corticóides tópicos de baixa potencia
Evitar corticóide sistêmico até excluir psoríase eritrodérmica
Metotrexate
Ciclosporina
Acitretina
Antibióticos
Fototerapia
...
*
*
*
Pitiríase rubra pilar
Afacção incomun, crônica, caracterizada por placas eritêmato-escamosas e pápulas ceratósicas foliculares
*
*
*
Pitiríase rubra pilar
Infância / familiar
Provável herança AD
Adulto
Sem causa desencadeante
Pós doenças graves 
*
*
*
Pitiríase rubra pilar
Pápulas foliculares, com espículas córneas, localizadas no dorso da 1a e 2a falange
*
*
*
Diagnóstico
Clínico
Histopatológico
*
*
*
Tratamento
Retinóides
Isotretinoína
Acitretina