A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
Sistema ósseo - Documentos Google

Pré-visualização | Página 5 de 6

ocorre a liberação de mediadores químicos, como os fatores de crescimento, 
interleucinas, prostaglandinas e tumoral-α (TNF-α, que induz a vinda de osteoclastos para a 
degradação do tecido necrosado). 
A partir desses mediadores, ocorre uma resposta inflamatória , que dura em média 
dura cerca de 24 a 48 horas, com a migração de neutrófilos, macrófagos e outros 
leucócitos, derivados do periósteo e endósteo, aumentando a síntese da matriz extracelular 
e estimulando a angiogênese. Após a formação do hematoma primário, é formado um 
tecido de granulação rico em fibrina, fibras estas sintetizadas pelos fibroblastos presentes 
no local. Na segunda fase ocorre a formação do calo mole , assim ramificações de 
capilares advindos do periósteo adentram o granuloma formado na fase inflamatória, todo 
esse processo fornece uma melhor vascularização no local, providenciando as células e 
oxigenação necessárias para os passos da cicatrização seguirem. 
Cicatr�açã� �se�  
 
Dentro desse tecido granular, ocorre a formação endocondral entre as 
extremidades da fratura e o periósteo. Essas regiões são mecanicamente menos estáveis e 
o tecido cartilaginoso forma um calo que promove maior estabilidade na região local da 
fratura. Na síntese do calo mole, observa-se no tecido osteogênico a neoformação óssea, 
ocorrendo a diferenciação das células osteogênicas em osteoblastos (fora do foco de 
fratura) e Condroblastos (próximo ao foco de fratura: formando inicialmente tecido 
cartilaginoso). Para que a regeneração óssea progrida, o calo mole principal precisa ser 
reabsorvido e substituído por um calo ósseo. 
Esta etapa da consolidação da fratura , em certo ponto, lembra o desenvolvimento 
ósseo embriológico com uma combinação de proliferação e diferenciação celular, com 
aumento do volume celular e aumento da deposição de matriz. Os osteoblastos já 
sintetizados começam sua ação afetiva na mineralização do calo, por meio da osteocalcina, 
ocorrendo a deposição de cálcio e outros componentes ósseos como a hidroxiapatita, 
sintetizando uma substituição gradativa da cartilagem, essa ossificação é conhecida na 
histogênese como endocondral. Ademais, ocorre a reabsorção de resquícios necróticos 
e outros filamentos pelos osteoclastos, eles continuam sua atuação no processo de 
remodelagem óssea , reabsorvendo o tecido ósseo desregulado, como uma tentativa de 
tornar aquela região óssea parecida ou até mesmo igual de antes da fratura. 
 
 
A regulação de cálcio é 
crucial para diversos processos 
corpóreos. E esta regulação 
depende diretamente das interações 
entre a PTH, a VIT D e a 
Calcitonina. 
 
- O PTH estimula a 
reabsorção óssea e a 
liberação de Ca na 
circulação. Promovendo 
também a reabsorção renal 
de cálcio e excreção de 
potássio. 
Cicl� d� cálci�   
 
- A VIT D que advém do estímulo do PTH para a hidroxilação em sua forma mais 
ativa, o calcitriol. Ele aumenta a absorção intestinal de cálcio dietético e facilita a 
reabsorção renal de cálcio filtrado, e no tecido ósseo ela aumenta a reabsorção 
óssea, somando tudo aumenta a quantidade de cálcio sérico. 
- A calcitonina opõe-se aos efeitos do PTH, inibindo a reabsorção óssea e 
aumentando a excreção renal de cálcio. 
 
 
Primeiramente, existe uma necessidade nutricional para que o processo ocorra de 
maneira íntegra. Em suma, o consumo de alimentos ricos de Ca2 + é crucial na formação 
da matriz mineralizada, mediante o seu principal composto ser a Hidroxiapatita, que é uma 
união de cálcio e fosfato. Outro fator relevante na alimentação é diminuir o consumo de sal, 
pois o excesso de sódio na dieta pode aumentar a excreção de cálcio na urina, assim como 
alimentos, medicamentos e bebidas diuréticas que causam o mesmo efeito de excreção, 
devem ser evitados. 
Ademais, também têm o consumo de vitamina C ajuda a acelerar o processo, 
mediante seu alto potencial proliferativo de produzir colágeno. Os Banhos de sol são 
PTH- Paratormônio 
É sintetizado na forma de pré-pró-hormônio, e é rapidamente clivado em pró-PTH, e logo 
em seguida a forma madura do PTH. A síntese e liberação deste hormônio é feita de 
forma contínua, com 7 pulsos a cada hora. No fim de sua ação é degradado pelo rim e 
pelo fígado. 
Sua liberação na corrente sanguínea é controlada por um estreito sistema de 
retroalimentação pelas concentrações plasmáticas de cálcio. 
 
Existem outros fatores que inibem e estimulam além do cálcio, como a vitamina D, 
magnésio e o potássio. A ocorrência de pequenas alterações nos níveis plasmáticos de 
cálcio é detectada pelo receptor paratireóide sensor de Ca+, este é um receptor acoplado 
a uma proteína G localizado sobre a membrana plasmática das células principais das 
paratireóides, e também é encontrada nas células tubulares renais e nas células C da 
tireóide. 
 
Os efeitos fisiológicos importantes do PTH são mediados pelo PTHR1 (espresso nos 
osteoblastos ósseo e nos rins), enquanto a importância fisiológica do PTHR2 e PTHR3 
ainda não foi esclarecida. 
 
No osso, que é a abordagem principal deste resumo,o PTH libera o cálcio das reservas 
disponíveis de imediato e em equilíbrio com o líquido extracelular. Ele se liga a receptores 
presentes nos osteoblastos resultando em uma castacata de eventos e ação dos 
osteoclastos, resultando em uma cascata de eventos. Esses efeitos do PTH mediados 
por receptores nos osteoblastos são mediados pela síntese ou atividade de várias 
proteínas incluindo o fator de diferenciação dos osteoclastos (FDO) ou melhor falando 
RANK . Aumenta também o número de osteoblastos diminuindo sua apoptose e 
aumentando sua proliferação. 
Fatore� qu� interfere� n� cicatr�açã� 
 
recomendados, pois a forma mais ativa de vitamina D, o calcitriol, ajuda na absorção de 
cálcio pelo organismo, principalmente reabsorção intestinal e renal. Ademais, a estabilidade 
da fratura é crucial para o seu desenvolvimento, portanto, para que um osso se regenera, 
ele precisa criar uma ponte óssea entre as duas superfícies da fratura. Há também 
problemas com Indivíduos que fumam, apresenta uma dificuldade na cicatrização, diante da 
diminuição de O2 circulante de o monóxido de

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.