PlanoDeAula_22615
3 pág.

PlanoDeAula_22615

Disciplina:Fundamentos de Neuroanatomia285 materiais5.588 seguidores
Pré-visualização2 páginas


	
			
			 Plano de Aula: 1 - Fundamentos da anatomia humana

			 FUNDAMENTOS DE NEUROANATOMIA

			

		

		
			Título

			1 - Fundamentos da anatomia humana

			
			Número de Aulas por Semana

			
				4
			

			Número de Semana de Aula

			
				1
			

 Tema

		 Unidade 1 - Fundamentos da anatomia humana

		
		 Objetivos

		 Ao final desta aula, o aluno deverá ser capaz de:

·   Compreender o que é plano de ensino da disciplina e a sua importância;

·   Conceituar anatomia em seu sentido macroscópico e microscópico;

·   Compreender a divisão da anatomia em sistemas;

·   Definir o que é normal em anatomia, variação anatômica, anomalia e monstruosidade;

·   Compreender a importância da utilização da terminologia anatômica correta;

·   Reconhecer e citar a divisão do corpo humano em partes;

·   Descrever a posição anatômica e entender a sua importância;

·   Descrever os planos de delimitação e secção do corpo humano;

·   Definir e estar apto a usar corretamente os termos anatômicos de posição e direção;

·   Compreender os princípios de construção do corpo humano.

		
		 Estrutura do Conteúdo

	 Normas de Biossegurança:

Explicação das normas de biossegurança para a utilização e permanência no laboratório de anatomia.

 

Plano de Ensino:

Apresentação do plano de ensino. Explanação sobre a importância da disciplina para os cursos, seus objetivos, os conteúdos que serão abordados e sua estruturação. Apresentação do mapa conceitual da disciplina.

 

Unidade 1 - Fundamentos da anatomia humana:

1.1. Conceito:

Anatomia humana é a ciência que se dedica ao estudo da estrutura do corpo humano. A palavra anatomia tem origem grega e significa “cortar em partes� ou dissecar. Em seu sentido mais amplo, a anatomia estuda o corpo macro e microscopicamente. Atualmente, utilizamos o termo morfologia para englobar os aspectos macroscópicos (anatomia) e os microscópicos (histologia, citologia, embriologia e ciências afins) do corpo humano. A anatomia é a base do conhecimento das ciências da saúde com aplicação direta na prática clínica, experimental e cirúrgica.

 

1.2. Sistemas orgânicos:

As células são consideradas as unidades biológicas do corpo humano. Elas se organizam em tecidos, que são definidos como um conjunto de células semelhantes para desempenhar a mesma função geral. Os tecidos, por sua vez, reúnem-se para constituir os órgãos, instrumentos de função. Um conjunto de órgãos, de mesma origem e estrutura, cujas funções se integram para realizar funções complexas, denomina-se sistema. Em conjunto, os sistemas constituem o corpo humano. Embora o corpo humano seja resultado da integração de todos os sistemas, há alguns sistemas que, devido a relações mais íntimas no desenvolvimento, na localização, na função e por razões didáticas, podem ser associados ou agrupados sendo chamados de aparelhos.

Os sistemas que em conjunto compõem o organismo do indivíduo são: sistema esquelético, sistema articular, sistema muscular, sistema cardiovascular, sistema linfático, sistema respiratório, sistema digestório, sistema urinário, sistema genital masculino, sistema genital feminino e sistema nervoso.

 

1.3. Normalidade, variação anatômica, anomalia e monstruosidade:

O termo normal, em medicina, significa sadio. Em anatomia, o termo normal é também utilizado para definir a estrutura mais frequente, ou seja, que é encontrada no mais alto número ou na mais alta percentagem, estatisticamente significativo, de indivíduos da espécie humana. A variação anatômica é um pequeno desvio do aspecto anatômico normal de uma estrutura sem que haja prejuízo a função. Anomalia é uma alteração, congênita ou adquirida, do padrão de normalidade de uma estrutura que causa prejuízo à função. A monstruosidade é uma anomalia tão acentuada que interfere no desenvolvimento do corpo sendo incompatível com a vida.

 

1.4. Terminologia anatômica:

A terminologia anatômica é o vocabulário ou lista de termos anatômicos, palavras ou expressões utilizadas para designar as partes do corpo humano. Surgiu da necessidade de diminuir a quantidade, padronizar e uniformizar os termos anatômicos utilizados em todo mundo, através de uma só lista oficial. A terminologia anatômica é resultado da ação conjunta da Comissão Federativa da Terminologia Anatômica (CFTA) e de 56 associações que são os membros da Federação Internacional de Associações de Anatomistas (FIAA), única entidade internacional que representa todos os aspectos da anatomia e as associações anatômicas.

 

1.5. Partes do corpo:

O corpo humano se divide em cabeça, pescoço, tronco (tórax, abdome, pelve e dorso), e membros superiores (cíngulo do membro superior, axila, braço, cotovelo, antebraço e mão) e membro inferior (cíngulo do membro inferior, quadril, coxa, joelho, perna e pé).

 

1.6. Posição anatômica:

A posição anatômica é o padrão de referência para se estudar o corpo humano como um todo ou suas partes. O indivíduo está ereto (em posição ortostática), com os membros superiores pendentes naturalmente, adjacentes ao corpo, de cada lado do tronco, com o olhar fixo no horizonte, face voltada para frente, palmas para frente com os dedos justapostos, membros inferiores unidos, com os pés juntos e com as pontas dos dedos também dirigidas para frente.

 

1.7. Planos de delimitação e secção do corpo humano:

Os planos de delimitação do corpo humano incluem o anterior ou ventral, o posterior ou dorsal, o superior ou cranial, o inferior ou podálico e os laterais. Os planos de secção do corpo humano são representados pelos planos sagital mediano, sagital paramediano, frontal ou coronal e o transversal ou horizontal. Os eixos de movimento são o sagital (ântero-posterior), o longitudinal (crânio-podálico) e o transversal (látero-lateral).

 

1.8. Termos gerais:

Para estudar a forma, a posição e as relações dos órgãos e estruturas do corpo é necessário compreender os termos anatômicos de posição e direção como: anterior, posterior, superior, inferior, lateral, ventral, dorsal, cranial, caudal, transversal, longitudinal, axial, mediano, medial, intermédio, médio, externo, interno, superficial, profundo, distal, proximal, palmar e plantar.

 

1.9. Princípios gerais de construção do corpo humano:

O corpo humano é construído segundo alguns princípios fundamentais que prevalecem para os vertebrados, como os seguintes:

 

Antimeria: o plano mediano divide o corpo humano em duas metades, direita e esquerda. Estas metades são denominadas antímeros e são semelhantes, morfológica e funcionalmente, donde dizer-se que o homem, como os vertebrados, é construído segundo o princípio da simetria bilateral. Na realidade, não há simetria perfeita porque não existe correspondência exata de todos os órgãos. Ela é mais evidenciada durante o desenvolvimento (embriologia).

 

Metameria: por metameria entende-se a superposição, no sentido longitudinal, de segmentos semelhantes, cada segmento correspondendo a um metâmero. Mais ainda do que a antimeria, a metameria é muito evidente na fase embrionária, conservando-se no adulto em algumas estruturas como, por exemplo, na coluna vertebral (sobreposição das vértebras) e caixa torácica (sobreposição das costelas deixando entre elas os espaços chamados de espaços intercostais).

 

Paquimeria: é o princípio segundo o qual o segmento axial do corpo do indivíduo é constituído, esquematicamente, por dois tubos. Estes tubos, denominados paquímeros são representados pelo anterior (ou ventral) e pelo posterior (ou dorsal). Paquímero anterior, maior, contém a maioria das vísceras e, por essa razão, é também chamado de paquímero visceral. O paquímero posterior compreende a cavidade craniana e o canal vertebral