Civil 16
10 pág.

Civil 16

Disciplina:Direito Civil I10.735 materiais383.858 seguidores
Pré-visualização15 páginas
de poder, a partir da metodologia utilizada
em sala com a aplicação dos casos concretos, a saber:<o:p></o:p></span></p>

<div style='border:none;border-bottom:solid windowtext 1.0pt;padding:0cm 0cm 1.0pt 0cm'>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif";
font-variant:small-caps'>&nbsp;</span><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'><o:p></o:p></span></p>

</div>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif";
mso-fareast-font-family:"Times New Roman"'>Caso Concreto&nbsp; <span
class=GramE>1</span><o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><b><i><span style='font-family:
"Arial","sans-serif"'>Tema: Extinção da personalidade da pessoa natural. Morte
presumida.</span></i></b><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'><o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>Família
não admite morte de engenheiro desaparecido no Iraque<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>12
de março de 2006 - <span class=GramE>19:26</span> – Globo <span class=SpellE>on</span>
<span class=SpellE>line</span><o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>&nbsp;<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>O
governo brasileiro estaria negociando para trazer o corpo e teria conseguido
que os <span class=SpellE>seqüestradores</span> baixassem o pedido de resgate
de US$ 1 milhão para US$ 150 mil. <o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>Rio
de Janeiro - Mesmo com a notícia de que o governo brasileiro negocia
sigilosamente a repatriação dos restos mortais do engenheiro João José
Vasconcellos Júnior, <span class=SpellE>seqüestrado</span> no Iraque no início
de 2005, integrantes de sua família ainda não aceitam oficialmente a hipótese
de que ele tenha sido assassinado. &quot;Até hoje não foi comprovado que ele
está morto&quot;, disse o filho do engenheiro, Rodrigo Vasconcellos, na tarde
de hoje, ao Estado. No próximo domingo, vão se completar 14 meses desde que o
engenheiro brasileiro João José Vasconcellos Júnior foi levado por levado por
homens armados. <o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>Funcionário
da <span class=GramE>Construtora Norberto Odebrecht</span>, Vasconcellos Júnior
foi <span class=SpellE>seqüestrado</span> quando estava a serviço no Iraque -
na verdade, se dirigia para o aeroporto, para deixar o país. De acordo com
reportagem da revista Isto é desta semana, ele teria sido morto em 21 de
janeiro de 2005, dois dias após ter sido levado. &quot;Temos essa informação
(de que seu pai fora morto) desde o quinto dia de <span class=SpellE>seqüestro</span>,
mas enquanto não me provarem que ele está morto... Eu tenho que aguardar a
comprovação de alguma coisa, seja o que for&quot;, disse Rodrigo. <o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>A
partir da leitura do caso real acima, responda justificadamente:<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>a)
Apesar de não ter sido encontrado o corpo do engenheiro, é possível a
declaração de sua morte? Justifique, citando os dispositivos legais
pertinentes.<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif";
color:#1F497D;mso-themecolor:text2'>Sim, <span class=GramE>após</span>
esgotadas as buscas tem se a morte presumida sem decretação de ausência, pois
havia situação de risco. (art. 7º, CC)<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'><o:p>&nbsp;</o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>b)
Quais as consequências da declaração da morte presumida?<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif";
color:#1F497D;mso-themecolor:text2'>Nomeia-se um curador para os bens e abre-se
o processo de sucessão.</span><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'><o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'><o:p>&nbsp;</o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span class=GramE><span
style='font-family:"Arial","sans-serif"'>c)</span></span><span
style='font-family:"Arial","sans-serif"'>&nbsp; E se o indivíduo voltar, depois
de declarada sua morte?<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif";
color:#1F497D;mso-themecolor:text2;mso-bidi-font-weight:bold'>Ele tem direito
aos bens que ainda restam</span><b><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>.&nbsp;<o:p></o:p></span></b></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'><o:p>&nbsp;</o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif";
mso-fareast-font-family:"Times New Roman"'><o:p>&nbsp;</o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif";
mso-fareast-font-family:"Times New Roman"'>Caso Concreto&nbsp; <span
class=GramE>2</span>:<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><i><span style='font-family:
"Arial","sans-serif";mso-fareast-font-family:"Times New Roman"'>Tema: <span
class=SpellE>Comoriência</span> </span></i><span style='font-family:"Arial","sans-serif";
mso-fareast-font-family:"Times New Roman"'><o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>&nbsp;<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>Leia
a notícia a seguir e após responda ao que se pede.<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>A
revista Época n° 379 de 22 de agosto de 2005 traz uma reportagem cujo título é:
“Os órfãos de Alcântara pedem justiça”. No texto é relembrada a história da
morte – por carbonização – de 21 profissionais civis do Centro Técnico
Aeroespacial, em virtude do incêndio no foguete VLS-1 (Veículo Lançador de
Satélites n° 1), em 22 de agosto de 2003, no município de Alcântara, Maranhão.<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>Responda
justificadamente.<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>No
caso em tela supondo-se que todos os corpos desapareceram em razão das altas
temperaturas a que foram submetidos, pode-se dizer que ocorreu o fenômeno
jurídico da <span class=SpellE>comoriência</span>? Qual a relevância do
instituto? Caso sua resposta seja afirmativa, JUSTIFIQUE. Caso seja negativa,
aponte o fenômeno jurídico que ocorreu e EXPLIQUE-O.<o:p></o:p></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'><span
style='mso-spacerun:yes'> </span><span style='color:#1F497D;mso-themecolor:
text2'><span style='mso-spacerun:yes'>   </span>Sim, pois houve mortes
simultâneas, neste caso as vítimas se parentes não transmitem herança.<o:p></o:p></span></span></p>

<p class=MsoNoSpacing style='text-align:justify'><span style='font-family:"Arial","sans-serif"'>&nbsp;<o:p></o:p></span></p>