Apostila UNIJUÍ - Fundamentos das ciências sociais
122 pág.

Apostila UNIJUÍ - Fundamentos das ciências sociais


DisciplinaFundamentos das Ciências Sociais10.968 materiais132.271 seguidores
Pré-visualização42 páginas
um tipo de
compasso geométrico que
permitia medir ângulos e áreas, o
termômetro de Galileu e o
percursor do relógio de pêndulo.
Disponível em:
<http://pt.wikipedia.org/wiki/
Galileu_Galilei>.
Acesso em: 16 jan. 2008.
estabeleceu uma solução intermediária entre os sistemas de
Ptolomeu e Copérnico, solução que se mostrou insustentável,
como irão demonstrar posteriormente Kepler e Galileu.
Johannes Kepler (1571\u2013 1630) assumiu a defesa do sistema
copernicano, agregando contribuições importantes para o seu
desenvolvimento. Como matemático sustentava a possibilidade
de estabelecer relações entre a ordem do mundo e a sua expres-
são matemática. Assim, procedeu a uma revisão da concepção de
Copérnico sobre a circularidade e a uniformidade dos movimen-
tos planetários. Formulou as seguintes leis:
\u2013 as órbitas dos planetas são elipses das quais o Sol ocupa um
dos focos;
\u2013 a velocidade orbital de cada planeta varia de tal modo que a
linha que liga o Sol e o planeta cobre, em iguais intervalos de
tempo, iguais porções de superfície. Além disso, sustentou que:
\u2013 o Sol, fundamento das \u201ccelestes harmonias\u201d, é a causa
determinante do movimento dos planetas, \u201co primeiro motor
do universo, a causa do seu próprio corpo\u201d;
\u2013 há uma força motriz que se origina do Sol e que provoca os
movimentos dos planetas.
Será Galileu Galilei (1564-1642), entretanto, o grande res-
ponsável pela afirmação definitiva do sistema copernicano. A
contribuição de Galileu foi tão expressiva que podemos considerá-
lo como o verdadeiro fundador da Ciência moderna. Ele esteve
no centro de um profundo confronto político com a Igreja, o que
evidencia que a fundação da Ciência, além da dimensão intelec-
tual, foi também um processo político. A condenação de Galileu
não foi capaz de impedir o avanço e a consolidação da
racionalidade científica como forma de se chegar à verdade.
Galileu escreveu várias obras. Entre elas se destacam
Sidereus Nuncius, Diálogo sobre os dois máximos sistemas do
mundo e Discursos e demonstrações matemáticas sobre as duas
39
FUNDAMENTOS DAS CIÊNCIAS SOCIAIS
novas ciências, atinentes à mecânica a aos movimentos locais.
Vamos agora resumir as principais contribuições de Galileu, que
consolidam a ciência astronômica e propõem duas outras ciências:
a estática e a dinâmica. Em seguida, entender a posição de
Galileu no processo de formação da Ciência moderna.
O contexto das reflexões de Galileu, tão bem estabelecido
por ele próprio, é o confronto entre dois sistemas, ou dois mun-
dos: o aristotélico-ptolomaico, em que a Terra está no centro e o
Sol girando ao seu redor, e o copernicano, que inverte radical-
mente a ordem do mundo \u2013 a Terra gira ao redor do Sol. É impor-
tante referir também que o sistema geocêntrico afirmava a divi-
são do mundo: o supralunar, constituído pelos céus, perfeito,
incorruptível e imóvel, e o sublunar, constituído pela Terra, imó-
vel, porém considerando que nela existem corpos em constante
movimento, imperfeitos, perecíveis e corruptíveis.
Utilizando-se de uma luneta, aperfeiçoada por ele próprio,
Galileu consegue fazer observações até então impossíveis de rea-
lizar. E destaca: \u201caté as estrelas que normalmente não aparecem
à nossa vista e aos nossos olhos, por sua pequenez e pela fraque-
za de nossa vista, podem ser vistas por meio deste instrumento\u201d.
Assim, ele constata que existiam mais estrelas do que aquelas
vistas a olho nu, a superfície da Lua era irregular e rugosa, o Sol
tinha manchas, Júpiter possuía satélites e as nebulosas eram
amontoados de pequenas estrelas. Observando os movimentos
da Terra em relação ao sistema, ele constata que é falsa a distin-
ção aristotélica dos dois mundos. Existe apenas um mundo e,
portanto, apenas uma única física.
As duas ciências propostas por Galileu \u2013 a estática e a dinâ-
mica \u2013 são ciências que tratam do mesmo objeto, o mundo físico,
no entanto elas têm como fundamento a observação e a experiên-
cia. Galileu expôs numa carta, em 1615, a sua posição sobre as
possibilidades do conhecimento do mundo físico: \u201cparece-me que,
nas disputas sobre problemas naturais, não se deveria começar
pela autoridade de passagens das Escrituras, mas sim pelas sen-
satas experiências e pelas demonstrações necessárias\u201d.
Luneta de Galileu
Disponível em:
<http://afilosofia.no.sapo.pt/
10Galileu.htm>.
Acesso em: 19 jan. 2008.
FUNDAMENTOS DAS CIÊNCIAS SOCIAIS
40
Podemos concluir que a Ciência não depende da fé. Ela é
autônoma em relação à religião e por isso não pode ter preten-
sões de um saber dogmático. Para Galileu, a Ciência é o conheci-
mento objetivo das sensações ou das relações quantificáveis e
mensuráveis dos corpos, que se expressam em linguagem mate-
mática. A Matemática e a experimentação se combinam na ex-
plicação da realidade.
Referimos a luneta, mas Galileu inventou outros instrumen-
tos que possibilitaram a realização de observações, como é o caso
do plano inclinado, do termômetro e do relógio de água. A experiên-
cia é uma construção do cientista, que se coloca um problema sob
a forma de suposições, que serão ou não comprovadas pela cons-
trução de determinados experimentos. Para ele não há outra possi-
bilidade para produzir uma explicação verdadeira da realidade.
Esse modo de ver e explicar o mundo pôs Galileu em posi-
ção de confronto com a Igreja. O primeiro processo movido con-
tra ele foi em 1616. O Santo Ofício exigiu que ele abandonasse a
idéia de Copérnico, determinando-lhe, sob a ameaça de prisão,
\u201ca não ensiná-la e não defendê-la de nenhum modo, nem com a
palavra nem com os escritos\u201d. Com a escolha do cardeal Mafeu
Barberini como papa (Urbano VIII), amigo e admirador de Galileu,
ele retoma os seus escritos.
O papa, entretanto, foi convencido pelos adversários de
Galileu de que este era uma ameaça a sua autoridade. O
inquisidor de Florença proibiu a circulação do Diálogo sobre os
dois máximos sistemas do mundo. Em 1633 ele estava novamen-
te diante do Santo Ofício, afirmando que o seu escrito tinha como
objetivo demonstrar que o sistema copernicano não era válido.
Os inquisidores não aceitaram o seu argumento e o condenaram,
em 22 de junho de 1633, à prisão perpétua e a renunciar as suas
idéias. Aceitando a condenação, de joelhos, Galileu assim se pro-
nunciou: \u201cAbjuro, maldigo e detesto os referidos erros e heresias
e, em geral, todo e qualquer outro erro, heresia e seita contrárias
à Santa Igreja. E juro que, para o futuro, nunca mais direi nem
afirmarei, por voz ou por escrito, coisas tais pelas quais se possa
ter de mim semelhante suspeita\u201d.
Dogmático
fechado, que não se
pode por em dúvida.
41
FUNDAMENTOS DAS CIÊNCIAS SOCIAIS
A prisão perpétua foi transformada em pena de
confinamento, sendo proibido de encontrar pessoas ou escrever
sem autorização. Apesar disso, Galileu continuou escrevendo e,
em 1638, foi publicada sua última grande obra, dando continui-
dade às suas reflexões: Discursos e demonstrações matemáticas
sobre duas novas ciências. Morreu em 1642. Em 1992, o Vaticano
anunciou a reabilitação de Galileu.
Analisamos a contribuição de Galileu para a formação da
Ciência moderna. Vamos agora analisar sucintamente os vários
aspectos que fazem de Isaac Newton (1642-1727) o grande cien-
tista que coloca \u201co último tijolo\u201d no processo de formação da
Ciência moderna, materializada na constituição da Física clássica.
Newton, autor de Philosophiae naturalis principia
mathematica, é considerado o ponto culminante de muitos esfor-
ços e obstáculos para compreender a dinâmica do universo, dos
princípios da força e dos corpos em movimento. Inventou um te-
lescópio por reflexão, estudou a luz, formulando a teoria
corpuscular da luz, as