Arquivos_Pdfs_ConsensoPsorase2009
113 pág.

Arquivos_Pdfs_ConsensoPsorase2009


DisciplinaClínica Médico-cirúrgica I66 materiais1.082 seguidores
Pré-visualização41 páginas
SOCIEDADE BRASILEIRA DE
 DE
RM
AT
OL
O
G
IA
1a EDIÇÃO
RIO DE JANEIRO
2009
SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA
II II
C 755 Consenso Brasileiro de Psoríase 2009/ Sociedade Brasileira de Dermatologia. \u2013 1 ed. Rio de Janeiro: 
Sociedade Brasileira de Dermatologia, 2009. 
116 p.; 1 ed.; 24 cm
ISBN 978-85-89240-02-4
1. Psoríase. 2. Guia de tratamento. 3. Dermatologia. 4. Sociedade Brasileira de Dermatologia. 
I. Título.
CDD 616.526
Reservados todos os direitos. É proibida a reprodução ou duplicação deste exemplar, no todo ou em parte, sob quaisquer for-
mas ou por quaisquer meios (eletrônico, mecânico, gravação, fotocópia ou outros), sem permissão expressa dos autores.
Direitos reservados aos autores.
II II II
REVISÃO 
Lincoln Fabricio
REVISÃO ORTOGRÁFICA 
Franquilim Lima de Cerqueira
PRODUÇÃO GRÁFICA E EDITORAÇÃO ELETRÔNICA
Nazareno N. de Souza
MÍDIA ELETRÔNICA
Samuel Peixoto
NORMALIZAÇÃO/BIBLIOTECÁRIAS
Rosalynn Leite 
Vanessa Zampier
Diretoria 2009 - 2010
Presidente
Omar Lupi (RJ)
Vice Presidente
Bogdana Victória Kadunc (SP)
Tesoureira
Maria Fernanda Gavazzoni (RJ)
Secretária Geral
Maria de Lourdes Viegas (RJ)
1a Secretária
Célia L. P. Vitello Kalil (RS)
2o Secretário
Emerson de Andrade Lima (PE)
Coordenadores:
Cláudia Pires Amaral Maia 
Maria Denise Takahashi 
Ricardo Romiti 
IV
Autores 
Aiçar Chaul
Artur Antônio Duarte
Bernardo Gontijo
Gladys Aires Martins
Ida Gomes Duarte
Jackson Machado-Pinto
Jesus Rodriguez Santamaría
Lucia Arruda
Luna Azulay
Marcelo Arnone
Maria Denise Fonseca Takahashi
Paulo Antonio Oldani Felix
Ricardo Romiti
Silvio Alencar Marques
Tânia Cestari
Colaboradores
Alexandre Gripp
Clarice Kobata
Igor Brum Cursi
Ivonise Follador
Maria de Fátima Paim Rodrigues
Mariana Soirefmann
Roberta Buense Bedrikow
CONSENSO BRASILEIRO DE PSORÍASE 2009
Prefácio | 1
CONSENSO BRASILEIRO DE PSORÍASE 2009|SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA
Prefácio
Com a preocupação de fornecer aos seus associados subsídios científicos para o tratamento da Psoriase, uma das doenças de
maior relevância dentro de nossa especialidade, a Sociedade Brasileira de Dermatologia está, através desta publicação, atualizan-
do o Consenso de Psoriase anteriormente elaborado em 2006. 
Esta publicação, agora registrada pela ISBN, faz parte do projeto de elaboração de manuais de normas de condutas terapêu-
ticas das principais dermatoses, e foi realizada por um grupo de reconhecidos especialistas na área, coordenados pela Dra. Maria
Denise Takahashi. Esses efetuaram uma completa revisão sobre o tema, cujo objetivo é definir critérios para as escolhas terapêuti-
cas, a fim de que possam auxiliar a prática dermatológica diária. 
A diretoria SBD 2009-2010 sente-se honrada com este trabalho e registra os mais sinceros agradecimentos ao grupo.
Omar Lupi
Presidente da SBD
Cláudia Pires Amaral Maia
Diretora de ações institucionais da SBD
Coordenadora das ações de Psoríase da gestão 2009-2010
CONSENSO BRASILEIRO DE PSORÍASE 2009|SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA
22
Sumário
PSORÍASE 5
CAPÍTULO 1 
Conceito, Epidemiologia, Genética e Imunopatogênese 15
Silvio Alencar Marques
CAPÍTULO 2
Manifestações Clínicas, Diagnóstico, Diagnóstico Diferencial 23
Maria Denise Fonseca Takahashi
CAPÍTULO 3 
Artrite Psoriásica e Comorbidades 31
Artur Antonio Duarte e Jackson Machado-Pinto
Colaboradores: Ivonise Follador, Lucia Helena Fávaro de Arruda e Maria de Fátima Paim Rodrigues
CAPÍTULO 4 
Instrumentos de Avaliação de Gravidade da Psoríase 37
Silvio Alencar Marques
CAPÍTULO 5
Tratamento Tópico da Psoríase 41
Gladys Aires Martins e Aiçar Chaul
CAPÍTULO 6
Tratamento de Áreas Especiais 49
Lúcia Arruda
CAPÍTULO 7 
Fotototerapia na Psoríase 55
Ida Duarte 
Colaboradores: Roberta Buense Bedrikow e Clarice Kobata
CAPÍTULO 8 
Metotrexato na Psoríase 63
Silvio Alencar Marques
3
CONSENSO BRASILEIRO DE PSORÍASE 2009|SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA
CAPÍTULO 9 
Acitretina na Psoríase 69
Gladys Aires Martins
CAPÍTULO 10
Ciclosporina na Psoríase 75
Jesus Rodriguez Santamaria e Tania F Cestari 
Colaboradora: Mariana Soirefmann
CAPÍTULO 11 
Imunobiológicos na Psoríase 85
Luna Azulay-Abulafia e Paulo Antônio Oldani Felix 
Colaboradores: Alexandre Gripp e Igor Brum Cursi 
CAPÍTULO 12
Outras Modalidades Terapêuticas na Psoríase 97
Ricardo Romiti
CAPÍTULO 13
Psoríase e Infecção 103
Marcelo Arnone e Maria Denise Takahashi 
CAPÍTULO 14 
Psoríase e Gravidez 107
Ida Duarte 
Colaboradores: Clarice Kobata e Roberta Buense Bedrikow
CAPÍTULO 15
Psoríase na Infância e Adolescência 111
Bernardo Gontijo e Ricardo Romiti
Alerta
Este Consenso e Guias de Tratamento da Psoríase é dirigido aos dermatologistas, envolvidos no tratamento de
doentes com psoríase. Os autores não se responsabilizam por dosagens ou escolhas terapêuticas nesse campo, já que se altera rapi-
damente. Ao empregarem as recomendações deste consenso, saibam todos os dermatologistas que deverão indicá-las por sua conta
e risco, devendo constantemente se informar sobre novos conhecimentos, subsequentes à publicação deste.
CONSENSO BRASILEIRO DE PSORÍASE 2009|SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA
44
Psoríase | 5
CONSENSO BRASILEIRO DE PSORÍASE 2009|SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA
Definição 
Psoríase é uma doença inflamatória crônica da pele e
articulações, imunomediada, de base genética, com grande
polimorfismo de expressão clínica. 
Epidemiologia e Genética (Consultar Capítulo 1)
De ocorrência universal, a psoríase acomete igualmente
homens e mulheres, sendo dermatose frequente na prática clínica.
No Brasil, não existem estudos sobre a sua prevalência.
Aspectos ambientais, geográficos e étnicos podem interferir na
sua incidência. 
A doença pode ocorrer em qualquer idade, com picos de
incidência na segunda e na quinta décadas de vida, associados
a diferentes antígenos de histocompatibilidade. O início antes
dos quinze anos correlaciona-se, frequentemente, a casos fami-
liares. Estudos recentes revelam loci de susceptibilidade deno-
minados Psors, localizados nos cromossomos 6p, 17q, 4q e 1q.
Manifestações Clínicas (Consultar Capítulo 2)
A psoríase se manifesta, na maioria das vezes, por pla-
cas eritemato-escamosas, bem delimitadas, ocasionalmente
pruriginosas, em áreas de traumas constantes na pele \u2013 coto-
velos, joelhos, região pré-tibial, couro cabeludo e região
sacra. O tamanho e o número das placas são variáveis, visto
que pode acometer toda a pele. Em 50% a 80% dos casos,
são identificadas alterações ungueais, especialmente onicóli-
se e depressões cupuliformes. 
Outros padrões clínicos que a doença pode apresentar são:
Psoríase invertida: lesões localizadas em áreas
intertriginosas.
Seboríase: quando ocorre em áreas seborreicas. 
Psoríase em gotas: pequenas pápulas eritemato-
escamosas, predominantes no tronco e raiz dos membros,
ocorrendo geralmente em adolescentes ou adultos jovens,
muitas vezes, após quadros infecciosos.
Psoríase eritrodérmica: acometimento de mais de
90% da superfície corporal, de caráter subagudo ou crônico e
comprometimento do estado geral. Pode ocorrer por piora da
psoríase em placas ou pustulosa generalizada e, raramente,
como manifestação inicial da doença.
Psoríase pustulosa 
- generalizada (von Zumbusch): quadro generalizado de
pústulas estéreis, com febre e comprometimento do estado
geral. Na maioria das vezes, apresenta-se em doente com
psoríase em placas, após exposição a fatores de piora \u2013 hipo-
calcemia, interrupção de corticoterapia sistêmica, infecção,
terapia tópica intempestiva. 
- generalizada na gravidez: em gestantes, de novo ou como
evolução de psoríase em placa, com ou sem hipocalcemia.
- palmoplantar: quadro crônico, limitado às palmas e/ou
plantas, de pústulas estéreis que se manifesta em adultos,
mais habitualmente, no sexo feminino.
- outras formas menos frequentes: policíclica, acroder-
matite contínua.
Psoríase na infância (Consultar Capítulo 15)
Psoríase artropática: artrite soronegativa, encon-
trada em 10 a 40% dos