PlanoDeAula_22619
2 pág.

PlanoDeAula_22619

Disciplina:Fundamentos de Neuroanatomia285 materiais5.594 seguidores
Pré-visualização1 página


	
			
			 Plano de Aula: 5 - Medula espinal

			 FUNDAMENTOS DE NEUROANATOMIA

			

		

		
			Título

			5 - Medula espinal

			
			Número de Aulas por Semana

			
				4
			

			Número de Semana de Aula

			
				5
			

 Tema

		 Unidade 5 - Medula espinal

		
		 Objetivos

		 Ao final desta aula, o aluno deverá ser capaz de:

·   Entender a divisão da substância cinzenta em lâminas de Rexed;

·   Entender os conceitos e a localização do primeiro, segundo e terceiro neurônios;

·   Compreender a existência das vias descendentes e ascendentes da medula espinal e sua importância funcional.

		
		 Estrutura do Conteúdo

	 Unidade 4 - Medula espinal:

4.5. Substância branca e substância cinzenta:

A substância branca é dividida em três funículos: anterior, lateral e posterior. Cada um desses funículos contém um ou mais tratos ou fascículos. Um trato é composto de fibras nervosas que possuem a mesma origem, destino e função. O funículo posterior contém apenas um trato de fibras ascendentes enquanto que, os funículos lateral e anterior, contêm vários tratos ascendentes e descendentes.

A substância cinzenta é dividida em corno anterior, lateral e posterior. Atualmente, o estudo da substância cinzenta deve ser feito através da divisão em zonas ou lâminas propostas por Rexed. Existem 10 lâminas (I-X) bem delimitadas com funções já bem definidas.

 

4.6. Tratos ascendentes e descendentes:

Antes de estudarmos os tratos ascendentes (as vias aferentes), é importante compreender os conceitos de primeiro, segundo e terceiro neurônio.

Primeiro neurônio: localiza-se geralmente fora da parte central do sistema nervoso, em um gânglio sensitivo. É um neurônio sensitivo, em geral pseudo-unipolar, cujo dendraxônio se bifurca em “T�, dando um prolongamento periférico e outro central. O prolongamento periférico se liga ao receptor, enquanto o prolongamento central penetra na parte central do sistema nervoso pela raiz posterior dos nervos espinais ou por um nervo craniano.

Segundo neurônio: localiza-se na coluna posterior da substância cinzenta da medula espinal ou em núcleos de nervos cranianos do tronco encefálico. Origina axônios que geralmente cruzam o plano mediano logo após a sua origem e entram na formação de um trato ou lemnisco.

Terceiro neurônio: localiza-se no tálamo e origina um axônio que chega ao córtex cerebral por uma radiação talâmica.

 

As grandes vias aferentes podem ser consideradas como cadeias neuronais, unindo os receptores ao córtex cerebral (nível consciente). No caso das vias inconscientes, esta cadeia é constituída por apenas dois neurônios (o primeiro e o segundo neurônio) e termina em níveis subconscientes como o cerebelo.

 

Principais tratos e fascículos ascendentes:

Fascículo grácil (tato epicrítico e propriocepção consciente do membro inferior);

Fascículo cuneiforme (tato epicrítico e propriocepção consciente do membro superior);

Trato espinocerebelar anterior (propriocepção inconsciente para o cerebelo);

Trato espinocerebelar posterior (propriocepção inconsciente para o cerebelo);

Trato espinotalâmico anterior (tato protopático);

Trato espinotalâmico lateral (dor e temperatura).

 

Atualmente, a área ocupada na medula espinal pelos tratos espinotalâmico anterior e lateral vem sendo chamada de sistema ântero-lateral.

 

Principais tratos descendentes:

Trato corticospinal anterior (motricidade voluntária);

Trato corticospinal lateral (motricidade voluntária);

Trato rubrospinal (tônus muscular e postura);

Trato vestibulospinal lateral (e medial) (controle da postura ereta e equilíbrio);

Trato reticulospinal lateral e anterior (controle do movimento e postura);

Trato tetospinal (controle da posição da cabeça associado aos movimentos oculares).

 

Os termos “sistema piramidal�, “tratos piramidais� ou “vias piramidais� são utilizados como sinônimos para designar o conjunto dos principais tratos motores que comandam os movimentos voluntários ou conscientes (tratos corticospinal anterior e corticospinal lateral).

Os termos “sistema extrapiramidal�, “tratos extrapiramidais� ou “vias extrapiramidais� são utilizados como sinônimos para designar o conjunto dos principais tratos motores que comandam os movimentos automáticos e aprendidos, a regulação do tônus muscular e a regulação da postura (tratos rubrospinal, vestibulospinal, reticulospinal e tetospinal).

A utilização dos termos “piramidal� e “extrapiramidal� é muito difundida e bem prática na área clínica, entretanto, já existe uma classificação alternativa mais recente que distingue nos tratos descendentes um sistema lateral e um sistema medial. O sistema lateral inclui além do trato corticospinal lateral (piramidal), o trato rubrospinal (extrapiramidal). O sistema medial inclui somente tratos extrapiramidais: reticulospinal anterior, vestibuloespinal lateral e tetospinal.

 

4.7. Correlações anatomoclínicas:

Exemplos anatomoclínicos relacionados com o conteúdo dessa unidade.

	
	 Aplicação Prática Teórica

 Textos:

1.   VAN DE GRAAFF. Anatomia Humana. 6. ed. Barueri, SP: Manole, 2003 (Capítulo 11, p. 384-389);

2.   DÂNGELO; Fattini. Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar. 3. ed. São Paulo: Atheneu,

     2007 (Capítulo 5, p. 63-69, 101-104);

3.   AFIFI; Bergman. Neuroanatomia Funcional texto e atlas. 2. ed. São Paulo: Roca, 2007 (Capítulos 3 e 4);

4.   MACHADO. Neuroanatomia Funcional. 2. ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 1993 (Capítulo 4);

5.   MENESES. Neuroanatomia Aplicada. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006 (Capítulo 8);

6.   CROSSMAN; Neary. Neuroanatomia ilustrada. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007 (Capítulo 8);

7.   CTA-SBA. Terminologia Anatômica Internacional. São Paulo: Manole, 2001 (p. 126-131).