PlanoDeAula_22620
2 pág.

PlanoDeAula_22620

Disciplina:Fundamentos de Neuroanatomia285 materiais5.601 seguidores
Pré-visualização1 página


	
			
			 Plano de Aula: 6 - Tronco encefálico

			 FUNDAMENTOS DE NEUROANATOMIA

			

		

		
			Título

			6 - Tronco encefálico

			
			Número de Aulas por Semana

			
				4
			

			Número de Semana de Aula

			
				6
			

 Tema

		 Unidade 5 - Tronco encefálico

		
		 Objetivos

		 Ao final desta aula, o aluno deverá ser capaz de:

·   Compreender a divisão do tronco encefálico;

·   Entender a importância dos acidentes anatômicos da superfície do tronco encefálico;

·   Conhecer os pares de nervos cranianos que se relacionam com o tronco encefálico;

·   Identificar os principais acidentes anatômicos do bulbo, seus limites e conhecer suas funções;

·   Identificar os principais acidentes anatômicos da ponte e seus limites.

		
		 Estrutura do Conteúdo

	 Unidade 5 - Tronco Encefálico:

O tronco encefálico está localizado entre a medula espinal e o diencéfalo, situando-se anteriormente ao cerebelo. É constituído por corpos de neurônios que se agrupam em núcleos e fibras nervosas que, por sua vez, se agrupam em feixes denominados tratos, fascículos ou lemniscos. Os relevos e depressões da superfície do tronco encefálico devem ser identificados nas peças anatômicas, pois representam elementos de sua composição interna, sendo particularmente importantes para o estudo da estrutura e função. Dos 12 pares de nervos cranianos, 10 estabelecem conexão no tronco encefálico.

O tronco encefálico se divide em bulbo, inferiormente; mesencéfalo, superiormente; e ponte, situada entre ambos.

 

5.1. Bulbo:

Situado entre a decussação das pirâmides e a margem inferior da ponte, forma a transição entre a medula espinal e o cérebro. É importante observar seus limites (superior e inferior), os sulcos e principais acidentes anatômicos.

Pedúnculo cerebelar inferior: estrutura que conecta o bulbo ao cerebelo permitindo a passagem de fibras que formam tratos aferentes e eferentes. Também conecta a medula espinal ao cerebelo.

Decussação das pirâmides: localizada na parte inferior do bulbo, constitui a principal estrutura anatômica no controle voluntário de metade do corpo pelo hemisfério cerebral oposto. Neste ponto, cerca de 75 a 90% das fibras corticospinais na pirâmide decussam para o lado oposto e formam o trato corticospinal lateral. O restante das fibras corticospinais descem ipsilateralmente para formar o trato corticospinal anterior.

Núcleos de nervos cranianos no bulbo: vestibulococlear [NC VIII], glossofaríngeo [NC IX], vago [NC X], acessório [NC XI] e hipoglosso [NC XII].

Funções: o bulbo com seus núcleos e feixes nervosos possui áreas relacionadas com o controle cardiovascular, com a função respiratória, com o espirro, com a deglutição, com o vômito e com o bocejo.

 

5.2. Ponte:

É a parte do tronco encefálico interposta entre o bulbo e o mesencéfalo. É importante observar seus limites (superior e inferior), o sulco basilar (e sua relação com a artéria basilar) e o pedúnculo cerebelar médio (estrutura que conecta a ponte ao cerebelo).

Núcleos de nervos cranianos na ponte: trigêmeo [NC V], abducente [NC VI], facial [NC VII] e vestibulococlear [NC VIII].

	
	 Aplicação Prática Teórica

 Textos:

·   VAN DE GRAAFF. Anatomia Humana. 6. ed. Barueri, SP: Manole, 2003 (Capítulo 11, p. 373-374, 376-377);

·   DÂNGELO; Fattini. Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar. 3. ed. São Paulo: Atheneu,

·   2007 (Capítulo 5, p. 69-70);

·   AFIFI; Bergman. Neuroanatomia Funcional texto e atlas. 2. ed. São Paulo: Roca, 2007 (Capítulos 5 e 7);

·   MACHADO. Neuroanatomia Funcional. 2. ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 1993 (Capítulo 5, p. 43-46);

·   MENESES. Neuroanatomia Aplicada. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006 (Capítulo 9, p. 109-114);

·   CTA-SBA. Terminologia Anatômica Internacional. São Paulo: Manole, 2001 (p. 131-139).