9 - itens 5.1 e 5.2

Disciplina:Contabilidade Social e Balanço de Pagamentos119 materiais1.350 seguidores
Pré-visualização2 páginas
às operações de importação e exportação; c) moeda e depósitos; e d) outras operações (qualquer outra operação envolvendo ativos que não se enquadre nas anteriores).

*
*

5.2.2 O balanço de pagamentos: detalhamento e análise da estrutura – os erros e omissões, o saldo do BP e os haveres da autoridade monetária
Os Erros e Omissões e o saldo do BP
 O saldo do balanço de pagamentos deveria ser a soma do saldo do BP em transações correntes com o saldo da balança de capitais. De outro lado, o mesmo saldo deveria surgir nos haveres das autoridades monetárias, ou seja, se o resultado tivesse sido positivo em, por exemplo, US$ 100 milhões, os haveres da autoridade monetária (reservas) deveriam registrar um aumento do mesmo valor e se o resultado tivesse sido negativo em US$ 100 milhões, os haveres da autoridade monetária deveriam registrar uma diminuição no mesmo valor.
 Contudo, existem erros e imperfeições nos registros, além do fato de que nem todas as transações entre residentes e não residentes passam pela autoridade monetária.
 Em função disso, e para que haja consistência entre o valor das operações registradas no Bacen e o resultado do movimento das reservas, inclui-se no BP, antes da apuração de seu saldo final, a conta E, que é uma conta de chegada, ou seja, tem o valor exatamente necessário para compatibilizar essas duas informações.

*
*

5.2.2 O balanço de pagamentos: detalhamento e análise da estrutura – os erros e omissões, o saldo do BP e os haveres da autoridade monetária
O Saldo do BP e os haveres da autoridade monetária
 Se o saldo da conta corrente for negativo, mas o saldo do BP for positivo, isso indica que o país conseguiu financiar com empréstimos, crédito comercial, ou investimentos, sua escassez de poupança e essas operações geraram ainda um saldo que implicou aumento das reservas. Se, na mesma situação, o saldo do BP for negativo, isso significa que o país não conseguiu se beneficiar de poupança externa no montante necessário para cobrir seu déficit em transações correntes, o que significa que ele teve que usar parte de seus haveres monetários (reservas) para enfrentar suas despesas correntes e de capital.

*
*