Topografia  UTM
55 pág.

Topografia UTM


DisciplinaTopografia I8.674 materiais180.802 seguidores
Pré-visualização3 páginas
e, portanto, diminuir as deformações
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
™ Nomal, Polar, Azimutal ou Zenital: quando o centro do plano de projeção é o pólo;
™ Equatorial: quando o centro da superfície de projeção situa-se no equador terrestre;
™ Oblíqua: quando está em qualquer outra posição. 
™ Transversa: quando o eixo da superfície de projeção (um cilindro ou um cone) 
encontra-se perpendicular em relação ao eixo de rotação da terra;
Quanto Quanto àà posiposiçção da superfão da superfíícies de projecies de projeççãoão
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
Normal or Polar
Oblique
Equatorial
™ Tangentes: a superfície 
de projeção é tangente à
superfície de referência
Quanto ao contato entre as superfQuanto ao contato entre as superfíícies de projecies de projeçção e ão e 
representarepresentaççãoão
™ Secantes: a superfície de 
projeção secciona a 
superfície de referência 
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
Quanto Quanto ààs propriedades/feis propriedades/feiçções preservadas ões preservadas 
no processo de projeno processo de projeççãoão
ProjeProjeçções eqões eqüüidistantesidistantes
ProjeProjeçções conformesões conformes
ProjeProjeçções equivalentesões equivalentes
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
ProjeProjeçção Plana (azimutal ou zenital):ão Plana (azimutal ou zenital):
ƒ São projeções sobre um plano tangente ao 
esferóide em um ponto. No tipo normal (ou 
polar), o ponto de tangência representa o pólo 
norte ou sul e os meridianos de longitude são 
linhas retas radiais que partem deste ponto 
enquanto paralelos de latitude aparecem como 
círculos concêntricos.
ƒ São freqüentemente usadas para mapear as 
regiões polares.
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
VariaVariaçções da Projeões da Projeçção Planaão Plana
A projeção plana é feita em relação a um 
ponto fixo (centro de perspectiva ou 
ponto de vista), havendo 3 situações:
™ Projeção gnomônica: PV é o centro da 
Terra;
™ Projeção estereográfica: PV é o 
ponto na superfície terrestre que 
se encontra diretamente oposto;
™ Projeção ortográfica: PV se acha 
no infinito.
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
DistorDistorçções na Projeões na Projeçção Planaão Plana
™ A distorção no mapa aumenta 
conforme se distancia do ponto 
de tangência. Considerando 
que distorção é mínima perto 
do ponto de tangência
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
VariaVariaçções da Projeões da Projeçção Planaão Plana
Projeção Azimutal Equivalente Projeção Azimutal Equidistante
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
ProjeProjeçções Cônicas:ões Cônicas:
™™ Na projeNa projeçção cônica, a superfão cônica, a superfíície terrestre cie terrestre éé
projetada sobre um cone imaginprojetada sobre um cone imagináário, tangente rio, tangente 
ou secante ao elipsou secante ao elipsóóide, que então ide, que então éé
longitudinalmente cortado e planificado.longitudinalmente cortado e planificado.
™™ Os paralelos (linhas de latitude) são Os paralelos (linhas de latitude) são 
representados por arcos circulares representados por arcos circulares 
concêntricos e os meridianos (linhas de concêntricos e os meridianos (linhas de 
longitude) por retas radiais igualmente longitude) por retas radiais igualmente 
espaespaççadas.adas.
™™ Este tipo de projeEste tipo de projeçção ão éé geralmente usado para geralmente usado para 
representarepresentaçção de regiões de latitude mão de regiões de latitude méédia dia 
(entre +25(entre +25°° e +65e +65°°, , --2525°° e e --6565°° de latitude). O de latitude). O 
resultado resultado éé uma menor distoruma menor distorçção na forma ão na forma 
original da superforiginal da superfíície representada.cie representada.
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
DistorDistorçções na Projeões na Projeçção Cônica ão Cônica 
™ Os paralelos estão representados em 
escala. A distorção é menor em uma 
faixa estreita ao longo do paralelo 
aumentando ao se distanciar do 
mesmo.
™ Os paralelos localizados entre os dois 
paralelos de referência (secantes) são 
menores que seu verdadeiro 
comprimento no esferóide, enquanto 
paralelos externos aos de referência 
são maiores.
™ O uso da secância na representação 
permite uma melhor distribuição da 
distorção e reduz a mesma nas 
proximidades do norte e sul do 
mapa.
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
VariaVariaçções da Projeões da Projeçção Cônica ão Cônica 
Projeção Cônica 
Equidistante
Projeção Cônica Equivalente
Projeção Cônica Conforme
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
ProjeProjeçções Cilões Cilííndricas: ndricas: 
™ A superfície terrestre é projetada sobre 
um cilindro tangente ou secante ao 
elipsóide que então é longitudinalmente 
cortado e planificado. 
™ Em todas as projeções cilíndricas, os 
meridianos e os paralelos são retas 
perpendiculares, como na esfera.
™ São geralmente usadas para mapas de 
toda a superfície terrestre, uma vez 
que tendem a evitar a grande distorção 
que acontece em projeções cônicas e 
azimutais em áreas que estão distantes 
do ponto de contato.
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
DistorDistorçções na Projeões na Projeçção ão 
CilCilííndrica ndrica 
™ No caso tangente, o Equador está
representado em escala e a 
distorção aumenta a medida que 
se distancia do Equador. Este tipo 
de projeção é geralmente usado 
para representação de regiões de 
latitude média-alta (entre -70° e 
+70° de latitude).
™ O uso da secância na 
representação permite uma 
melhor distribuição da distorção e 
reduz a mesma nas proximidades 
do norte e sul do mapa.
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
VariaVariaçções da Projeões da Projeçção Cilão Cilííndricandrica
Projeção cilíndrica ortográfica 
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
Projeção cilíndrica eqüidistante
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
Projeção cilíndrica conforme
4 4 \u2013\u2013 ProjeProjeçção Cartogrão Cartográáficafica
Introdução
Projeção conforme, cilíndrica e transversa.
Origem: raízes no século 18; uso após a 2a. Guerra 
Mundial, em 1947 pelo exército americano
UTM = Universal Transversa de Mercator
™ Universal: devido à utilização do elipsóide de Hayford
(1924), conhecido como elipsóide Universal, como modelo 
matemático de representação do globo terrestre;
™ Transversa: nome dado a posição ortogonal do eixo do 
cilindro em relação ao eixo menor do elipsóide;
™Mercator (holandês; 1512-1594): idealizador da projeção 
que apresenta os paralelos como retas horizontais e os 
meridianos como retas verticais. 
O Fuso UTM
O mundo é dividido em 60 fusos ou zonas
planificados, onde cada um se estende por 6° de 
longitude, havendo coincidência com os fusos da 
Carta Internacional ao Milionésico (escala 
1:1.000.000).
7 7 \u2013\u2013 ProjeProjeçção UTMão UTM
O sistema usa como superfície de projeção 60 cilindros transversos 
e secantes ao elipsóide, cada um com uma amplitude de 6° em 
longitude e tem como limites as latitudes 80° N e 80° S. 
Acima desses valores, as deformações se acentuam muito, assim 
para os pólos, usa-se a Projeção Universal Polar Estereográfica
(UPS).
7 7 \u2013\u2013 ProjeProjeçção UTMão UTM
Cada um destes fusos formará a base de uma 
projeção de um mapa. O achatamento 
necessário para projetar a superfície curva do 
fuso em uma superfície plana pode ser 
visualizado forçando esta faixa nesta superfície.
Comprimindo seu centro, podemos forçar a 
faixa a ficar plana até tocar totalmente a 
superfície lisa. Esta ação de planificação resulta 
em uma distorção leve das características 
geográficas dentro deste fuso. Mas, sendo o fuso 
relativamente estreito, a distorção é pequena e 
pode ser ignorada pela maioria dos usuários de 
mapas.
7 7 \u2013\u2013 ProjeProjeçção UTMão UTM
Numeração do Fuso UTM
™ Os fusos UTM recebem um número como 
denominação contado a partir do anti-
meridiano 180° (oposto ao Meridiano de 
Greenwich). O primeiro fuso, começando