estudodirigidocardioerespfarmacia
10 pág.

estudodirigidocardioerespfarmacia


DisciplinaFísica para Farmácia83 materiais125 seguidores
Pré-visualização3 páginas
e uma expiração forçada. É calculada pela fórmula: CV= VR + VRI + VRE= 4800mL
Capacidade Pulmonar Total: volume máximo de ar dentro dos pulmões. É calculada pela fórmula: CPT= VC + VR + VRI + VRE= 8000mL
- Outros Volumes Funcionais:
Volume do espaço morto anatômico: é o volume de ar efetivamente encontrado na zona condutora (±150mL).
Volume de ar que realmente chega na zona respiratória (VCr): VCr = VC \u2013 150mL= 350mL; ou 70% do VC
Volume Minuto: volume corrente multiplicado pela freqüência respiratória:
VM= VC x FR (movimentos respiratórios/ minuto)
VM= 500 x 12 = 6000mL
Trocas Gasosas
	De acordo com suas características físicas, os gases sempre se deslocam passivamente (difusão simples) conforme seu gradiente de pressão, ou seja, do local de maior para o local de menor pressão.
	Pressões parciais dos gases respiratórios ao longo da circulação:
Sangue arterial: pO2 = 100mmHg e pCO2 = 40mmHg
Sangue venoso: pO2 = 40mmHg e pCO2 = 45mmHg
Figura 1.: Difusão dos Gases ao longo do organismo. Adaptado de Tortora, G. O Corpo Humano: Fundamentos de Anatomia e Fisiologia. Ed. Artmed, 2000.
Transporte de Gases no Sangue
¤ Transporte de CO2:
O CO2 pode ser transportado de três formas:
7%: CO2 livre no plasma;
23%: nas hemáceas, associado à hemoglobina > Carbaminohemoglobina;
70%: HCO3- no plasma > Tampão plasmático:
Dentro da hemácea:
CO2 + H2O 		 H2CO3 	 HCO3- + H+
		Enzima Anidrase Carbônica
Elevação na pCO2 plasmático (Hipercapnia) > aumentam os níveis de H+ > Acidose respiratória
Redução na pCO2 plasmático (Hipocapnia) > reduzem os níveis de H+ > Alcalose respiratória
¤ Transporte de O2	
O O2 poderá ser transportado de duas formas:
- 2%: O2 livre no plasma
- 98%: ligado à hemoglobina > Oxihemoglobina
A curva de saturação hemoglobina \u2013 O2 (HbO2) descreve a alteração na afinidade da Hb pelo O2 ao longo da circulação.
	A afinidade entre a hemoglobina e o O2 depende de vários fatores, principalmente o pH; a temperatura e a pCO2. Alterações nestes parâmetros poderão causar desvios na curva:
Quando a curva desloca para a direita, a afinidade entre a hemoglobina e o O2 diminui, sendo liberado mais O2 para os tecidos;
Quando a curva desloca para a esquerda, a afinidade entre a hemoglobina e o O2 aumenta, sendo liberado menos O2 para os tecidos.
Figura 2: Alterações na curva de dissociação HbO2. Adaptada de Costanzo, L. Fisiologia, Ed. Elsevier, 2004.
Controle da Respiração
	O controle nervoso da respiração é feito de forma reflexa, envolvendo a participação de receptores sensoriais, fibras nervosas aferentes e eferentes e centros controladores no S.N.C.:
¤ Receptores
- Quimioreceptores Centrais (na área lateral do Bulbo encefálico) > reagem a variações nos níveis de CO2 e H+ no líquor.
- Quimioreceptores periféricos (no arco da aorta e na bifurcação das carótidas) > reagem a variações na pressão de O2 plasmática.
- Receptores Pulmonares:
de Estiramento > são estimulados pelo estiramento pulmonar;
de Substâncias Irritantes > são estimulantes pela presença de partículas estranhas nos pulmões;
Receptores J (Justacapilares) > envolvidos nas reações alérgicas e inflamatórias.
- Receptores Musculares e Articulares > responsáveis pelas alterações respiratórias durante o exercício;
- Baroreceptores Arteriais > responsáveis pelas alterações respiratórias devidas a alterações na pressão arterial.
¤ Centro Respiratório
- Centro Inspiratório: É o principal, é considerado o marca-passo da respiração. Seus neurônios possuem atividade intrínseca rítmica, gerando sinais estimulatórios para a musculatura inspiratória (diafragma e intercostais externos).
- Centro Expiratório: Entra em ação em uma expiração forçada, produzindo potenciais de ação que estimulam a contração dos músculos expiratórios (intercostais internos e abdominais).
- Centro Pneumotáxico: Diminui a ritmicidade do centro inspiratório, encurtando a inspiração. 
- Centro Apnêustico: Aumenta a ritmicidade do centro inspiratório, prolongando a inspiração.
¤ Córtex ( Controle consciente da respiração.
¤ Hipotálamo e Sistema Límbico ( Influência Emocional sobre a respiração.
¤ Efetores ( Músculos Respiratórios
Efeito do CO2 Sobre a Respiração: Em condições normais, o principal controlador da ventilação é a PCO2 no sangue arterial:
	Os principais receptores envolvidos são os quimioreceptores centrais. 
	A capacidade ventilatória em resposta ao CO2 pode ser afetada por fatores como o sono, idade, genéticos, raciais e individuais. 
	Atletas e mergulhadores possuem menor sensibilidade ao CO2.
Figura 3.: Reflexo dos Quimioreceptores Centrais
 Efeito do O2:
	Sempre que diminui O2,, ocorre hiperventilação.
	A sensibilidade ao O2 varia individualmente. No dia a dia seu efeito é mínimo, mas quando se viaja para altas altitudes (hipóxia) a ventilação aumenta gradualmente. Este efeito é mediado pelos quimioreceptores periféricos.
Figura 4: Reflexo dos Quimioreceptores Periféricos.
Figura 8.9: Reflexo dos Baroreceptores e Respiração.
DC = FC x DS= (no de batimentos / min) x (litros) ( 5L/min
PA= DC x RP
ou
PA= FC x DS x RP