estudodirigidosistemaurinario
4 pág.

estudodirigidosistemaurinario


DisciplinaFísica para Farmácia83 materiais126 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Distal
Ocorre reabsorção ativa de Na+ e passiva de água. Ambos se deslocam no mesmo sentido.
Secreção de várias substâncias, principalmente de K+.
Local de ação da aldosterona, que promove reabsorção de Na+ e secreção de K+.
Túbulo Coletor
O ducto (túbulo) coletor tem permeabilidade variável à água, dependendo da ação do ADH (hormônio antidiurético), proveniente da neurohipófise. 
Hormônio Anti-Diurético
O ADH é secretado quando os osmoreceptores hipotâlamicos detectam um aumento na osmolaridade plasmática (1%). Este hormônio liga-se em receptores nas porções finais do néfron, onde estimula a inserção de canais de água (aquaporinas) nas membranas celulares, promovendo a reabsorção de água e reduzindo o volume urinário. Em consenquência, é secretada uma urina hiperosmótica (1200mOsm). A redução no volume extracelular (diarréia, vômito, hemorragia), a nicotina, o exercício, o estresse também podem estimular a secreção deste hormônio. O ADH também pode reduzir a secreção salivar, o que estimula a sede. Nas situações contrárias, a secreção deste hormônio reduz e a urina fica copiosa e hiposmótica (75mOsm).
Micção
A capacidade média da bexiga urinária corresponde a 700-800ml. Quando o volume de urina atinge cerca de 200 a 400ml, receptores de estiramento em sua parede, transmitem estímulos para a medula espinhal, que os retransmitem até o córtex sensorial. Isto é interpretado como \u201cdesejo de urinar\u201d e inicia um reflexo subconsciente que ativa impulsos parassimpáticos que relaxam o esfíncter interno da uretra. A partir daí, comandos conscientes descem pela medula espinhal, estimulam as fibras parassimpáticas para o esfíncter externo da uretra, relaxando-o para que a urina seja liberada. 
Se não quisermos liberar a urina, comandos corticais inibitórios descem pela medula, inibem as fibras parassimpáticas e estimulam os motoneurônios, causando a contração do esfíncter externo.
	Incontinência: incapacidade de controlar voluntariamente o reflexo de micção.
Questionário
Que órgãos compõem o sistema urinário?
Quais as funções dos rins?
Descreva como a urina é produzida ao longo do néfron, explicando os processos básicos de produção de urina.
Faça uma comparação entre o plasma, o filtrado glomerular e a urina, citando semelhanças e diferenças.
Porque normalmente não existem células do sangue e proteínas no filtrado glomerular?
 A glicose e os aminoácidos estão presentes no filtrado, mas não aparecem na urina de uma pessoa saudável? Por quê? Descreva os mecanismos de transporte envolvidos.
 O que é taxa de filtração glomerular (TGF)? Que fatores podem influenciar a TGF? Explique-os.
Explique como o hormônio antidiurético (ADH) age sobre os rins.
Descreva a composição da urina. Qual o seu elemento principal? Qual o seu pH e o seu volume normais?
Por que a análise da composição da urina é importante para o diagnóstico de doenças? Que doenças podem ser diagnosticadas?
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
COSTANZO, Linda. Fisiologia. 2a.ed, 2004, Ed. Elsevier.
DAVIES, A; BLAKELEY, A.G.H. e KIDD, C. Fisiologia Humana. Ed. Artmed, 2002.
HANSEN, J.T. e KOEPPEN, B.M. Atlas de Fisiologia Humana de Netter. Ed. Artmed, 2003.
TORTORA, G. O Corpo Humano: Fundamentos de Anatomia e Fisiologia. Ed. Artes Médicas, 4a.ed., 2000.