CCJ0009-WL-RA-01-TP na Narrativa Jurídica-Estrutura das Peças Processuais _27-07-2012_
8 pág.

CCJ0009-WL-RA-01-TP na Narrativa Jurídica-Estrutura das Peças Processuais _27-07-2012_


DisciplinaTeoria e Prática da Narrativa Jurídica741 materiais3.479 seguidores
Pré-visualização3 páginas
sofreu traumatismo craniano e morreu. 
Perguntada por que tomara aquela atitude, disse que não gostaria que seu filho passasse por tudo o que os 
demais estavam passando: fome e miséria. Um exame realizado no Instituto Médico Legal apontou que Marcela 
se encontrava em estado puerperal[1] no momento em que matou o próprio filho. 
 
Caso concreto 2 
 
Este segundo caso ocorreu em São Paulo. A secretária Adriana Alves engravidou do namorado e, sem 
saber explicar por qual motivo, não contou o fato para ele; também não contou para mais ninguém. Seus pais, 
com quem morava, não sabiam de sua gravidez. Não compartilhou esse segredo com amigas ou colegas de 
trabalho. Definitivamente, ninguém conhecia a gestação de Adriana. 
Com o passar dos meses, Adriana não recebeu qualquer tipo de acompanhamento ou cuidado pré-natal 
especial; escondia a barriga com cintas e usava roupas largas. No mês de dezembro de 2006, quando participava 
de uma festa de final de ano, no escritório em que trabalha, sentiu-se mal e foi para casa. 
Sua intenção era realizar o parto sozinha e jogar a criança em um rio próximo à sua casa. Ocorre, porém, 
que o parto não transcorreu tranquilamente. Adriana teve complicações e teve de puxar à força a criança. Depois, 
matou-a afogada na bacia de água quente que separou para realizar o parto. Para se livrar da justiça, jogou a 
criança, já morta, no rio, enrolada em um saco preto. 
Muito debilitada, foi a um hospital buscar ajuda para si, mas não soube explicar o que aconteceu. Após 
breve investigação da Polícia, Adriana confessou tudo o que fizera. Exames comprovaram que ela não estava sob 
o estado puerperal. 
 
Questão 
 
Curso de Direito 
Turma A \u2013 Manhã - 2012.1 
Teoria e Prática da Narrativa Jurídica 
Prof.: Francysco Pablo Feitosa Gonçalves 
Disciplina: 
CCJ0009 
Aula: 
001 
Assunto: Estrutura das peças processuais e Teoria 
Tridimensional do Direito: contribuição das disciplinas de 
Português Jurídico 
Folha: 
4 de 8 
Data: 
27/07/2012 
 
MD/Direito/Estácio/Período-02/CCJ0009/Aula-001/WLAJ/DP 
a) Vimos que, em ambos os casos, as acusadas praticaram o mesmo fato (conduta), qual seja, \u201cmatar 
alguém\u201d. Entretanto, o Código Penal prevê diversos tipos penais para essa conduta, a depender das 
circunstâncias como o fato foi praticado. Produza uma tabela como a do exemplo abaixo. Indique, pelo 
menos, cinco artigos. 
 
 
ARTIGO TEXTO ESPECIFICIDADES 
 
 
 
 
 
Art. 157, § 3º do CP 
(latrocínio) 
Art. 157. Subtrair coisa móvel 
alheia, para si ou para outrem, 
mediante grave ameaça ou 
violência a pessoa, ou depois de 
havê-la, por qualquer meio, 
reduzido à impossibilidade de 
resistência: Pena - reclusão, de 
quatro a dez anos, e multa. 
§3º Se da violência resulta lesão 
corporal grave, a pena é de 
reclusão, de sete a quinze anos, 
além da multa; se resulta morte, 
a reclusão é de vinte a trinta 
anos, sem prejuízo da multa. 
 
 
O agente tem o dolo de 
matar e de roubar. Nessa 
hipótese, o roubo é o 
crime-fim, enquanto o 
homicídio é crime-meio. 
 
 
 
Art. 129, §3º do CP 
(lesão corporal 
seguida de morte) 
Art. 129. Ofender a integridade 
corporal ou a saúde de outrem: 
Pena - detenção, de três meses 
a um ano. 
§ 3° Se resulta morte e as 
circunstâncias evidenciam que o 
agente não quís o resultado, nem 
assumiu o risco de produzí-lo: 
Pena - reclusão, de quatro a 
doze anos. 
O agente pratica a lesão 
corporal de maneira dolosa 
e o homicídio de maneira 
culposa, ou seja, trata-se 
de um crime preterdoloso: 
dolo no antecedente e 
culpa no consequente. 
 
b) Ao perceber que as circunstâncias como a conduta é praticada influenciam substancialmente o crime 
imputado ao agente, o profissional do direito deve estar atento para selecionar todas as informações que 
não podem deixar de constar de sua exposição dos fatos. Identifique nos dois casos concretos quais 
informações não podem deixar de ser narradas e as indique em tópicos. 
c) Quais crimes praticaram Marcela e Adriana? Defenda seus pontos de vista em um parágrafo. 
 
[1] \u201cPuerpério\u201d e \u201cestado puerperal\u201d são coisas diferentes. Puerpério é o período que vai do deslocamento e 
expulsão da placenta à volta do organismo materno às condições anteriores à gravidez. Em outras palavras, é o 
espaço de tempo variável que vai do desprendimento da placenta até a involução total do organismo materno às 
suas condições anteriores ao processo de gestação (40 a 50 dias). Puerpério vem de puer (criança) e parere 
(parir). Importante frisar que o puerpério não quer significar que dele deva surgir uma perturbação psíquica. 
O estado puerperal é um momento de influência por uma situação específica pós-parto, interessando somente 
alguns dias após o parto (há aqueles que entendem que só pode durar por algumas horas após o parto e outros 
que entendem que poderia perdurar por um mês \u2013 divergência doutrinária). A medicina-legal tenta provar se a 
mulher era física ou psiquicamente normal, durante toda a sua vida, ou se a reação ocorreu somente naquele 
 
Curso de Direito 
Turma A \u2013 Manhã - 2012.1 
Teoria e Prática da Narrativa Jurídica 
Prof.: Francysco Pablo Feitosa Gonçalves 
Disciplina: 
CCJ0009 
Aula: 
001 
Assunto: Estrutura das peças processuais e Teoria 
Tridimensional do Direito: contribuição das disciplinas de 
Português Jurídico 
Folha: 
5 de 8 
Data: 
27/07/2012 
 
MD/Direito/Estácio/Período-02/CCJ0009/Aula-001/WLAJ/DP 
momento. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Estado_puerperal>. Acesso em: 09 de março de 2008. 
 
 
E-mail: 
 
 
 
Livros Recomendados: 
01-Néli Luiz Cavalieri Fetzner \u2013 Argumentação Jurídica 
02-Néli Luiz Cavalieri Fetzner \u2013 Interpretação e Produção de Textos Aplicadas ao Direito 
03-Valquíria da Cunha Paladino \u2013 Coesão e Coerência textual 
 
 
==XXX== 
 
 
RESUMO DE AULA (WALDECK LEMOS) 
 
1ª AULA \u2013 Estrutura das Peças Processuais e Teoria Tridimensional do Direito: 
Contribuição das disciplinas de Português Jurídico 
 
Estrutura das Peças Processuais e Teoria Tridimensional do Direito: 
Contribuição das disciplinas de Português Jurídico 
 
Teoria Tridimensional 
do Direito 
Macroestrutura de algumas das Principais Peças Processuais 
 Petição Inicial Parecer Sentença 
Fato Dos Fatos Relatório Relatório 
Valor Do Direito Fundamentação Motivação 
Norma Do Pedido Conclusão Dispositivo 
 
Tipos de Textos: 
 
-Narrativo; 
-Argumentativo; 
-Injutivo; 
-Descritivo. 
VER-001 Dispositivos: Artigo 282 do CPC (Código Processual Civil). 
VER-002 Dispositivos: Artigo 458 do CPC (Código Processual Civil). 
FAZER Ler: Capítulo 1: Coesão e Coerência \u2013 Valquíria da Cunha Paladino, do livro Coesão e Coerência 
Textuais (Valquíria da Cunha Paladino e outros). 
FAZER Ler: Capítulo: Entendendo Nosso Objeto de Estudo \u2013 Néli Luiz Cavalieri Fetzner, do livro 
Interpretação e Produção de Textos Aplicadas ao Direito (Néli Luiz Cavalieri Fetzner). 
 
 
 
Curso de Direito 
Turma A \u2013 Manhã - 2012.1 
Teoria e Prática da Narrativa Jurídica 
Prof.: Francysco Pablo Feitosa Gonçalves 
Disciplina: 
CCJ0009 
Aula: 
001 
Assunto: Estrutura das peças processuais e Teoria 
Tridimensional do Direito: contribuição das disciplinas de 
Português Jurídico 
Folha: 
6 de 8 
Data: 
27/07/2012 
 
MD/Direito/Estácio/Período-02/CCJ0009/Aula-001/WLAJ/DP 
==XXX== 
 
 
RESUMO DE AULA (PROFESSOR - AULA MAIS - ESTÁCIO) 
 
1ª AULA \u2013 Estrutura das Peças Processuais e Teoria Tridimensional do Direito: 
Contribuição das disciplinas de Português Jurídico 
 
Teoria e Prática da Narrativa Jurídica 
Professor Nelson Tavares 
Aula 01 
 
Sabemos que uma das expectativas dos estudantes do Curso de Direito é iniciar, quanto antes, a produção 
das principais peças processuais, em especial a petição inicial. As disciplinas Teoria e Prática da Narrativa 
Jurídica (segundo período), Teoria e Prática da Argumentação Jurídica (terceiro período) e Teoria e Prática 
da Redação Jurídica (quarto período) pretendem, juntas e progressivamente, ajudar você a desenvolver todas as