Tumores Cerebrais seminário 2011(2)

Disciplina:Clínica Médico-cirúrgica I58 materiais1.078 seguidores
Pré-visualização2 páginas
tratamentos.

TUMORES METASTÁTICOS
As metástases são mais bem identificadas pela RM com gadolínio.
As metástases que geralmente são bem circunscritas na junção substância cinzento-branca costumam associar-se a edema extenso.
Ocorre hemorragia numa metástase mais frequentemente quando ela é de melanoma, câncer renal e de tireoide, mas como as metástases cerebrais de câncer de pulmão são tão comuns, associam-se mais comumente a hemorragia.

TUMORES METASTÁTICOS
Os pacientes com metástases cerebrais têm sintomas e sinais neurológicos progressivos, que tipicamente incluem cefaleia e crises convulsivas.
As metástases cerebrais não se infiltram amplamente no tecido cerebral e tendem a ter uma pseudocapsula em torno de si, assim, podem ser completamente retiradas por cirurgia.
A radioterapia cerebral total pós-operatória melhora significativamente o controle da doença no SNC depois da ressecção de uma metástase cerebral única, mas não prolonga a sobrevida, porque os pacientes morrem pelo tumor sistêmico progressivo.

TUMORES METASTÁTICOS
A maioria dos pacientes com metástases cerebrais múltiplas é tratada melhor com um período de radioterapia cerebral total. Alguns pacientes com metástase cerebral única também são tratados com irradiação total do cérebro s estiverem em mau estado geral, se tiverem doença sistêmica não controlada ou se não forem bons candidatos à cirurgia.
A quimioterapia é utilizada para tratar metástases cerebrais de apenas alguns cânceres primários quimiossensíveis, como o câncer pulmonar de pequenas células e, em menor escala, o câncer de mama.
Poucos pacientes têm resposta significativa à quimioterapia, portanto, ela é utilizada como último recurso.

TUMORES METASTÁTICOS
2) METÁSTASES LEPTOMENÍNGEAS
O cérebro é o local intracraniano mais comum de metástases, mas o câncer sistêmico pode se propagar também à dura e às leptomeninges.
As metástases durais originam-se mais comumente de câncer de mama ou de próstata.
As metástases nas leptomeninges costumam se apresentar com sinais neurológicos multifocais.

TUMORES METASTÁTICOS
Essas metástases envolvem os pares cranianos causando diplopia ou paralisia bulbar; as raízes cervicais e lombares, causando dor ou parestesia na extremidade; e o espaço intracraniano, causando cefaleia, náuseas e vômitos.
O diagnóstico é estabelecido pela presença de células tumorais no LCR ou por neuroimagens que definitivamente dão o contorno do tumor no espaço subaracnoide.