Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Técnicas Operatórias Veterinária 8

Pré-visualização | Página 1 de 2

TÉCNICAS OPERATÓRIAS VETERINÁRIA – 04/05/2021
CARACTERÍSTICAS DE REAÇÃO TECIDUAL
· Todo fio de suturo é um corpo estranho ao tecido vivo, corpo do animal 
· Quanto maior o fio, maior a reação, então quanto mais grosso o fio, mais reação pode causar 
· A reação tecidual inicia-se no ato da passagem da agulha com o fio 
· A reação ao fio propriamente dita aparece entre o 2º e 7º dia após a sutura
· Reações intensas e prolongadas provocam infecção e deiscência da sutura (ruptura do nó, abertura da incisão)
REAÇÃO AO FIO 
1. Catgut simples: reação exsudativa mais intensa com presença de células polimorfonucleares (responsáveis pela absorção do fio através da fagocitose)
2. Catgut cromado: reação proliferativa com presença de células polimorfonucleares, possuindo uma exsudação menor que o simples, e possui a presença de células gigantes 
3. Ácido Poliglicólico vs. Poligalactina 910: reações teciduais discretas, logo a reação ao ácido Poliglicólico é sensivelmente maior e, por isso, sua absorção é mais demorada 
4. Aço: reação tecidual com formação de uma capsula fibrosa que reveste o fio 
5. Nylon: considerado inerte, apresentando baixíssima reação tecidual, depende de cada organismo e cada paciente de manifestar de formas diferentes ou não, podendo causar capsulas fibrosas ao redor do nó da sutura 
· Fios inabsorvíveis possuem resistência tênsil menos comprometida pela exsudação inicial e causam reação inflamatória crônica, com formação de granuloma de tipo coro estranho, onde o fio é envolto por tecido fibroso 
· Fios constituídos de proteína natural causam maior reação comparativamente àqueles de fibras sintéticas, assim como os multifilamentados são mais reativos que os monofilamentados
ESCOLHA DO FIO – FATORES A SEREM CONSIDERADOS 
· Conhecimento das propriedades do fio e sua interação com os tecidos 
· Os fios devem ser finos, já que não devem e nem precisam ser mais fortes do que os tecidos que aproximam (escolha o calibre adequado)
· O fio escolhido deve ter adequada resistência tênsil, medida em função do objetivo a se atingir e não pela força física do cirurgião 
· Deve ser sempre considerada a perda de resistência tênsil, principalmente nos fios absorvíveis, em função de sua metabolização 
· A experiencia e o habito do cirurgião também conta, porque dependendo do que é normal pra ele, opta pelo o mesmo
· Quando a presença do fio, além de sua finalidade primária, puder trazer complicações, a indicação será para o fio absorvível 
· Nos casos de locais que tenham uma cicatrização lenta, deve-se optar pelos fios não absorvíveis 
· Fios absorvíveis sintéticos por serem degradados por hidrolise, não são afetados pelos sucos gástricos e entéricos 
· A presença de infecção, consequentemente tem amolecimento dos tecidos, degeneração do colágeno e ter cuidado com a utilização do fio, porque pode haver ruptura da linha de sutura, tendo deiscência ou defeito de cicatrização sendo que as vezes é preciso fazer nova intervenção cirúrgica para correção 
AGULHA 
· Haste de aço inoxidável, com uma extremidade afilada e a outra possuindo um orifício por onde se posiciona o fio 
· Conduzem os fios através dos tecidos 
· Podem variar de conformação, de acordo com as necessidades dos tecidos a serem suturados, tipo de fio a ser conduzido e a localização da área a ser suturada 
· As agulhas podem possuir uma secção geométrica cilíndrica ou prismática 
· Podem ser retas, curvas ou mistas 
· As agulhas curvas podem apresentar comprimento de ¼ de círculo, de meio círculo, 3/8 de círculo e 5/8 de circulo
· A agulha mista, sua extremidade apresenta ¼ de círculo 
· A agulha em forma de S, geralmente seu manuseio é com a mão e não com o porta-agulha e mais utilizada em grandes animais 
· Na pele é preferível uma agulha cortante, já na região do intestino para fechar algo interno, é melhor uma atraumática 
· Agulha com curvatura de ¼ geralmente é pra cirurgias oftálmicas, já para cirurgias gerais geralmente é utilizado de 3/8 ou 1/4 , sendo de 2 a 3cm no máximo no seu comprimento 
CORPO DA AGULHA 
1. Cilíndrico: 
· Oferece pouca resistência 
· Comum em agulhas tidas como atraumáticas 
· Não oferece boa fixação para o porta-agulha 
2. Achatado: 
· Oferece pouca resistência 
· Comum em agulhas tidas como atraumáticas 
· Oferece boa fixação para o porta-agulha
3. Forma de trapézio:
· Agulha cortante 
· Utilizada em tecidos que oferecem mais resistência 
· Oferece boa fixação para o porta-agulha 
4. Triangular:
· Agulha mais cortante 
· Utilizada em tecidos que oferecem mais resistência 
PONTAS DA AGULHA 
· Encontra agulhas de ponta cilíndricas, romba e cortante 
· Ponta rombas são atraumáticas, e as cilíndricas também 
· Ponta cortante é que irá cortar o tecido de fato 
· Quando houver um símbolo de triângulo no fio, será cortante. Em caso de símbolo de bolinha com um ponto no meio será romba, e com a bola preta é cilíndrica 
SUTURAS 
Classificação quanto a continuidade 
1. Contínuas:
· Feita com um só fio, sem interrupção 
· Todas iniciam com um ponto simples e terminam com um ponto simples no final da sutura também 
· Vantagens ~> possui menor tempo cirúrgico 
· Desvantagens ~> quando um ponto sofre uma ruptura, toda a sutura se desfaz e maior quantidade de fio na ferida 
2. Interrompidas ou descontínuas: 
· A cada ponto se aplica um nó e o fio é cortado 
· Vantagens ~> Maior segurança na sutura tendo menos risco de ter deiscência da sutura, menor quantidade de fio na ferida e contribui para drenagem de seroma 
· Desvantagens ~> Maior tempo para execução, maior quantidade de nós aumentando a reação inflamatória e maior gasto de fio 
SUTURAS INTERROMPIDAS 
1. Simples interrompido: 
· Um tipo de ponto de sutura 
· A agulha entra por uma borda e sai pela a outra 
· Boa acomodação dos tecidos 
· Rápido e simples execução 
· É importante que os nós fiquem todos na lateral do ponto, evitando de ficar por cima da ferida, para evitar uma reação tecidual e ajudando no processo de cicatrização 
· Indicação do ponto é na pele, fáscia muscular, vaso sanguíneo, intestino, capsula renal, ureter, uretra, córnea, linha média, traqueia, nervo e diafragma 
2. Wolff, ponto em U ou colchoeiro horizontal:
· Um tipo de ponto
· Os fios não passam sobre as bordas da ferida 
· São realizadas duas passagens paralelas e equidistantes através da ferida 
· Boa sustentação da ferida 
· Não comprime as bordas da ferida 
· Indicado para pele, suturas de hernias e aponeuroses 
3. Donatti, ponto em U ou colchoeiro vertical:
· Um tipo de ponto 
· Os fios não passam sobre as bordas da ferida
· Boa sustentação da ferida
· Não comprime as bordas 
4. Wolff e Donatti captonadas: 
· Um tipo de ponto
· Iguais as suturas do Wolf e Donatti, porém agora utiliza captons para diminuir a tensão da sutura 
· Captons = tubos de plástico onde passará o fio na pele, cortando por exemplo, equipos, onde passa o soro e também sondas uretrais 
5. Swift: 
· Um tipo de ponto 
· Semelhante a sutura simples interrompido 
· O nó neste caso fica para o interior da ferida 
· Muito indicada para o esôfago cervical 
· É indicado o nó ficar pra dentro, porque dessa forma a ponto do no não ficará futricando o nervo da região do esôfago, ou outros locais para evitar a aderência de tecido por cima 
6. Sultan ou ponto em X:
· Um tipo de ponto 
· Ajuda a espalhar a tensão localizada 
· É uma sutura indicada para locais com tensão 
7. Perto-longe-longe-perto: 
· Utilizados para locais com muita tensão 
· Um tipo de ponto 
· Não consegue ter boa aproximação da borda da ferida 
· Passa como se fosse dois pontos, então um fica mais próximo a borda e o outro passa por cima, um pouco mais longe 
· Podemos entrar longe, e saindo longe, entrando perto e saindo perto, sendo longe-longe-perto-perto 
· Podemos entrar longe, sai perto da borda, entra com ele perto, e sai com ele longe, sendo o longe-perto-perto-longe
· Tem essas duas maneiras citadas acima para realizar a sutura 
· Muito utilizado em cirurgias oncológicas, porque retira uma boa parte da pele, sendo difícil pra suturar, ai ele
Página12