CCJ0009-WL-RA-04-TP na Narrativa Jurídica-Polifonia e Intertextualidade _17-08-2012_
7 pág.

CCJ0009-WL-RA-04-TP na Narrativa Jurídica-Polifonia e Intertextualidade _17-08-2012_


DisciplinaTeoria e Prática da Narrativa Jurídica736 materiais3.492 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Curso de Direito 
Turma A \u2013 Manhã - 2012.1 
Teoria e Prática da Narrativa Jurídica 
Prof.: Francysco Pablo Feitosa Gonçalves 
Disciplina: 
CCJ0009 
Aula: 
004 
Assunto: 
Polifonia e Intertextualidade 
Folha: 
1 de 7 
Data: 
17/08/2012 
 
MD/Direito/Estácio/Período-02/CCJ0009/Aula-004/WLAJ/DP 
Plano de Aula: 4 - Teoria e Prática da Narrativa Jurídica 
TEORIA E PRÁTICA DA NARRATIVA JURÍDICA 
Título 
4 - Teoria e Prática da Narrativa Jurídica 
Número de Aulas por Semana 
Número de Semana de Aula 
4 
Tema 
Modalização e questões gerais de norma culta aplicadas à linguagem jurídica. 
Objetivos 
O aluno deverá ser capaz de: 
- Aplicar, na produção do texto narrativo valorado, as estratégias modalizadoras; 
- Compreender o fenômeno narrativo não como manipulação da verdade (problema de ética), mas como 
construção de uma versão verossímil dos fatos; 
- Reescrever fragmentos de textos jurídicos que apresentem problemas de norma culta no tocante à linguagem 
forense. 
Estrutura do Conteúdo 
1. Narrativa jurídica valorada. 
1.1. Uso de modalizadores. 
1.2. Verossimilhança e diferentes versões dos fatos. 
2. Português jurídico e questões gerais de norma culta. 
2.1. Uso dos conectores \u201ceis que\u201d, \u201cde vez que\u201d, \u201cvez que\u201d e \u201cposto que\u201d. 
2.2. Uso de \u201cocorre que\u201d e \u201cinobstante\u201d. 
2.3. Pontuação nas orações subordinadas adjetivas e produção de sentido no discurso jurídico. 
2.4. Regras gerais para o registro dos dispositivos legais. 
2.5. Uso de estrangeirismos. 
2.6. Uso de letras maiúsculas nos termos que se referem às partes (autor, réu, requerente, requerido etc.). 
2.7. Uso de \u201catravés de\u201d. 
2.8. Uso de abreviações e a questão de \u201ca fls.\u201d e \u201cde fls.\u201d 
2.9. Uso dos pronomes \u201cesse\u201d e \u201ceste\u201d. 
2.10. Uso de \u201co mesmo\u201d e \u201conde\u201d. 
Aplicação Prática Teórica 
A modalização consiste na atitude do falante em relação ao conteúdo objetivo de sua fala. Um dos 
elementos discursivos mais empregados na modalização consiste na conveniente seleção lexical. De fato, em 
muitos casos, uma mesma realidade pode ser apresentada por vocábulos positivos, neutros ou negativos, tal 
como ocorre em: sacrificar / matar / assassinar; compor / escrever / rabiscar; cidadão / réu / assassino. 
Dessa forma, uma leitura eficiente deve captar tanto as informações explícitas quanto as implícitas. 
Portanto, um bom leitor deve ser capaz de \u201cler as entrelinhas\u201d, pois, se não o fizer, deixará escapar significados 
importantes, ou pior ainda, concordará com idéias ou pontos de vista que rejeitaria se os percebesse. Assim, para 
ser um bom produtor de texto jurídico, é necessário que o emissor esteja apto a utilizar os recursos disponíveis na 
língua a serviço da modalização. 
Não se trata de mentir ou manipular, o que constituiria verdadeiro problema de ética profissional e humana. 
Trata-se, isso sim, de construir versões verossímeis sobre como se desenvolveu a lide. 
Leia o texto a seguir, disponível na Internet, sobre a ocupação, pela Polícia e pelas Forças Armadas, do 
conjunto de favelas do alemão, no Rio de Janeiro, em novembro de 2010. 
ESPERAMOS ANSIOSAMENTE QUE, APÓS A INVASÃO POLICIAL, 
O GOVERNO DO ESTADO ANUNCIE A INVASÃO SOCIAL 
"Atenção moradores do Alemão e da Vila Cruzeiro, a partir de hoje iniciaremos a construção de unidades 
hospitalares com medicos 24 horas, a construção de escolas profissionalizantes e de incubadoras industriais para 
geração de empregos; criaremos unidades de alfabetização e de formação em ensino primário, o mesmo vale para 
as outras comunidades \u2018pacificadas\u2019". 
 
 
Curso de Direito 
Turma A \u2013 Manhã - 2012.1 
Teoria e Prática da Narrativa Jurídica 
Prof.: Francysco Pablo Feitosa Gonçalves 
Disciplina: 
CCJ0009 
Aula: 
004 
Assunto: 
Polifonia e Intertextualidade 
Folha: 
2 de 7 
Data: 
17/08/2012 
 
MD/Direito/Estácio/Período-02/CCJ0009/Aula-004/WLAJ/DP 
Esperamos ansiosamente esse anúncio, que logicamente deveria ser dado em seguida à ocupação. Afinal, 
fala-se muito nessa ação do poder do Estado. Que tipo de poder? Afinal, o único poder do Estado é a 
força? Certamente tem o poder também de promover a inclusão social que dê um pouco de esperança aos 
que são obrigados a viver no morro! 
(Adaptado de texto disponível em: http://dineymonteiro.nireblog.com/post/2010/11/28/ 
comecou-a-invasao-do-alemao. Acesso em: 10 de dezembro de 2010) 
 
Questão 1 
Após a leitura do texto, faça uma análise das estratégias modalizadores que são observadas. 
 
Questão 2 
Leia os fragmentos adiante e reescreva-os, adequando-os à norma culta da Língua Portuguesa. 
 
A) Os autos foram apensados aos da medida cautelar de sustação de protesto, através do qual a autora logrou a 
sustação liminar do protesto. 
B) Insta salientar que a informante Ana Buarque, secretária do demandante, não narra qualquer humilhação que 
este tenha sofrido, até mesmo porque era a depoente que ia ao 7º Ofício de Imóvel tentar resolver a pendência, 
ora sozinha, ora em companhia da Dra. Maria dos Milagres. 
C) A culpa, em sede penal, precisa ser demonstrada. 
D) O advogado apelou, sob a alegação de que o magistrado desconsiderou os documentos de fls. 30-34, os quais, 
por certo, comprovarão a obrigação do réu. 
E) O consumidor, que é hipossuficiente, faz jus à inversão do ônus da prova. 
F) É inadmissível inovar o pedido em sede de recurso, visto que não se pode recorrer do que não foi objeto de 
discussão e decisão em primeira instância (RT 811/282). 
G) A contestante opõe-se apenas a esse item: o pedido de renovação, pois pretende a retomada para uso próprio, 
posto que seu objeto social é muito mais amplo do que o da Autora. 
H) Incumbia à autora provar os fatos, através de perícia, que deve ser tempestivamente requerida ao magistrado. 
I) Considerando que os meios de verificação das chamadas telefônicas são informatizados e, inobstante 
suscetíveis de inúmeras falhas, não resta configurada, in casu, a abusividade que ensejaria a devolução em 
dobro. 
J) Antes de entrar no elevador, verifique se o mesmo encontra-se neste andar (Lei/DF Nº 3212 de 30.10.03) 
L) Todavia, o registro lhe foi negado, sem o menor fundamento, posto que conforme certidão de ônus reais do 
imóvel, emitida em 22/06/2010, o imóvel estava livre de impedimentos. 
M) Ocorre que outra indisponibilidade foi averbada no dia 11/09/2008 e, mais uma vez, o Autor precisou ingressar 
com demanda para cancelamento do gravame, o que aconteceu em 04/05/2010. 
N) Leia atentamente os fragmentos abaixo. marque a letra correspondente à alternativa correta quanto ao registro 
dos dispositivos legais. 
a) \u201cA inobservância dos incisos I e II do artigo 226 do Código Penal, não gera a nulidade dos autos de 
reconhecimento.\u201d 
b) \u201cTal regramento regimental afeiçoa-se, dando-lhe aplicação aos arts 96, I, a e 125 § 1o, da Constituição da 
República Federativa do Brasil.\u201d 
c) \u201cO recorrente alegou que fora contrariada a literalidade do art. 485 IV e V c/c os arts 295, I, p. ú., II e III, e 267, I 
e IV, do CPC.\u201d 
d) \u201cO MP denunciou Xênio Zamir por atitude comportamental subsumida no art.121, § 2º, II e IV c/c o art. 61, II, \u2018e\u2019 
do CP.\u201d 
 
 
==XXX== 
 
 
RESUMO DE AULA (WALDECK LEMOS) 
 
4ª AULA \u2013 Polifonia e Intertextualidade 
 
Curso de Direito 
Turma A \u2013 Manhã - 2012.1 
Teoria e Prática da Narrativa Jurídica 
Prof.: Francysco Pablo Feitosa Gonçalves 
Disciplina: 
CCJ0009 
Aula: 
004 
Assunto: 
Polifonia e Intertextualidade 
Folha: 
3 de 7 
Data: 
17/08/2012 
 
MD/Direito/Estácio/Período-02/CCJ0009/Aula-004/WLAJ/DP 
 
Polifonias: 
 
-Citação Direta: ou Perífrase. 
-Citação Direta com até 03 linhas: Citação curta => só colocar entre aspas. 
-Citação Direta com 04 linhas ou mais: Fonte menores, espaçamento 5 e recuo 
 
Citação Indireta: ou Parafrase. Só precisa escrever e não deturpar a idéia do autor central. 
 
Devemos usar a A.B.N.T. nas Petições? 
Nas Petições temos liberdade maior e não precisa usar a A.B.N.T. 
 
Reprodução Ideológica de Conteúdos 
 
 
P/P/Aula Responder: Trabalho-01. 
FAZER Ler: Capítulo: Modalizadores \u2013 Néli Luiz Cavalieri Fetzner,