Lesoes nao melanociticas

Disciplina:Clínica Médico-cirúrgica I58 materiais1.079 seguidores
Pré-visualização1 página
*

TUMORES DE PELE

NÃO MELANOCÍTICOS

*

LESÕES PRÉ-MALIGNAS

CERATOSE ACTÍNICA
DOENÇA DE BOWEN
CERATOACANTOMA

LESÕES MALIGNAS

CARCINOMA DE CÉLULAS ESCAMOSAS
CARCINOMA DE CÉLULAS BASAIS

*

Ceratose actínica

Escama amarelo-acastanhada aderente sobre base eritematosa
Geralmente múltiplas e pequenas (menores que 1,0 cm)
Áreas expostas, pele danificada cronicamente

*

Ceratose actínica

Há potencial maligno, risco de CCE
O prognóstico é excelente se tratada nesta fase

*

Ceratose actínica

*

Ceratose actínica

*

Ceratose actínica

Pode haver formação de corno cutâneo, quando a produção de queratina é muito pronunciada

*

Corno cutâneo

*

Queilite actínica

*

Queilite actínica

*

Ceratose actínica

Histologicamente há displasia em vários estágios, desde leve até carcinoma in situ

*

Comparando:

*

Doença de Bowen
Carcinoma intra-epidérmico
Placa bem definida avermelhada, algo aveludada podendo ser recoberta por crosta
Geralmente solitária
Relacionada ao arsênico
Face, mãos, dorso, genitais, MMII

*

Eritroplasia de Queyrat = Doença de Bowen

*

Doença de Bowen

Histologicamente é carcinoma in situ (intraepidérmico), com displasia em graus variáveis; acompanhado de hiperceratose

*

Ceratoacantoma
Tumoração de crescimento rápido
Homens, acima de 50 anos
Pele exposta ao sol
Região malar
Nariz
Orelhas
Mãos
Região cervical

*

Ceratoacantoma

Nódulo cupuliforme bem delimitado
Cor da pele circunjacente
Centro crostoso
Bordas elevadas

*

Ceratoacantoma

*

Ceratoacantoma

*

Ceratoacantoma

Histologicamente é um CCE bem diferenciado, com limites bem definidos
Há formação de cúpula de células tumorais que se infiltram como lingüetas para a profundidade
A cratera central é preenchida por queratina densa, formando rolha córnea

*

Comparando:

*

Carcinoma de células escamosas (CCE)

Áreas expostas ou protegidas
Idosos
Homens > mulheres
Potencial de formar metástases ou recidivas locais (5% dos casos)

*

Carcinoma de células escamosas
Fatores causais

luz UV; tratamento com radiação (psoríase, UVA);
hidrocarbonetos policíclicos (alcatrão, piche, fuligem);
arsênico;
cicatrizes prévias, úlceras crônicas (Marjolin);
doenças genéticas (xeroderma pigmentoso);
doenças de mucosas (líquen esclero-atrófico da vulva);
vírus HPV ;
terapia com imunossupressores (mostarda nitrogenada)

*

Carcinoma de células escamosas

Clínica:
Área de pele espessada e endurecida
Crescimento lateral e vertical, formando nódulo fixo com margens irregulares
Ulceração ou formação de crosta
Na mucosa, área de espessamento, brancacenta (leucoplasia)

*

Carcinoma de células escamosas
Fatores de mau prognóstico
Lesão originada em área irradiada
Metástases mais freqüentes
Lesão em pavilhão auricular, lábios, área genital e ânus
Pouca diferenciação
Profundidade
Idade avançada

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas

*

Carcinoma de células escamosas - microscopia
Bem diferenciado
Lingüetas ou ilhas infiltrantes de tumor
Formação córnea óbvia (queratinização)
Desmossomas bem evidentes
Atividade mitótica pouco pronunciada
Pleomorfismo mínimo

*

Carcinoma de células escamosas - microscopia
Moderadamente diferenciado
Maior pleomorfismo
Desorganização arquitetural
Atividade mitótica aumentada, com mitoses atípicas
Pérolas de queratina ou queratinização individual das células

*

Carcinoma de células escamosas - microscopia
Pouco diferenciado
Pleomorfismo acentuado
Células anaplásicas arredondadas
Necrose e disceratose de células isoladas
Diagnóstico por
Desmossomas isolados
Pequenos focos de queratinização

*

Carcinoma de células basais (CCB)
Pele tipo I e II em áreas expostas
Mais comum na face
Crescimento lento, indolor
Raramente metastatiza
Localmente invasivo e destrutivo
Podem ser pigmentados
Origem na epiderme ou folículo piloso

*

Carcinoma de células basais
Subtipos:
Superficial
Sólido ou nodular
Cístico
Morfeico
Pigmentado
Úlcera roedora

*

CBC superficial

Placa vermelha descamativa discretamente elevada, semelhante à placa psoriática
Podem ser únicas ou múltiplas
Mais freqüentes no tronco
Crescimento lento, por anos
Exame cuidadoso revela borda elevada

*

CBC superficial

*

CBC superficial

*

CBC superficial

*

CBC superficial

*

CBC sólido

*

CBC superficial: histologia

Ninhos de células tumorais interconectados
Margens difíceis de determinar

*

CBC nodular ou nódulo-cístico
75% dos casos
Semelhante a um nevo ou cisto
Pode ter superfície lisa ou lobulada
Associado a telangiectasias superficiais
Geralmente não é ulcerado

*

CBC nodular (sólido)

*

CBC nodular (sólido)

*

CBC nodulocístico

*

CBC nodulocístico

*

CBC nodulocístico

Padrão adenóide
Espaços císticos no interior do tumor

*

CBC morfeico
Esclerodermiforme
Placa ligeiramente elevada, lisa, firme
Assemelha-se a cicatriz
Disseminação insidiosa, infiltrativa, profunda
Excisão difícil (infiltrativo)

*

CBC morfeico

*

CBC morfeico

*

CBC morfeico : histologia

Proliferação de tecido conjuntivo
Fibrose intratumoral
Mitoses freqüentes

*

Carcinoma basocelular pigmentado
Pápula que se torna nodular e ulcera centralmente
Formação de crosta que nunca cura
Bordas intensamente pigmentadas
Lembra melanoma
Histologia
Depósitos densos de melanina no interior das células ou extracelularmente

*

CBC pigmentado

*

CBC pigmentado

*

CBC pigmentado: histologia

Depósitos densos de melanina extracelularmente ou no interior das células tumorais

*

CBC úlcera roedora (ulcerativo)
Indolor, sangramento freqüente, formação de crosta, nunca cura
Inicia com pápula que ulcera centralmente
Margem bem definida, elevada e enrolada, com aspecto perolado
Telangiectasias freqüentes nas margens
Histologia
Ilhas de pequenas células com paliçada periférica característica

*

CBC úlcera roedora

*

CBC úlcera roedora

*

CBC tratamento
Curetagem e cauterização
Nas lesões pequenas
Excisão cirúrgica
Microcirurgia de Mohs
Radioterapia
Idosos
Atemorizados
Fracassos cirúrgicos