Apostila UNIJUÍ - Redes empresariais e gestão da qualidade
60 pág.

Apostila UNIJUÍ - Redes empresariais e gestão da qualidade


DisciplinaGestão da Qualidade16.268 materiais219.938 seguidores
Pré-visualização14 páginas
Barquero (2001), segundo o qual 
\u201cas experiências de desenvolvimento local mostram que o caminho 
a seguir passa pela formulação e aplicação de uma estratégia de 
desenvolvimento empresarial, operacionalizada com base em ações 
que buscam realizar objetivos de produtividade e competitividade\u201d, 
pode-se afirmar que a organização em redes empresariais e o inves-
timento nas marcas das redes apresentam fatores potenciais para 
que o desenvolvimento seja dinamizado por meio das pequenas 
empresas. 
Agora, pesquise um exemplo de rede empresarial, consórcio ou 
outra forma de união entre empresas e comente sobre essa prática:
_______________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
Em maio de 1992, desenvolveu-
se na região da Emilia Romagna, 
na cidade de Bologna, na Itália, a 
marca compartilhada como uma 
nova forma de organização para 
valorização do produto, que veio 
consolidar a afirmação crescente 
do mercado da batata, mediante 
um consórcio para a gestão da 
marca \u201cBatata Típica de Bologna\u201d. 
No entendimento de Casarotto 
Filho e Pires (1999), a experiência 
italiana da região Emília Romagna 
mostra um modelo de redes de 
pequenas empresas com meca-
nismos de integração e desenvol-
vimento local, visto que pode ter 
atingido um dos maiores graus 
de prosperidade do mundo. 
O exemplo de rede utilizado 
naquela região é o consórcio 
de valorização de produto, em 
que cooperativas e empresas de 
comercialização unem-se em es-
forços de marketing e qualidade 
para tornar um determinado pro-
duto mais conhecido além-fron-
teiras. Além disso, pode-se acres-
centar os consórcios de compra 
de insumos ou matérias-primas. 
Na área industrial, os consórcios 
de formação de produtos; os con-
sórcios de marcas e consórcios 
de exportação são exemplos im-
portantes. Destaque ainda para as 
cooperativas e os consórcios de 
crédito, que possibilitam crédito 
barato, abundante e ágil para as 
pequenas empresas.
A batata típica da Bologna era 
uma commodity, ou seja, produto 
sem diferenciação, que teve uma 
produção em alta escala com o 
objetivo de saciar a fome de cam-
poneses e do exército no período 
entre a Primeira e a Segunda 
Guerras Mundiais. 
EaD
43
redes empresariais e gestão da qUalidade
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
_____________________________________________________________
A partir do excesso de produção, 
no entanto, qualificaram o produ-
to, instalando a mecanização e a 
melhoria dos serviços de seleção, 
limpeza, embalagem, logística, 
etc., assegurando um sistema 
de distribuição e valorização 
crescente do produto, por meio 
de um minucioso processo de 
marketing. 
O objetivo das cooperativas 
naquela região era a busca da 
valorização do produto e de 
assegurar a origem e tradição 
do cultivo da batata, porém ao 
mesmo tempo se acompanhava 
o desenvolvimento genético do 
produto, com o intuito de melho-
rar a qualidade.
Casarotto Filho e Pires (1999) 
destacam a importância de 
observar o local para a instituição 
de um modelo de desenvolvimen-
to, pois o local dependerá das 
características encontradas na 
microregião e das necessidades 
endógenas do ambiente em estu-
do, sendo de acordo com o grau 
de interação das redes internas e 
ainda a capacidade de reação do 
tecido econômico e institucional 
para novas desafios.
Os produtores integrantes do 
programa da região possuíam as-
sistência técnica e garantia para 
a revenda do produto. De fato, o 
desenvolvimento, o fortalecimen-
to das regiões, a participação de 
todos influenciou no crescimento 
e sucesso da produção da batata 
e no desenvolvimento da região.
Casarotto Filho e Pires apre-
sentam esse caso enfatizando a 
evolução do processo e toda a 
capacidade de articulação entre 
os produtores rurais e as diver-
sas entidades de apoio. Por fim, 
existe hoje a \u201cbolsa da batata\u201d, 
que é uma experiência nova na 
Itália e funciona como um acordo 
interinstitucional (não oficial) 
para determinar o preço de venda 
do produto, acompanhar as 
variações do mercado e garantir a 
comercialização da batata.
EaD
45
redes empresariais e gestão da qUalidade
gestão da qUalidade 
em redes empresariais
Nesta Unidade vamos debater a gestão da qualidade e a sua 
importância no processo de redes empresariais.
seção 6.1
qualidade em produtos e serviços
Com uma competição cada vez mais global e crescente, a exi-
gência por produtos e serviços perfeitos,