Cap20
73 pág.

Cap20


DisciplinaPlanejamento da Producao27 materiais264 seguidores
Pré-visualização31 páginas
seguinte, Bem-sucedido? (G7:G11), são células pressupostas
que terão um valor 0 ou 1 para cada tentativa de uma execução de simulação. Esse valor
indica se o projeto correspondente falharia (valor 0) ou seria bem-sucedido (valor 1) naque-
20.7 OTIMIZAÇÃO POR MEIO DO OPTQUEST 53
\u25a0 TABELA 20.6 Dados para o problema de seleção de projetos da Tazer
Investimentos em P&D Receitas (US$ milhões) se Bem-sucedido
Projeto (US$ milhões) Taxa de Sucesso Média Desvio-padrão
\u201cPara Cima\u201d 400 50% 1.400 400
\u201cEstável\u201d 300 35% 1.200 400
\u201cEscolha\u201d 600 35% 2.200 600
\u201cEsperança\u201d 500 20% 3.000 900
\u201cAlívio\u201d 200 45% 600 200
la tentativa se ele fosse levado adiante. Logo, a distribuição de probabilidades introduzida
em cada uma dessas células pressupostas precisa ser uma distribuição binomial, em que os
parâmetros são: o número de tentativas para essa distribuição é 1 e a probabilidade de obter-
se sucesso nessa tentativa é dada na coluna D.
Para introduzir essa distribuição na primeira célula pressuposta (G7), dê um clique
duplo na distribuição binomial na Distribution Gallery do Crystal Ball (mostrada na Figura
20.9) para acionar a caixa de diálogo Uniform Distribution. Em seguida, introduza 1 como
número de tentativas e refira-se à célula de dados D7 introduzindo a fórmula \ufffdD7 para a
probabilidade de se obter sucesso. Em vez de repetir esse processo para as células pressu-
postas G8:G11, é mais rápido copiar e colar o parâmetro de probabilidade-de-sucesso para
essas outras células pressupostas. Isso é iniciado selecionando-se a célula G7 e clicando-se
no botão Copy Data na barra de ferramentas do Crystal Ball (o sétimo botão da esquerda
para a direita) ou selecionando-se Copy Data do menu Cell. Em seguida, selecione as célu-
las nas quais colará os dados (G8:G11) e escolha Paste Data (clicando nesse botão na barra
de ferramentas do Crystal Ball ou então selecionando esse item no menu Cell). Os números
das linhas serão atualizados apropriadamente para fazer referência à célula de dados na linha
correta da coluna D durante esse processo de copiar e colar. Por exemplo, o parâmetro de
probabilidade-de-sucesso da distribuição binomial na célula G8 será atualizado para \ufffdD8.
As células na coluna H, Receita (H7:H11), também são células pressupostas. A distri-
buição de probabilidades para cada uma delas é uma distribuição normal com os parâme-
tros dados nas colunas E e F. Logo, a caixa de diálogo Normal Distribution seria usada para
introduzir-se essa distribuição na primeira dessas células pressupostas (H7). Os parâmetros
de média e de desvio-padrão nessa caixa de diálogo precisam se referir às células de dados
E7 e F7 e, portanto, as fórmulas \ufffdE7 e \ufffdF7 seriam introduzidas nesses pontos. O proces-
so de copiar e colar descrito anteriormente seria então usado para introduzir a distribuição
normal com os parâmetros apropriados nas células pressupostas H8:H11.
As células na coluna J, Decisões (J7:J11), são as variáveis de decisão para o modelo.
Cada uma dessas variáveis de decisão é uma variável binária, isto é, uma variável cujos úni-
cos valores possíveis são 0 e 1. Por exemplo, a caixa de diálogo Define Decision Variables
da Figura 20.27 mostra como a variável de decisão na célula J7 é definida dessa maneira
dando a ela limites de 0 e 1 e então especificando que se trata de uma variável discreta com
um tamanho de passo igual a 1. As outras quatro variáveis de decisão são definidas da
mesma forma.
Para cada projeto listado na coluna B, a variável de decisão correspondente na coluna
J tem a seguinte interpretação.
Variável de decisão \ufffd \ufffd
O orçamento (C15) fornece a quantia máxima que pode ser investida nesses projetos de
pesquisa e desenvolvimento. A célula de saída Investido (C13) registra a quantia total inves-
tida nos projetos, dadas as decisões sobre quais deles foram aprovados. A equação introdu-
zida nessa célula é mostrada abaixo da planilha no lado esquerdo da Figura 20.26. O orça-
mento limitado significa que as variáveis de decisão devem satisfazer a seguinte restrição 
Investido (C13) 	 Orçamento (C15)
As células de saída Lucro (I7:I11) dão o lucro (receita menos investimento) de cada
projeto em cada tentativa de uma execução de simulação. O lucro de um projeto é 0 se ele
for rejeitado. Caso seja aprovado, a receita é 0 se o projeto não for bem-sucedido (confor-
me indicado por um 0 na linha correspondente da coluna G). Se o projeto for bem-sucedido
(conforme indicado por um 1 em sua linha da coluna G), a receita nessa tentativa será o valor
aleatório que aparece na linha correspondente da coluna H. Portanto, as equações introduzi-
das em Lucro (I7:I11) são aquelas expostas no canto inferior direito da Figura 20.26. Note
também que SUM (Lucro) fornece o valor na célula de previsão LucroTotal (I13).
se aprovar o projeto
se rejeitar o projeto
1,
0,
54 CAPÍTULO 20 SIMULAÇÃO
20.7 OTIMIZAÇÃO POR MEIO DO OPTQUEST 55
13
In
ve
st
id
o
=
SU
M
PR
O
DU
CT
(R
an
dD
Inv
es
tm
en
t,D
ec
isi
on
s)
6 7 8 9 10 11
I
Pr
of
it
=
D
ec
is
io
ns
*(S
uc
ce
ss
?*
Re
ve
nu
e-R
an
dD
Inv
es
tm
en
t)
=
D
ec
is
io
ns
*(S
uc
ce
ss
?*
Re
ve
nu
e-R
an
dD
Inv
es
tm
en
t)
=
D
ec
is
io
ns
*(S
uc
ce
ss
?*
Re
ve
nu
e-R
an
dD
Inv
es
tm
en
t)
=
D
ec
is
io
ns
*(S
uc
ce
ss
?*
Re
ve
nu
e-R
an
dD
Inv
es
tm
en
t)
=
D
ec
is
io
ns
*(S
uc
ce
ss
?*
Re
ve
nu
e-R
an
dD
Inv
es
tm
en
t)
13
I
H
Lu
cr
o 
to
ta
l (U
S$
 m
ilh
õe
s)
=
SU
M
(P
rof
it)
N
om
e 
da
 F
ai
xa
 
de
 C
él
ul
a 
C
él
ul
as
O
rç
am
en
to
D
ec
is
oe
s
In
ve
st
id
o
Lu
cr
o
R
an
dD
In
ve
st
em
t
R
ec
ei
ta
Be
m
-s
uc
ed
id
o?
Lu
cr
oT
ot
al
C1
5
J7
:J
11
C1
3
I7
:I1
1
C7
:C
11
H
7:
H
11
G
7:
G
11
I1
3
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15
A
B
Se
le
çã
o 
de
 P
ro
jet
o c
om
 R
es
tri
çã
o n
o O
rç
am
en
to
 
In
ve
st
im
en
to
s
em
 P
&D
Ta
xa
 d
e
R
ec
ei
ta
 (U
S$
 m
ilh
õe
s)
Pr
oje
to
(U
S$
 m
ilh
õe
s)
Su
ce
ss
o
M
éd
ia
De
sv
io
-p
ad
rã
o 
Be
m
-s
uc
ed
ido
?
(B
em
-su
ce
did
o)
Lu
cr
o
D
ec
is
õe
s
Pa
ra
 C
im
a
40
0
50
%
40
0
0,
5
0,
00
0
Es
tá
ve
l
30
0
35
%
40
0
0,
35
0,
00
0
Es
co
lh
a
60
0
35
%
60
0
0,
35
0,
00
0
Es
pe
ra
nç
a
50
0
20
%
90
0
0,
2
0,
00
0
Al
ív
io
20
0
45
%
1.
40
0
1.
20
0
2.
20
0
3.
00
0
60
0
20
0
0,
45
0,
00
0
In
ve
st
id
o
0
Lu
cr
o 
to
ta
l (U
S$
 m
ilh
õe
s)
0,
00
<
=
O
rç
am
en
to
1.
20
0
Re
ce
ita
 E
st
im
ad
a 
(U
S$
 m
ilhõ
es
) s
e B
em
-su
ce
did
o 
(D
istr
ibu
içã
o N
orm
al)
I
J
C
D
E
F
G
H
B
C
1.
20
0
2.
20
0
60
0
1.
40
0
3.
00
0
\u25a0
FI
G
U
R
A
 2
0
.2
6
U
m
 m
od
el
o 
de
 p
la
ni
lh
a 
p
ar
a 
ap
lic
aç
ão
 d
a 
si
m
ul
aç
ão
 a
o 
p
ro
bl
em
a 
de
 s
el
eç
ão
 d
e 
p
ro
je
to
 d
a 
Ta
ze
r 
C
or
p
. 
A
s 
cé
lu
la
s 
p
re
ss
up
os
ta
s 
sã
o 
Be
m
-s
uc
ed
id
as
?
(G
7:
G
11
) 
e 
Re
ce
ita
 (
H
7:
H
11
),
 a
s 
va
riá
ve
is
 d
e 
de