Direitos Absolutistas

Direitos Absolutistas


DisciplinaHistória do Direito7.632 materiais299.166 seguidores
Pré-visualização1 página
*
*
*
*
BAIXA IDADE MÉDIA E ÉPOCA MODERNA
(séculos XIII a XVIII)
Visão geral:
No séc. XIII, verifica-se uma mudança considerável na estrutura da sociedade medieval. Já iniciada no séc. XII, esta mudança prossegue até ao fim da Idade Média.
O poder do rei é reforçado e alargado, tanto em França como na Inglaterra.
*
*
Concentração e consolidação do poder nas mãos de um número limitado de personagens (imperadores, reis, duques, condes e outros príncipes territoriais) \u2013 séc. XII e XIII.
Uma organização administrativa estatal desenvolve-se, suplantando a velha hierarquia feudal.
Surgem grandes cidades.
Uma economia de troca substitui a economia fechada.
A lei reaparece como fonte de direito.
*
*
O costume não deixa de desempenhar um papel essencial.
A atividade legislativa permanece bastante reduzida, confinada aos domínios do direito administrativo e econômico. No domínio do direito civil o costume permanece a principal fonte do direito.
O direito canônico atinge o apogeu da sua autoridade nos séculos XII a XIII. Exerce uma influência profunda sobre o desenvolvimento de certas partes do direito consuetudinário laico, designadamente o processo.
*
*
A decadência do direito canônico começa no séc. XIV, com o Grande Cisma do Ocidente e a laicização do direito.
Assiste-se nos séculos XV e XVI a uma verdadeira recepção do direito romano como direito subsidiário na maior parte dos países da Europa Ocidental.
Sistemas de provas racionais substituem as provas irracionais, tais como os ordálios e os duelos judiciários. 
*
*
As partes deixam de recorrer a Deus para resolver os seus conflitos, pedem a juízes, ou mesmo a árbitros, para investigarem a verdade e decidirem tendo em conta regras de direito.
Justiça e equidade aparecem como fundamento do direito.
O direito objetivo se sobrepõe ao direito substantivo.
*
*
Época Moderna
Na evolução do direito público e privado na Europa Ocidental, ocorre uma ruptura brutal entre os tempos modernos e a época contemporânea, em conseqüência das transformações políticas e sociais resultantes da Revolução Francesa do fim do séc. XVIII.
*
*
Tendência para unificação do direito
No domínio jurídico, a unificação do direito é um dos objetivos visados pelos soberanos de tendência absolutista, vêem aí um meio para eliminar os particularismos regionais e locais e destruir os privilégios de certos grupos sociais. O rei da França realiza esta unificação por via legislativa.
*
*
Tendência para segurança jurídica
A partir do séc. XVI, as regras de direito são cada vez mais estabelecidas por escrito, dando assim aos interessados uma maior segurança.
Legislação real
A legislação torna-se por excelência a fonte viva do direito, tende a eliminar progressivamente o costume, que revoga ou suplanta. É o soberano que legifera, respeitando os costumes do país.
*
*
Redação oficial dos costumes
O costume permanece a fonte principal do direito civil, mas muda de caráter: os soberanos ordenam a redução a escrito dos costumes, uma vez escrito e homologado, deixa de ser um verdadeiro costume para se tornar uma lei de origem consuetudinária.
*
*
Influência crescente do direito romano
A romanização do direito nos países da Europa Continetal acentuou-se fortemente durante os tempos modernos. Em alguns países, o direito romano é mais ou menos oficialmente recebido como direito subsidiário. Embora não seja oficialmente recebido na maior parte da França, é, no entanto, admitido como ratio scripta, como razão da escrita.
*
*
O direito romano permanece como direito canônico e com poucas exceções, a única matéria ensinada em faculdades de direito.
O ensino e o método de estudo do direito romano sofrem profundas mudanças séc. XVI por influência do Renascimento e do Humanismo.
*
*
A doutrina
A doutrina já não se centra exclusivamente sobre o estudo do direito romano e do direito canônico, dedica-se também a analisar leis e sobretudo costumes (doutrina consuetudinária).
A jurisprudência
As decisões das altas jurisdições exercem uma influência real sobre as jurisdições inferiores.
*
*
Declínio do direito canônico
O direito canônico conhece um rápido declínio, como fonte do direito laico, a partir do séc. XVI. A Reforma subtrai uma grande parte da Europa à religião católica. Mesmo na maior parte dos países que permaneceram católicos, escapam finalmente aos tribunais eclesiásticos para entrarem nos domínios regidos pela legislação real.