[Prof. Carlão] Analise_granulometrica
12 pág.

[Prof. Carlão] Analise_granulometrica


DisciplinaProcessamento de Minerais I210 materiais2.052 seguidores
Pré-visualização1 página
*
*
*
Análise granulométrica 
peneiramento (100.000 a 37 \uf06dm);
subpeneiramento (50 a 1 \uf06dm);
 Alpine air (40 a 1 \uf06dm);
 sedimentação/elutriação (150 a 0,01 \uf06dm);
microscopia ótica (5 a 0,001 \uf06dm);
sedigraph (50 a 1 \uf06dm).
*
*
*
Os fatores que mais influenciam na eficiência do peneiramento são:
Massa de material a ser ensaiada;
Escolha adequada das técnicas de peneiramento;
Limpeza apropriada das peneiras, para evitar o cegamento das mesmas;
Tempo de peneiramento;
umidade
*
*
*
 peneirador suspenso a seco e a úmido. 
Peneiramento:
A seco
A úmido
Combinado \u2013 neste caso faz-se peneiramento a úmido peneira de 325# ou 400#, o retido é seco e peneirado a seco. 
*
*
*
Escala de peneiramento
Das escalas ou série das peneiras existentes, a Tyler (cuja unidade é o mesh - #) é a mais utilizada. 
 toma-se como referência a peneira de 74 micra, correspondendo a 200 #, que significa 200 aberturas em uma polegada linear. 
*
*
*
*
*
*
Mi= X[(di + ds)/2].A.\uf072
= massa máxima retida na peneira de abertura i;
X= número de camadas de partículas admitida, varia de 1 a 3;
di= abertura da peneira em análise;
ds= abertura da peneira acima;
A= área da peneira;
\uf072 =densidade do material a ser peneirado.
*
*
*
Tabela I
Onde:
di \uf0aeabertura das peneiras;
Pi\uf0ae peso retido em cada peneira;
Pt\uf0aepeso total da amostra;
Fi\uf0ae freqüência acumulada maior que em cada peneira;
\u2018Fi\uf0ae freqüência acumulada menor que em cada peneira;
*
*
*
Onde:
Pp	peso do picnômetro vazio com rolha;
Pp+m 	 peso do picnômetro mais minério;
Pp+m+a	 peso do picnômetro com minério e água;
Pp+a 	 peso do picnômetro mais água. 
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*