Apostila de Introducao ao Estudo do Direito
79 pág.

Apostila de Introducao ao Estudo do Direito


DisciplinaIntrodução ao Direito I86.707 materiais502.852 seguidores
Pré-visualização20 páginas
houve casos!.
------------------------------------------ Jurisprudência ---------------------------------
No Direito Antigo, jurisprudência significava a sabedoria dos prudentes, 
os sábios do Dto ou, mesmo a Ciência do Direito.
Modernamente significa o conjunto de decisões dos tribunais, ou uma 
série de decisões similares sobre uma mesma matéria.
Em seu contínuo labor de julgar, os tribunais desenvolvem a análise do 
direito, registrando na prática, as diferentes hipóteses de incidência das normas 
jurídicas. Sem o escopo de inovar, essa atividade oferece importante 
contribuição à experiência jurídica. 
Ao revelar o sentido e alcance das leis, o Poder Judiciário beneficia a 
ordem jurídica, tornando-a mais definida, mais clara e mais acessível ao 
conhecimento.
Para bem se conhecer o Direito que efetivamente rege as relações sócias, 
não basta apenas conhecer a lei, é indispensável o estudo das decisões judiciais 
dos tribunais.
Entre a jurisprudência e o costume há semelhanças e alguns pontos de 
distinção.
Jurisprudência e Costume:
==A formação de ambos exige a pluralidade de prática: enquanto o 
costuma necessita da repetição de um ato pelo povo, a jurisprudência requer 
uma série de decisões judiciais sobre determinada matéria de Direito.
## enquanto o costume é obra de uma coletividade a jurisprudência é 
produto de um setor da organização social;
##Costume é criado no relacionamento comum entre as pessoas e a 
jurisprudência forma-se diante de conflitos que são julgados pelos tribunais;
## o costume é criação espontânea, enquanto a jurisprudência é criação 
intelectual, reflexiva.
35
O grau de liberdade dos juízes
Quanto à margem de liberdade a ser atribuída ao Judiciário, a doutrina 
registra três propostas:
1- A livre estimação: 
Norteada pelo idealismo de justiça esta corrente preconizou ampla 
liberdade aos juízes que poderiam aplicar o dto com base nos princípios de 
equidade.
Buscam possibilitar a justiça do caso concreto independentemente do 
ditame legal \u2013 Ex: direito alternativo
Visando tornar o direito positivo mais racional e adequado aos valores 
éticos, o princípio da razoabilidade e proporcionalidade pelo qual as normas jurídicas 
devem ser entendidas como fórmulas lógicas e justas para a realização de 
determinados fins, tem sido atualmente consagrada pela doutrina e pelos juízes.
2- Limitação à subsunção:
Aqui o juiz opera apenas com os critérios rígidos das normas jurídicas, 
com esquemas lógicos, sem possibilidade de contribuir com a sua experiência, 
na adaptação do ordenamento à realidade emergente.
Com essa orientação se evitaria o subjetivismo e o arbítrio nos 
julgamentos, ao mesmo tempo em que se preservaria a integridade dos códigos.
3- Complementação coerente e dependente do preceito:
Como um ponto de equilíbrio entre os dois radicalismos acima, esta 
constitui a posição mais aceita e que reconhece a necessidade de se conciliarem 
os interesses de segurança jurídica pelo respeito ao direito vigente, com um 
indispensável margem de liberdade aos juízes.
A Jurisprudência cria o Direito ?
Para o Common Law a jurisprudência constitui uma importante forma 
de expressão do Direito. Ao fundamentar uma pretensão judicial, os advogados 
indicam uma série de sentenças ou acórdãos prolatados pelos tribunais com 
pertinência ao caso enfocado.
Para os ordenamentos do sistema romano-germânico, prevalece o 
entendimento de que o papel da jurisprudência limita-se a revelar o dto 
preexistente.
- Súmula Vinculante.
36
-------------------------------DOUTRINA JURÍDICA---------------------------------
Conceito: \u201cA doutrina jurídica compõe-se de estudos e teorias, desenvolvidos 
pelos juristas, com o objetivo de sistematizar e interpretar as normas vigentes e de 
conceber novos institutos jurídicos, reclamados pelo momento histórico.\u201d(Paulo 
Nader)
A doutrina jurídica é considerada como um fator de conservação da 
organização social, por fornecer suporte científico ao Direito que estrutura e 
informa às instituições e aos órgãos da sociedade.
O cientista do Direito, que indaga o desconhecido, para cumprir o seu 
papel, necessita reunir algumas qualidades: 
- independência;
- autoridade científica;
- responsabilidade.
Funções da doutrina
1- Formação das leis;
2- interpretação do Direito Positivo;
3- crítica aos institutos vigentes.
Influência da doutrina no mundo jurídico
A Ciência do Direito proporciona resultados práticos no setor da 
legislação, dos costumes, na atividade judicial e no ensino do Direito. 
A doutrina se desenvolve apenas no plano teórico, oferecendo valiosos 
subsídios ao legislador, na elaboração dos documentos legislativos.
Se ao legislador compete a atualização do Direito Positivo, a tarefa de 
investigar os princípios e institutos necessários é própria dos juristas.
A atividade doutrinária de sistematização e interpretação das normas 
jurídicas beneficia o trabalho dos advogados, juízes, promotores.
A influência da obra dos juristas se torna mais palpável e decisiva no 
tocante ao ensino do Direito nas universidades.
A doutrina como fonte indireta do Direito
Ao submeter o Dto Positivo a uma análise crítica e ao conceber novos 
conceitos e institutos, a doutrina favorece o trabalho do legislador e assume a 
condição de fonte indireta do Direito.
Os estudos científicos, reveladores do Direito vigente e de suas 
tendências, não obrigam os juízes.
37
Argumento de autoridade
O argumento \u201cab auctoritate\u201d consiste na cotação de opiniões 
doutrinárias, como fundamento de uma tese jurídica que se desenvolve, 
normalmente perante a justiça. 
Ao atuar nos pretórios, em defesa de seus clientes, o advogado deve 
empregar todos os elementos éticos disponíveis para induzir o julgamento às 
conclusões que lhe são favoráveis.
A citação doutrinária deve ser feita de forma razoável, sem excesso e com 
oportunidade.
O advogado deve procurar convencer com base em suas técnicas de 
interpretação, tomando como referência o Direito Positivo.
A doutrina não obriga os juízes, porém é mais fácil para o causídico e 
também para o magistrado que, receoso de errar, prefere ficar com a 
jurisprudência dominante e com os autores de projeção.
------------------------------------
ANALOGIA--------------------------------------------
Noções de integração e lacunas da lei
A integração é um processo de preenchimento de lacunas, existentes na 
lei, por elementos que a própria legislação oferece ou por princípios jurídicos, 
mediante operação lógica e juízos de valores.
A integração se processa pela analogia e princípios gerais de Direito.
A lacuna se caracteriza não só quando a lei é completamente omissa em 
relação ao caso, mas igualmente quando o legislador deixa o assunto a critério 
do julgador.
As falhas ou lacunas que os códigos apresentam não revelam, 
forçosamente incompetência do legislador, nem atraso da ciência.
A integração da lei não se confunde com as fontes formais, nem com os 
processos de interpretação do Dto. 
Os elementos de integração não constituem fontes formais porque não 
formulam diretamente a norma jurídica, apenas orientam o aplicador para 
localizá-las.
A pesquisa dos meios de integração não é atividade de interpretação, 
porque não se ocupa em definir o sentido e o alcance da lei.
Uma vez assentada a disposição aplicável, aí sim se desenvolve a 
interpretação. 
38
O postulado da plenitude da ordem jurídica
Se há divergência doutrinárias quanto às lacunas jurídicas, do ponto de 
vista prático vigora o postulado da plenitude da ordem jurídica, pelo qual o Direito 
Positivo é