Introducao ao Diagnostico Clinico

Introducao ao Diagnostico Clinico


DisciplinaPropedêutica Clínica162 materiais1.717 seguidores
Pré-visualização3 páginas
*
*
*
Como fazer o diagnóstico ?
Os melhores médicos selecionam algumas poucas características ou dados da anamnese e do exame físico para proceder ao diagnóstico.
Quais ? Vide a(s) queixa(s) principal(is)
*
*
*
Tipos de Diagnósticos
Diagnóstico sindrômico
Diagnóstico anatômico ou topográfico
Diagnóstico funcional
Diagnóstico diferencial
Diagnóstico etiológico
*
*
*
Diagnóstico Sindrômico
Sintoma é a sensação subjetiva referida pelo paciente, como dor, mal estar, ansiedade, sensação de vertigem, etc. É um fenômeno só por ele percebido.
Sinal é a manifestação objetiva da doença, física ou química, diretamente observada pelo médico ou por ele provocada, como tosse, alterações da cor da pele, ruídos normais do coração (sopros, etc.).
Sinais ou sintomas patognomônicos são aqueles exclusivos de uma doença determinada e indicam, de maneira quase absoluta sua existência. 
*
*
*
Diagnóstico Sindrômico
Síndrome é um conjunto de sinais e sintomas que se apresentam para definir uma entidade mórbida que pode, entretanto, ser produzida por causas muito diversas por ex. síndrome urêmica, síndrome febril, síndrome de derrame pleural, síndrome do desconforto respiratório agudo, síndrome de mononucleose infecciosa etc.
Entretanto, nem tudo é ou pode ser uma síndrome. Por vezes é melhor traduzir por problemas, por ex. pneumonia comunitária, pericardite, fratura, etc. 
*
*
*
Diagnóstico Anatômico ou Topográfico
Presume-se o local da doença do paciente, com base nos principais sintomas, por exemplo: náuseas e vômitos - doença localizada no aparelho digestivo, na região abdominal.
	Tosse com catarro amarelo - esverdeado \u2013 doença localizada no tórax, provavelmente no aparelho respiratório
*
*
*
Diagnóstico Funcional
Os dados propedêuticos indicam o mal funcionamento de orgão ou sistema. Exemplos são a insuficiência renal crônica, insuficiência cardíaca congestiva, insuficiência hepática, etc.
E necessário o conhecimento de como se comportam as diversas disfunções orgânicas.
*
*
*
Diagnóstico Diferencial
Os dados propedêuticos indicam diversas doenças potencialmente capazes de serem responsáveis pelos sinais e sintomas apresentados pelo paciente.
Exemplo: Paciente com dor abdominal e ictericia pode ser portador de: hepatite viral, hepatite transinfecciosa, hepatite medicamentosa, doença da via biliar calculosa ou não, doença pancreática, tumor de papila, anemia hemolítica, anemia falciforme, etc. 
Quanto melhor o médico, maior o número de diagnósticos diferenciais ele é capaz de fazer.
*
*
*
Diagnóstico Etiológico
Após o correto processo propedêutico chega-se ao diagnóstico da causa da doença. Geralmente é acompanhado do melhor tratamento disponível para o caso.
Poucas doenças apresentam cura (por ex. doenças infecciosas e parasitarias), a maioria tem controle (por ex. diabetes mellitus, hipertensao arterial) e em poucas não existe tratamento disponível (por ex. câncer metastático, AIDS em fase terminal). Neste último caso se não é possivel curar tratar controlar, devemos cuidar da pessoa doente.
*
*
*
Tipos de Diagnósticos
Doença comum \u2212 Apresentação comum
	\u2212 fácil diagnóstico
Doença comum \u2212 Apresentação incomum
	 \u2212 difícil diagnóstico
Doença rara \u2212 Apresentação comum
	 \u2212 diagnóstico diferencial bem feito soluciona
Doença rara \u2212 Apresentação incomum
	 \u2212 dificílimo diagnóstico, requer grande conhecimento e muita perspicácia...
*
*
*
O bom médico...
Doença comum \u2212 Apresentação comum
	\u2212 fácil diagnóstico
Doença comum \u2212 Apresentação incomum
	 \u2212 difícil diagnóstico
Doença rara \u2212 Apresentação comum
	 \u2212 diagnóstico diferencial bem feito soluciona
Doença rara \u2212 Apresentação incomum
	 \u2212 dificílimo diagnóstico, requer grande conhecimento e muita perspicácia...
*
*
*
O bom médico...
Doença comum \u2212 Apresentação comum
	\u2212 fácil diagnóstico
Doença comum \u2212 Apresentação incomum
	 \u2212 difícil diagnóstico
Doença rara \u2212 Apresentação comum
	 \u2212 diagnóstico diferencial bem feito soluciona
Doença rara \u2212 Apresentação incomum
	 \u2212 dificílimo diagnóstico, requer grande conhecimento e muita perspicácia...
ACERTA
*
*
*
O bom médico...
Doença comum \u2212 Apresentação comum
	\u2212 fácil diagnóstico
Doença comum \u2212 Apresentação incomum
	 \u2212 difícil diagnóstico
Doença rara \u2212 Apresentação comum
	 \u2212 diagnóstico diferencial bem feito soluciona
Doença rara \u2212 Apresentação incomum
	 \u2212 dificílimo diagnóstico, requer grande conhecimento e muita perspicácia...
ACERTA
ACERTA
*
*
*
O bom médico...
Doença comum \u2212 Apresentação comum
	\u2212 fácil diagnóstico
Doença comum \u2212 Apresentação incomum
	 \u2212 difícil diagnóstico
Doença rara \u2212 Apresentação comum
	 \u2212 diagnóstico diferencial bem feito soluciona
Doença rara \u2212 Apresentação incomum
	 \u2212 dificílimo diagnóstico, requer grande conhecimento e muita perspicácia...
ACERTA
ACERTA
ACERTA
*
*
*
Como Estudar Semiologia no Século XXI ?
1. Quantificação da anamnese, exame clínico e exames complementares no diagnóstico clínico.
2. Discutir a quantificação dos sinais do exame clínico - dicotomia ou em cruzes ?
3. Verificar a acurácia das informações coletadas na anamnese e no exame clínico.
4. Trabalhar com conceitos de sensibilidade e especificidade dos sinais e sintomas; conceitos de VPP e VPN; razões de verossimilhança positivas e negativas.
*
*
*
Como Estudar Semiologia no Século XXI ?
Sensibilidade - taxa de verdadeiros positvos (TVP); é a proporção de pessoas com certa doença e resultado do teste positivo.
Especificidade - taxa de verdadeiros negativos (TVN); é a proporção de pessoas sem a doença ou distúrbio com resultado de teste negativo.
Acurácia = (TVP + TVN) / (no de pessoas avaliadas)
RVP = sensibilidade / (1 - especificidade)
RVN = (1 - sensibilidade) / especificidade
*
*
*
O valor da Semiologia
\u201cMesmo quando os pacientes são referenciados a centros terciários após exaustiva investigação laboratorial, a atenção do especialista se direciona apropriadamente à anamnese e exame clínico. Quando um gastroenterologista de um centro terciário recebeu um paciente já submetido a uma ampla investigação laboratorial (endoscopia, exames de sangue e radiológicos), ele exclamou: Só sobrou para nós fazermos a anamnese e o exame clínico!...\u201d
*
*
*
Medicina
Perguntaram-me se a Medicina era baseada mais na Arte ou na Ciência Médica...
Respondi que a Medicina não é Arte nem Ciência, é uma Profissão...
*
*
*
Obrigado pela atenção