Resumo Técnica Cirúrgica prova 1
6 pág.

Resumo Técnica Cirúrgica prova 1


DisciplinaNoções Anátomo-cirúrgicas6 materiais142 seguidores
Pré-visualização2 páginas
o saco no colo, fecha o peritônio com chuleio simples com fio de absorção lenta, aproxima o músculo, faz embricamento na bainha anterior, fecha tcsc e pele. A bainha anterior é tratada ou por aproximação simples, ou por embricamento de Mayo ou por tela de prolene, depende da aparência e consistência da aponeurose. Se colocar tela tem q colocar dreno sempre por 2 a 5 dias. A tela deve ser fixada com fio monofilamentar 1-0 inabsorvível \u2013 mononylon ou prolene.
Suturas gastrintestinais
- planos: em 1 ou em 2 planos
- Plano perfurante/total ou Plano não-perfurante/seromuscular 
- contínuas ou separadas
	*Contínuas para plano total:
1. Chuleio Simples ( post ou ant)
2. Schimieden (ant)
3. Connel (ant)
	*Separado Total
1. Ponto simples total
	*Contínua Seromuscular
1. Cushing
2. Lembert
	* Separado seromuscular
1. Lembert
>Chuleio simples: mucosa-serosa, serosa-mucosa; 2 a 3 mm no máximo da borda, entre um ponto e outro no máximo 5mm.
>Schimieden: tomada sempre de dentro para fora, mucosa-serosa, mucosa-serosa; tem melhor afrontamento das bordas, sem acavalamento.
>Cushing: tomada do ponto paralelo a linha de sutura, pega serosa e muscular
>Lembert: chuleio simples seromuscular, a tomada é perpendicular a linha de sutura. Pode ser contínuo ou separado
A sutura gastrintestinal é feita em dois planos devido a sua luz contaminada, faz um por fora seromuscular que vai evitar a contaminação de toda cavidade abdominal por saída de contaminantes da luz intestinal e evita problema de fístulas. A camada serosa cicatriza rápido e forma fibrina celando a região da sutura em 24hrs, isolando da cavidade.
Pode fazer plano único em : ferimentos de intestino pequenos, bolsa seromuscular, anastomose T-T intestinal na pediatria, piloroplastia.
Laparotomias
Mediana:
	ABERTURA
	FECHAMENTO
	PONTO
	FIO
	Pele
	Gordura pré-peritoneal e peritônio+ fáscia transversal
	Chuleio simples
	1 ou 0, absorção lenta \u2013catigute cromado
	TCSC
	Linha Alba
	Ponto em X
	1 ou 2, Inabsorvível- seda, nylon, prolene
	Linha Alba
	TCSC
	Ponto simples
	3-0 ou 4-0, absorção lenta \u2013 catigute cromado ou vycril
	Gordura pré-peritoneal e peritônio
	Pele
	Sarnofi ou Donnati
	3-0, inabsorvível- Nylon
Supra e infra umbilical a técnica é a mesma, só tem diferença anatômica .
Pararretal Interna:
1 a 2 cm lateral e paralelo a linha média.
	ABERTURA
	FECHAMENTO
	PONTO
	FIO
	Pele
	Peritônio+gordura pré-peritoneal+Fáscia transvesal+ Bainha posterior do reto
	Chuleio simples ou ancorado
	1 ou 0, absorção lenta \u2013 catigute cromado
	TCSC
	Reinserção do m.reto na linha Alba
	Pontos em U
	1 ou 0, absorção lenta \u2013 catigute cromado
	Bainha anterior do m.Reto
	Bainha anterior do reto
	Ponto em X
	1 ou 0, inabsorvível
	Dissecção da Borda medial do m.Reto
	TCSC
	Ponto simples
	3-0 ou 4-0, absorção lenta, catigute cromado ou vycril
	Bainha Posterior do reto
	Pele
	Sarnofi ou Donnati
	3-0, inabsorvível - Nylon
	Gordura pré-peritoneal e peritônio
	
	
	
Na pararretal externa é a mesma coisa, só muda o sentido de afastamento da borda muscular do Reto abdominal.
Transrretal:
Incisão deve ser pequena para lesar o menor número de feixes vasculo-nervosos, e quanto mais para lateral maior o número. Incisões muito grandes facilitam hérnias, atrofia muscular, hipoestesia abdominal. 
	ABERTURA
	FECHAMENTO
	PONTO
	FIO
	Pele
	Peritonio+ gordura+ fáscia transversal +bainha posterior do reto
	Chuleio simples ou ancorado
	0 ou 1, absorção lenta
	TCSC
	Aproximação das fibras do reto
	Pontos em U
	0, absorção lenta
	Bainha anterior do reto
	Bainha anterior do reto
	Ponto em X
	1 ou 0, inabsorvível
	Divulssão das fibras do reto
	TCSC
	Ponto simples
	3 ou 4-0, absorção lenta
	Bainha Posterior do reto
	Pele
	Sarnofi ou Donnati
	3-0, nylon
	Gordura e peritônio
	
	
	
Pfannestiel:
Incisão 1 ou 2 cm acima do púbis, usada em cesáreas e cirurgias ginecológicas. Incisão levemente arciforme, simétrica com concavidade superior. Os 3 primeiros planos de ABERTURA são em sentido TRANSVERSAL, depois são LONGITUDINAIS. Isso mantém a parede resistente e tem menor incidência de hérnias.
	ABERTURA
	FECHAMENTO
	PONTO
	FIO
	Pele
	Gordura+peritonio+f. tranversalis
	Chuleio simples
	1 ou 0, absorção lenta
	TCSC
	Aproximação das bordas musculares
	Pontos em U
	1 ou 0, absorção lenta
	Bainha anterior do Reto \u2013 Descola a bainha do músculo para os lados e para cima liberando a rafe
	Bainha anterior do reto
	Chuleio contínuo (gineco e uro)
Pontos em X 1 ou 0 inabsorvível é outra opção
	0, absorção lenta, vycril
	Secciona a Rafe mediana
	TCSC
	Ponto simples
	3 ou 4-0 de absorção lenta
	Divulciona as fibras do m.reto (acima) e do piramidal (abaixo)-longitudinal
	Pele
	Intradérmica
	5-0, inabsorvível
	Fascia transversalis
	
	
	
	Gordura pré-peritoneal e peritonio
	
	
	
Mc Burney
Acha o ponto de Mc. e faz incisão metade acima e metade abaixo com inclinação paralela ao lig inguinal.
	ABERTURA
	FECHAMENTO
	PONTO
	FIO
	Pele
	Peritônio, gordura pré, fáscia transversalis
	Chuleio contínuo
	0, absorção lenta
	TCSC
	Transverso
	Pontos em U
	0, absorção lenta
	M.OE e sua bainha
	MOI
	Pontos em U
	0, absorção lenta
	M.OI
	MOE e sua aponeurose
	Pontos em X
	0 ou 1, inabsorvível
	M.Transverso
	TCSC
	
	
	Fáscia transversalis
	Pele
	
	
	Gordura e peritonio
	
	
	
Subcostal de Koscher
	ABERTURA
	FECHAMENTO
	PONTO
	FIO
	Pele 1 a 2 cm abaixo do rebordo costal contornando-o
	
	
	
	TCSC
	
	
	
	MOE (lat) Bainha anterior do M.Reto (medial)
	
	
	
	Fibras do MOE e do MReto
	
	
	
	Bainha post do M.Reto (medial) e M.Transverso (Lat)
	
	
	
	Fáscia transversalis gordura pré peritoneal e peritônio