SJJ - AULA 5
4 pág.

SJJ - AULA 5


DisciplinaSociologia Jurídica6.437 materiais51.452 seguidores
Pré-visualização2 páginas
III, e 153, § 2º, I. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
Parágrafo único. Aos juízes é vedado:
 - exercer, ainda que em disponibilidade, outro cargo ou função, salvo uma de magistério;
 - receber, a qualquer título ou pretexto, custas ou participação em processo;
 - dedicar-se à atividade político-partidária.
- receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios ou contribuições de pessoas físicas, entidades públicas ou privadas, ressalvadas as exceções previstas em lei; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
 - exercer a advocacia no juízo ou tribunal do qual se afastou, antes de decorridos três anos do afastamento do cargo por aposentadoria ou exoneração. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
A Vitaliciedade: O juiz, em princípio, não pode perder o cargo a não ser por decisão judicial. Isto quer dizer que em hipótese alguma o chefe do Executivo Federal, ou Estadual, pode demitir um magistrado, muito embora possa fazer isso em relação a qualquer funcionário público, ainda que estável, desde que, neste último caso, a demissão seja precedida de inquérito administrativo para apurar falta grave. Tratando-se de juiz, somente o Tribunal a que o mesmo estiver vinculado, ainda assim por decisão de dois terços dos membros, poderá decretar a perda do cargo. A razão da vitaliciedade é dar ao magistrado a segurança e tranqüilidade necessária para que possa julgar sem sofrer qualquer pressão quanto ao seu cargo. Seguro está o juiz de que, por julgar com imparcialidade e honestidade, seja a sua decisão contra quem for, jamais virá a perder o cargo. Ninguém poderá ameaçá-lo por ser correto e fiel no exercício da sua função. (Sérgio Cavalieri Filho)
A Inamovibilidade: O Juiz não pode ser removido compulsoriamente de sua sede de atividade, salvo por motivo de interesse público e pelo voto de dois terços dos membros do seu Tribunal. Significa dizer que o magistrado, diferentemente de qualquer outro funcionário público, não pode ser transferido do lugar onde exerce as suas funções. Nem mesmo é obrigado a aceitar uma promoção que implique em sua transferência. A remoção do juiz, salvo na hipótese de interesse público, só pode ocorrer com o seu assentimento expressamente manifestado. (Sergio Cavalieri Filho)
A Irredutibilidade de Vencimentos: os vencimentos dos magistrados não podem ser reduzidos, muito embora estejam sujeitos aos impostos gerais e extraordinários. A partir da Constituição de 1988 os vencimentos do funcionalismo em geral passaram também a ser irredutíveis. Com relação aos magistrados, a irredutibilidade tem por objetivo não sujeitá-los a qualquer tipo de pressão econômica, uma das formas mais eficazes de tirar a segurança e independência de quem quer que seja. (Sérgio Cavalieri Filho)