Apostila UNIJUÍ - Administração da informação
162 pág.

Apostila UNIJUÍ - Administração da informação


DisciplinaPesquisa de Mercado5.026 materiais75.586 seguidores
Pré-visualização44 páginas
e o que puder se transformar em ambiente virtual.
Atualmente a maior utilização da Internet é como correio eletrônico, esforços de cola-
boração remota (como a enciclopédia Wikipédia, pesquisas científicas, troca de informa-
ções, formação de redes pessoais de colaboração) e o compartilhamento de arquivos. A
criatividade, porém, a cada dia encontra novas utilidades para o mundo virtual, especial-
mente no campo dos negócios.
Como uma conseqüência da Internet não demorou muito para se desenvolverem as
Intranets e as Extranets. A Intranet constitui-se de uma rede corporativa de computadores,
tal como a Internet, porém ela é exclusiva para uma determinada organização, somente os
computadores dessa empresa podem acessá-la. Seus computadores podem ser facilmente
acessados e dados compartilhados por pessoas autorizadas, de qualquer departamento da
empresa, mesmo que estejam localizados distantes dela. É, portanto, uma rede privada de
troca de informações, cujo acesso é limitado aos computadores dessa rede. Utiliza, no entan-
to, os mesmos protocolos e padrões da Internet. Permite acesso a documentos, informações de
departamentos, programas de computadores, notícias internas e externas, interação de docu-
mentos, reuniões internas virtuais, calendários de eventos, utilização de manuais de procedi-
mento, políticas internas da empresa, informações sobre o processamento de pedidos e dispo-
nibilidade de estoques; informações sobre fornecedores e clientes, entre outros benefícios.
EaD
49
ADMINISTRAÇÃO DA INFORMAÇÃO
Por sua vez, a Extranet é organizada com os mesmos princípios da Intranet, com a
diferença de incluir colaboradores externos, representantes, clientes, fornecedores, bancos,
etc, que não fazem parte do quadro funcional da empresa. Outras organizações podem ter
acesso controlado e limitado ao sistema de informação de uma determinada empresa. É
como um site, pelo qual somente usuários autorizados podem navegar e interagir.
Seção 3
Negócios Eletrônicos, Empresas Digitais e Empresas Virtuais
Por volta do ano 2000 empresas perceberam as oportunidades de vendas pela Internet.
E empolgaram-se tanto que parecia o fim dos negócios não virtuais. Surgiram as ponto-
com, empresas que se especializaram em vender pela WEB. Investidores acreditaram na no-
vidade e investiram grandes somas de capital nessas novas empresas. Muitas faliram e ou-
tras mal conseguiram escapar da falência. Passou a febre e a realidade se mostrou bem
menos veloz para os negócios virtuais, embora permaneça promissor. O que aconteceu foi
uma superior expectativa de negócios, muito acima ao que realmente ocorreu.
Presentemente os negócios eletrônicos crescem aceleradamente no mundo e no Brasil.
Já temos empresas que nasceram na Internet, que desde seu surgimento fabricam e vendem
tudo por meios virtuais. E empresas tradicionais aderem à Internet em busca de mais um
canal de vendas. Embora a euforia inicial fosse bem superior ao que ocorreu na realidade,
as vendas por esse meio crescem mais que na modalidade de negócios tradicionais. Grandes
empresas com espírito empreendedor já entraram nos negócios virtuais.
As oportunidades que a Internet pode oferecer para os negócios são muitas, principal-
mente para aumentar e melhorar os serviços aos clientes, como o SAC, Serviço de Atendi-
mento ao Cliente. O cliente pode dar sugestões; fazer avaliações; responder a pesquisas por
sua iniciativa, mas disponibilizadas pela empresa; eliminar dúvidas; buscar mais informa-
ções sobre os produtos; interagir com outros clientes da empresa; acessar listas de perguntas
mais freqüentes; interagir com o ouvidor da empresa e muitas vezes até falar com o presi-
dente (ao menos com uma secretária para esse fim, que faz relatórios ao presidente). Na
verdade o SAC é um serviço de auto-atendimento em termos de comunicação entre empresa
e cliente. Por sua vez, as empresas podem conhecer os hábitos de compra dos clientes e
assim fazer um gerenciamento de sua relação com ele.
As empresas podem anunciar seus produtos pela Internet. E muitas já o fazem. Peque-
nas empresas podem iniciar vendas na Internet por meio de sites gratuitos. Neles deve-se
informar quem somos, o que vendemos (catálogo eletrônico), como falar conosco e o ende-
EaD Sikberto Marks
50
reço da empresa. Um site grátis é um bom começo para aprender a negociar na Internet.
Uma recomendação dos experientes, bastante óbvia, é que esse site seja de fácil navega-
ção, que carregue rapidamente, sempre bem atualizado, com atendimento honesto e ágil,
que forneça as informações prontamente e não dê informações confusas ao cliente. A
divulgação por e-mail não é a mais recomendada, pois muitos se incomodam com eles.
Melhor é utilizar as newsletters eletrôncias. Em se tratando de empresas pequenas, entre-
tanto, outros meios tradicionais podem dar bom resultado, como faixas e malas diretas,
estas mais caras. A experiência tem revelado que um site bonito na Internet, dinâmico e
bem elaborado, que se mostre atraente, gradativamente vai granjeando novos clientes, por
meio das indicações pessoais. Por exemplo, uma pessoa falando a outra assim: \u201cOlha, com-
prei tal produto por um bom preço em tal site, e apreciei muito. E gostei do atendimento
deles, e recebi o produto em poucos dias. Me pareceram confiáveis e honestos.\u201d Você acha
que a pessoa com quem ela está falando ao menos não dará uma olhadela nesse site? O
atendimento, portanto, como nos negócios tradicionais, nos virtuais continua sendo o grande
segredo (que todo mundo deveria saber) para atrair mais clientes.
Empresa digital é aquela que realiza seus negócios pela utilização intensa das ponto-
com, as TIs. São empresas cujas estruturas organizacionais são bastante enxutas, e funcio-
nam com elevado grau de descentralização e delegação de poder.
Essas empresas possuem algumas características interessantes, tais como:
\u2022 realizam todos os seus processos por meios digitais;
\u2022 relacionam-se com seus funcionários, clientes e fornecedores por meios digitais;
\u2022 tudo funciona com base das redes internas de computadores;
\u2022 tornam-se organizações do tipo 7 por 24, ou seja, realizam negócios nos sete dias da
semana, 24 horas por dia;
\u2022 seus sistemas de informação obrigatoriamente são totalmente integrados;
\u2022 o seu organograma é horizontal, com poucos níveis hierárquicos;
\u2022 pelo tamanho da empresa e pelo volume dos negócios, é relativamente pequeno o nú-
mero de pessoas que nela trabalham;
\u2022 os colaboradores possuem elevado grau de autonomia decisória.
E o que são as empresas virtuais? Às vezes elas nem são entendidas pelos consumido-
res. São um tanto vagas, mas existem, e cada vez mais. Vamos a um exemplo. Duas ou mais
empresas tradicionais podem unir-se e criar uma solução nova para a solicitação de um
cliente. Assim, por exemplo, consultores podem unir-se para elaborar uma proposta conjun-
EaD
51
ADMINISTRAÇÃO DA INFORMAÇÃO
ta a um cliente. A ênfase é atender o mercado de uma maneira que não seria possível sem a
ação conjunta. A empresa, ou talvez melhor seria dizer, a iniciativa virtual, caracteriza-se
pelo oferecimento de soluções novas à demanda do mercado, mas pode também haver negó-
cios assim em escritórios virtuais, alugados como ponto de referência para a empresa.
Seção 4
Criando Empresas na Internet
É bem fácil entender como criar uma empresa na Internet. Em primeiro lugar, devemos
estudar atentamente como outras já fizeram e como estão fazendo. Para isso, um passo
interessante é entrar nos sites de outras empresas e ver como elas funcionam. Acesse, por
exemplo, e como sugestão, as empresas cujos endereços estão listados a seguir. Estas são
empresas de grande porte, mas seria interessante também acessar empresas menores.
http://lista.mercadolivre.com.br
http://www.mercadolivre.com.br
http://www.fastshop.com.br
http://www.buscape.com.br
http://www.pontofrio.com.br
http://www.submarino.com.br
http://www.livrariasaraiva.com.br
http://www.americanas.com.br