preparação do líquido
9 pág.

preparação do líquido


DisciplinaOperações Unitárias Farmacêuticas116 materiais457 seguidores
Pré-visualização3 páginas
que posteriormente se combinam formando água. É obtida pela passagem da água por duas colunas trocadoras de íons, uma catiônica e a outra aniônica, mas também pode ser por passagem em um leito misto constituído de uma mistura das duas resinas. É adequada para aplicações que exigem água com baixa condutividade. Deionização é um processo utilizado em laboratórios e indústria para produzir solventes puros, isentos de íons, com grande destaque a para a água. A pureza da água no final do processo pode ser determinada pela medição de sua condutividade elétrica, que sempre será reduzida de acordo com a eficiência da purificação.
Água destilada: é a água mais pura (sem impurezas) que existe em termos laboratoriais. A água destilada é uma água obtida por destilação simples através de um processo de condensação do vapor de água atingido pela ebulição ou pela evaporação que remove os minerais de uma água não pura que contém outras substâncias dissolvidas. Essa água é geralmente usada como reagente ou solvente sendo livre de materiais não voláteis e compostos orgânicos pesados, enquanto que os compostos voláteis e condensáveis são evaporados e coletados com a água destilada. Apresenta uma quantidade muito pequena de sais minerais, o suficiente para não conduzir eletricidade. A água destilada passa por um destilador e é separada das impurezas sólidas. É adequado para alguns usos em laboratório, como preparação de algumas soluções. 
Indique como garantir a qualidade dos produtos obtidos.
Para garantir a qualidade dos produtos obtidos deve-se fazer adequadamente e periodicamente a manutenção (preventiva, preditiva e corretiva) e a sanitização dos equipamentos nas diferentes etapas da produção.
- Água
Separação por membranas
 Deve-se escolher a membrana adequada para a matéria-prima que se tem e para o produto que deve ser obtido; evitar que a água fique acumulada no interior do equipamento, para impedir a formação microbiana e garantir maior durabilidade às membranas. Para manter a funcionalidade total da mini-estação, deve-se evitar a saturação da membrana absoluta, para isso, a água recebe um pré-tratamento, que é constituído da passagem prévia da mesma pelos outros elementos filtrantes, como o carvão ativado. Após a saturação da membrana absoluta a mesma deve ser trocada e descartada, pois não é reutilizável.
Deionização
Deve-se escolher a resina adequada para a matéria-prima que se tem e para o produto que se quer obter, dar atenção aos controles do equipamento como manter a torneira de descarga aberta enquanto o equipamento estiver em uso, controlar a vazão da água que o alimenta para que a mesma não transborde e rejeitar toda a água enquanto permanecer sinal vermelho de advertência, que indica a presença de íons detectados pelo condutivímetro do equipamento. É importante observar o sinal vermelho de advertência indicado pelo condutivímetro, que pode significar a saturação da resina, onde a mesma deixa de realizar a troca iônica adequadamente e deve ser regenerada.
Destilação
Usar um equipamento com caldeira e condensador fabricados com material mais inerte possível, como o vidro. Para saber se há ou não pirogênios e bactérias deve ser feita uma análise microbiológica da água.
- Sólido
 Deve-se conhecer os parâmetros que influenciam na escolha do equipamento \u2013 para a desintegração devem ser observados parâmetros da matéria-prima como dureza, tenacidade, abrasividade, inflamabilidade, explosão e características toxicológicas, para que a escolha do equipamento seja adequada e a desintegração satisfatória. A solubilidade do sólido deve ser observada para que os processos de purificação por cristalização sejam eficientes, bem como a escolha do solvente adequado. É importante escolher equipamentos com o menor grau de contaminação (cristalizadores fechados, por exemplo) e a sequência correta das operações e os parâmetros que as influenciam.
4. Bibliografia
Referências:
http://www.clsi.org/source/orders/free/C03A4f.pdf
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1676-24442011000300004&script=sci_arttext
http://www.anvisa.gov.br/legis/resol/2007/rdc/67_rdc_anexo.pdf (Farmácia de manipulação)
http://www.pncq.org.br/participantes/atualizacao_baixo_001.asp 
http://www.aquafil.com.br/filtros.htm (adsorção)
http://www.hidrusbrasil.com.br/index.php?conteudo=biz__catalogo&canal_id=9&pro_id=7
Brasil. Farmacopeia Brasileira; Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa, 2010.1v/Il.
apostila
Tubos verticais curtos