ELASTICIDADE

ELASTICIDADE


DisciplinaEconomia I25.801 materiais188.416 seguidores
Pré-visualização1 página
ELASTICIDADE
Renata Pedretti Morais Furtado
DAE/UFLA
ELASTICIDADE
Elasticidade é uma medida da reação: é uma resposta dos compradores e vendedores às mudanças no preço e na renda.
A demanda é classificada como elástica, de elasticidade-preço unitária ou inelástica, dependendo do valor do n.
Elasticidade
Quando n>1, a demanda é elástica, ou seja, uma certa variação percentual do preço resulta numa variação maior da quantidade demandada. A quantidade demandada reage bastante às variações de preço.
Quando n<1, a demanda é inelástica, ou seja, uma certa variação percentual do preço causa uma variação menor na quantidade demandada. A quantidade demandada não responde muito às variações de preço.
Elasticidade
Quando n=1, a demanda tem elasticidade unitária, ou seja, uma certa variação percentual do preço causa a mesma variação percentual da quantidade demandada.
É fundamental verificarmos que para um vendedor de bens, faz realmente muita diferença o fato de ser elástica ou não a demanda com a qual ele se defronta. Se a demanda for elástica e ele reduzir o preço, obterá mais receita. Se a demanda for inelástica e ele reduzir o preço, obterá menos receita.
Elasticidade
Uma empresa que eleva seu preço terá êxito se a demanda por seu produto for inelástica, pois então as receitas, na realidade aumentarão.
Elasticidade
Demanda ou oferta totalmente inelástica: a quantidade oferecida ou procurada fica inalterada apesar de uma variação no preço. Ex: demanda de sal de mesa, oferta de pescado no porto.
Demanda ou oferta inelástica: a quantidade oferecida e procurada varia proporcionalmente menos do que o preço. Ex: demanda de pão, a oferta de trigo.
Elasticidade
Elasticidade unitária: este é o caso wapecial em que as quantidades demandadas ou ofertadas respondem na mesma proporção às variações de preço.
Demanda ou oferta elástica: as variações de preços induzem variações proporcionalmente maiores na quantidade. Ex: demanda por aparelhos eletrônicos, oferta de brinquedos.
Elasticidade
Demanda ou oferta totalmente elástica: a quantidade ofertada ou demandada ao preço corrente é infinita. Ex: mercado de pequena empresa competitiva.
Elasticidade
Geralmente: os bens que os consumidores consideram \u201cuma necessidade\u201d geralmente têm demanda inelástica. Por outro lado,os bens considerados de luxo têm demanda mais elástica.
Elasticidade-renda da demanda
A idéia da elasticidade renda é exatamente a mesma que a de elasticidade preço. Entretanto, o termo elasticidade renda irá medir de que modo nossa disposição ou capacidade de comprar ou vender responde a uma variação da renda, em lugar do preço.
Elasticidade renda
As vendas de um produto ou serviço elástico em relação à renda elevam-se proporcionalmente mais depressa do que a renda.
As vendas de um bem ou serviço inelástico em relação à renda elevam-se, proporcionalmente menos do que a renda.
Um bem é normal se sua demanda aumenta quando a renda aumenta, ou seja, E>0. A maioria dos bens é normal. Um bem é superior se sua demanda aumenta quando a renda aumenta e sua participação na renda aumenta também, ou seja, E>1. Os restaurantes que servem comida sofisticada são um exemplo. Um bem é inferior quando sua demanda diminui quando a renda aumenta, ou seja, E<0. Exemplos: vinhos baratos, carne de segunda.
Se E>1, quando a renda aumenta a participação do produto na renda do consumidor também aumenta. Se E<1, quando a renda aumenta a participação do produto na renda do consumidor diminui.
Elasticidade e receita total
Os economistas utilizam a elasticidade para dizer o que vai acontecer com a receita total quando os preços mudam Receita total é a mesma coisa que vendas totais.
Quando E>1, o preço e a receita total estão inversamente relacionados, ou quando a demanda é elástica:
Um aumento de preço vai reduzir a receita total;
Uma redução de preço vai aumentar a receita total.
Elasticidade e Receita total
Quando E<1, o preço e a receita total estão diretamente relacionados, ou quando a demanda é inelástica:
Um aumento de preço vai aumentar a receita total;
Uma redução de preço vai reduzir a receita total.
Quando E=1, a receita total permanece inalterada se o preço diminui ou aumenta.
Em uma demanda inelástica, gastaremos muito dinheiro se for necessário para adquirir esse produto. Por exemplo: um atributo de necessidade que não tenha um substituto fácil.
Em uma demanda altamente elástica, um bem de luxo , por exemplo: uma viagem a Europa.
Elasticidade cruzada da demanda
O coeficiente de elasticidade cruzada da demanda do produto x com relação ao produto y (exy) mede a variação percentual da quantidade x comprada pro unidade de tempo que resulta de uma certa variação percentual do preço de y.
Se x e y são substitutos, exy é positivo. Por outro lado, se x e y são bem complementares o exy é negativo. Quando os produtos não estão relacionados, ou seja, quando são independentes, exy=0.
Fatores que afetam a elasticidade
Fatores que afetam a elasticidade-preço:
A fração da renda gasta no produto: quanto mais as pessoas gastam num produto, mais importante ele é no orçamento. Portanto, se o preço desse produto aumentar, vão estar mais propensas a procurar muito, e bastante tempo, por substitutos.
Quanto mais restrita for a definição do produto: quanto mais restrita a definição, mais substitutos é provável que o bem tenha,e, portanto, mais elástica é a sua demanda.
A facilidade de conhecimento de substitutos:quanto mais facilidade os consumidores têm de saber sobre preço e disponibilidade dos substitutos, mais elástica é a demanda. A propaganda tem uma importância fundamental para os consumidores na disponibilidade de bens substitutos.
O tempo disponível para o ajuste às variações de preços: Quanto mais tempo os consumidores têm para saber sobre substitutos, mais elástica é a demanda.
Elasticidade preço da oferta
A elasticidade-preço da quantidade ofertada mede a reação da quantidade ofertada às alterações de preço.
As elasticidades da oferta são menos difundidas que as da demanda. A elasticidade preço da oferta mais estudada é dos produtos agrícolas, sendo inclusive apontada como a principal causa da inflação, de acordo com a chamada corrente estruturalista.
De acordo com a corrente estruturalista, em países em desenvolvimento, a elasticidade da oferta de produtos agrícolas seria inelástica, pouco sensível a variações de preços. Pois por um lado há os latifundiários que estão mais preocupados com a especulação de terras do que com a produtividade e de outro os minifúndios, que praticam uma agricultura apenas para sua subsistência, não produzindo para o mercado.