Apostila UNIJUÍ - Sistema integrado de informações
174 pág.

Apostila UNIJUÍ - Sistema integrado de informações


DisciplinaAdministração de Sistemas de Informação6.022 materiais28.517 seguidores
Pré-visualização42 páginas
também
eficazes. Em resumo, é o
resultado de um processo ou
atividade.
Competição
É o esforço que as empresas
fazem por conquistar a
preferência dos clientes. No
caso, cada empresa no
mercado busca persuadir que
é melhor realizar suas aquisi-
ções com ela.
Quando a competição se torna
muito acirrada há o risco de
algumas empresas menos
preparadas não suportarem e
virem a falir, saindo do
mercado, e incorrendo em
graves prejuízos econômicos e
sociais. A competição é salutar
desde que não se torne em
uma guerra comercial. Os
governos devem estar atentos
para que a competição não
resulte em danos à economia
e à sociedade, mas que
mantenha os preços honestos
e que incentive a busca de
melhor qualidade nos produ-
tos e melhoria no atendimento.
Tecnologia da Informação
É o conjunto de todas as
atividades e produtos relacio-
nados com os recursos da
informática.
 
EaD
43
SISTEMA INTEGRADO DE INFORMAÇÕES
Vamos estudar uma por uma? Leia e medite atentamente daqui por diante, pois é rele-
vante para seus estudos posteriores. Vá devagar para entender bem. A pressa é inimiga do
estudante.
a) Sistemas de Informação Operacional (SIOs): tratam das informações rotineiras da orga-
nização, necessárias para o controle operacional, geralmente no âmbito do trabalho.
Elas atendem às seguintes áreas:
\u2022 administrativo-financeira
\u2022 folha de pagamento
\u2022 contabilidade e custos
\u2022 controle de estoques
\u2022 controle de prestação de serviços
\u2022 contas a pagar e a receber
\u2022 bancos
\u2022 clientes
\u2022 fornecedores
\u2022 faturamento, entre outras
Os dados desses sistemas são alimentados pela digitação, código de barras, leitores
óticos, importados de outros sistemas e são armazenados para processamento. Conforme as
definições dos programas, os dados são ordenados e devidamente indexados, facilitando o
acesso, permitindo consultas, elaboração de relatórios, gráficos e uso nos demais sistemas
da organização.
b) Sistemas de Informação Gerencial (SIGs): coletam dados e agrupam-nos ordenadamen-
te com a finalidade de servir para as tomadas de decisão no âmbito da gerência média das
empresas. São também chamados de \u201cManagement Information Systems\u201d (MIS).
EaD Si kberto Renaldo Marks
44
Um SIG envolve a elaboração de relatórios de atividades, análises de tendências, cus-
tos e despesas, comparações entre orçamentos e realizações, e assim por diante. Geralmente
o SIG tem por objetivo:
\u2022 suprir os gerentes com informações pelos quais consigam comparar o desempenho atual
com o anterior e com o planejado;
\u2022 reunir os dados históricos afins para que se tornem informações;
\u2022 suprir informações para as tomadas de decisão e elaboração de planos táticos e operacionais;
\u2022 gerar relatórios para os gestores conduzirem seus departamentos e setores
\u2022 permitir a geração de conhecimento nas respectivas áreas de atuação de cada gestor.
Perceba o seguinte: o SIG precisa estar bem integrado com o SIO, porque os gestores
precisam dirigir os supervisores nas atividades operacionais. É a partir da atuação dos gestores
que uma organização terá ou não produtividade nos níveis operacionais, e eles, portanto,
necessitam de um bom Sistema de Informação Gerenciais para esse fim.
c) Sistemas de Informação Estratégicos (SIEs) ou Executive Information Systems (EIS):
esses sistemas são dirigidos aos altos níveis de gestão de uma organização. Para tanto,
eles buscam dados e informações de origem interna e de origem externa à organização.
Valem-se de programas de análise como o ERP, Data Warehouse, Data Minig, sistemas
especialisatas e outros, para a elaboração de relatórios à alta direção. São sistemas que,
por excelência, precisam integrar todos os demais, tanto para a agilidade quanto para a
amplitude de seus relatórios e devida confiabiliadade.
Por meio do SIE os altos gestores têm acesso a toda informação que desejarem, mas
principalmente a relatórios que englobam conjuntos de informações vindas dos níveis
inferiores, mostrando-se relevantes para a cúpula estratégica realizar sua gestão e con-
duzir o processo decisório. É nesse nível que os gestores acompanham a execução do Pla-
no Estratégico, ficam atentos aos indicadores de desempenho, comparam a organização
EaD
45
SISTEMA INTEGRADO DE INFORMAÇÕES
com o desempenho de outras organizações, e até de empresas que podem servir de referência
no desempenho, verificam como está o humor dos cidadãos e como estão os serviços presta-
dos. Analisam o poder resolutivo da organização perante as demandas sociais, e assim por
diante.
Veja que é um nível realmente delicado e vital para todos na organização.
Um bom SIE geralmente produz as seguintes saídas:
\u2022 gerar relatórios relacionados ao passado, presente e tendências futuras relacionadas com
as atividades da organização;
\u2022 analisar o desempenho da organização com os parceiros ou similares, na medida do
possível;
\u2022 demonstrar os resultados das diferentes unidades da organização, se ela estiver assim
estruturada;
\u2022 permitir a obtenção de relatórios diversos, mapas, gráficos, tabelas, estatísticas, nos quais
é possível realizar comparações as mais diversas;
\u2022 fornecer informações do ambiente externo relacionadas à economia, política, negócios,
etc., do que lhes interesse saber;
\u2022 criar condições aos gestores de se comunicarem com seus parceiros externos;
\u2022 possibilitar aos gestores organizarem suas agendas;
\u2022 pode-se também gerenciar projetos, planos, serviços e atividades dentro da organização, e
acompanhar o andamento deles;
\u2022 Enfim, muitas outras atividades são possíveis aos gestores, ou seja, tudo o que eles neces-
sitarem e reivindicarem deve ser suprido pelos SEEs.
EaD Si kberto Renaldo Marks
46
d) Sistemas Especialistas (SEs) são programas que simulam a experiência de pessoas
especializadas em algum assunto, e que possa ser transformado em rotina de computador
e então utilizados para resolução de problemas. É a chamada inteligência artificial. Por
exemplo, uma análise financeira pode ser realizada por um sistema especialista, o que
facilita o trabalho de um analista financeiro, seja ele experiente ou iniciante. São, por-
tanto, sistemas que armazenam a perícia dos especialistas para serem utilizados parale-
lamente a eles, muitas vezes até substituindo-os.
Um sistema especialista pode tanto fazer análises, elaborar relatórios parciais ou com-
pletos, elaborar diagnósticos, fornecer ou sugerir soluções para diferentes situações e auxi-
liar especialistas, ou profissionais que deles dependem para realizarem suas atividades pro-
fissionais. Esses sistemas geralmente armazenam em seus programas o conhecimento do
respectivo especialista. Possuem software que imita o trabalho dos especialistas, o que per-
mite a realização das atividades que estes fariam.
Como exemplos podemos citar: análise financeira de desempenho da organização;
análise de balanço; análise de crédito, etc. Esses sistemas são muito empregados no campo
da Administração e Medicina. São muito promissores para a administração pública, como
no caso da análise de situações da estrutura viária de uma cidade.
e) Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) \u2013 são sistemas especiais destinados à ajuda nas
tomadas de decisão, aplicáveis a todos os níveis na organização, mais intensamente nos
níveis gerencial e estratégico.
Por volta dos anos 70 ocorreram no mundo vários fatos em relação aos negócios. A
tecnologia passou a se desenvolver cada vez mais rapidamente; um número crescente de
concorrentes entrou no mercado disposto a competir com mais qualidade e menor preço; os
consumidores tornam-se cada vez mais exigentes e têm mais opções de fornecedores; o co-
mércio torna-se cada vez mais global, possibilitando importações mais facilmente. Ou seja,
a competição ficou mais acirrada, tornando-se mais complexo, portanto, administrar uma
empresa. Logo, surgiu a necessidade de os gestores disporem de ferramentas que os auxiliem
nas tomadas de decisão. Essas ferramentas vêm sendo desenvolvidas desde então e cha-