Relatorio Fenotran Exp2 (2)
16 pág.

Relatorio Fenotran Exp2 (2)


DisciplinaFenômenos de Transporte Experimental87 materiais807 seguidores
Pré-visualização2 páginas
2,73
	2,91
	2,82
	2,03
	38,33
	32
	3,6
	3,93
	3,765
	2,824
	33,30
	33
	4,47
	5,25
	4,86
	3,678
	32,11
	34
	5,71
	6,35
	6,03
	4,614
	30,68
	35
	7,08
	7,81
	7,445
	5,65
	31,80
	36
	8,76
	9,25
	9,005
	6,805
	32,33
Esfera de Cobre
Tabela 08: Tempo de aquecimento da esfera de Cobre.
	Temperatura
	t1(s)
	t2(s)
	tmédio(s)
	tteórico(s)
	%desvio
	28
	0
	0
	0
	0
	0,00
	29
	1,13
	1,53
	1,33
	1,196
	11,19
	30
	2,14
	2,89
	2,515
	2,474
	1,62
	31
	3,61
	4,33
	3,97
	3,848
	3,16
	32
	4,93
	6,06
	5,495
	5,331
	3,06
	33
	6,39
	8,26
	7,325
	6,944
	5,48
	34
	8
	10,05
	9,025
	8,71
	3,61
	35
	9,59
	12,39
	10,99
	10,66
	3,06
	36
	11,77
	12,47
	12,12
	12,84
	5,66
RESFRIAMENTO
No processo de resfriamento, as peças que estavam no banho foram colocadas ao ambiente para resfriarem-se, e em intervalos de tempo de 3 minutos a temperatura era registrada. Os valores de temperatura foram comparados a valores teóricos, obtidos pela equação abaixo:
\u3b8t = \u3b80.e-\u3bb.t e \u3b8i = Ti-Tf
Tt-Tf = (T0-Tf). e-\u3bb.t		(		 Tt = (T0-Tf). e-\u3bb.t + Tf
Como: T0 = 43 e Tf = 28
Tt = 15. e-\u3bb.t + 28
	
Seguem abaixo mais alguns parâmetros necessários para os cálculos:
Tabela 09: Parâmetros das amostras de Alumínio.
	Parâmetros
	Cilindro Alumínio
	Placa Alumínio
	Esfera Alumínio
	h(ar)
	11,16
	10,91
	13,19
	Biot
	0,000488
	0,000201
	0,000678
	\u3bb
	0,000443
	0,001029
	0,000678
Tabela 10: Parâmetros das amostras de Cobre.
	Parâmetros
	Cilindro Cobre
	Placa Cobre
	Esfera Cobre
	h(ar)
	11,16
	10,91
	13,19
	Biot
	0,000285
	0,000117
	0,000266
	\u3bb
	0,000317
	0,000741
	0,000474
Cilindro de Alumínio
Tabela 11: Tempo de resfriamento do cilindro de Alumínio.
	t(s)
	Tmedido
	Tteórico
	%desvio
	0
	43
	43,00
	0,00
	180
	41
	41,85
	2,03
	360
	39
	40,79
	4,39
	540
	38
	39,81
	4,54
	720
	36
	38,90
	7,46
	900
	34
	38,07
	10,69
	1080
	33
	37,30
	11,52
	1260
	32
	36,58
	12,53
	1440
	31
	35,93
	13,71
Placa de Alumínio
Tabela 12: Tempo de refriamento da placa de Alumínio.
	t(s)
	Tmedido
	Tteórico
	%desvio
	0
	43
	43,00
	0,00
	180
	40
	40,46
	1,15
	360
	38
	38,36
	0,93
	540
	36
	36,61
	1,65
	720
	34
	35,15
	3,27
	900
	32
	33,94
	5,72
	1080
	31
	32,94
	5,88
	1260
	29
	32,10
	9,66
	1440
	29
	31,41
	7,67
Esfera de Alumínio
Tabela 13: Tempo de resfriamento da esfera de Alumínio.
	t(s)
	Tmedido
	Tteórico
	%desvio
	0
	43
	43,00
	0,00
	180
	39
	41,28
	5,52
	360
	37
	39,75
	6,92
	540
	35
	38,40
	8,86
	720
	34
	37,21
	8,62
	900
	32
	36,15
	11,48
	1080
	31
	35,21
	11,96
	1260
	30
	34,38
	12,75
	1440
	29
	33,65
	13,82
Cilindro de Cobre
Tabela 14: Tempo de resfriamento do cilindro de Cobre.
	t(s)
	Tmedido
	Tteórico
	%desvio
	0
	43
	43,00
	0,00
	180
	41
	42,17
	2,77
	360
	40
	41,38
	3,34
	540
	39
	40,64
	4,04
	720
	38
	39,94
	4,85
	900
	37
	39,28
	5,80
	1080
	36
	38,65
	6,86
	1260
	35
	38,06
	8,04
	1440
	34
	37,50
	9,34
Placa de Cobre
Tabela 15: Tempo de resfriamento da placa de Cobre.
	t(s)
	Tmedido
	Tteórico
	%desvio
	0
	43
	43,00
	0,00
	180
	40
	41,13
	2,74
	360
	38
	39,49
	3,77
	540
	36
	38,05
	5,40
	720
	34
	36,80
	7,60
	900
	32
	35,70
	10,36
	1080
	31
	34,74
	10,76
	1260
	29
	33,90
	14,45
	1440
	29
	33,16
	12,55
Esfera de Cobre
Tabela 16: Tempo de resfriamento da esfera de Cobre.
	t(s)
	Tmedido
	Tteórico
	%desvio
	0
	43
	43,00
	0,00
	180
	41
	41,77
	1,85
	360
	40
	40,65
	1,59
	540
	38
	39,61
	4,07
	720
	37
	38,66
	4,30
	900
	35
	37,79
	7,39
	1080
	34
	36,99
	8,08
	1260
	33
	36,25
	8,98
	1440
	32
	35,58
	10,06
CONCLUSÃO
A análise transiente de parâmetros concentrados é uma maneira bastante simplificada de se resolver alguns casos que envolvem troca de calor. Ela nos permite ignorar a variação de temperatura dentro das substâncias sobre determinadas circunstâncias, o que acaba simplificando bastante os cálculos de transferência de calor, e ainda obtém resultados satisfatórios. A circunstância exigida para este tipo de resolução é que o citado Número de Biot seja menor que 0,1. O número de Biot é a relação entre a taxa de calor por convecção de um fluido e o comprimento relativo de um material pela condutividade térmica desse material. Um valor menor que 0,1 significa que o calor que o fluido pode transmitir ou receber é dez vezes menor que a condutividade térmica do material, sendo assim qualquer calor transmitido pelo fluido se espalha muito rapidamente pelo material, e o gradiente de temperatura gerado é muito pequeno e pode ser desconsiderado.
Os objetos de cobre mostraram maior precisão, com destaque para o aquecimento da esfera de Cu, a explicação desta observação pode estar no fato de o cobre apresentar menores valores do numero de Biot do que o alumínio.
Embora os resultados tenham sido apenas parcialmente bons, o método se mostra uma boa opção, pois não é necessário trabalhar com as complexas equações matemáticas que envolvem o processo e obtêm um resultado relativamente preciso, com em geral 10% de erro.
Referências Bibliográficas:
INCROPERA, F. Fundamentos da Transferência de Calor e de Massa, São Paulo \u2013 LTC