d004e1761bfd1d2f45ec9e75a4ddbfea
292 pág.

d004e1761bfd1d2f45ec9e75a4ddbfea


DisciplinaContabilidade e Mercado de Trabalho1.957 materiais7.670 seguidores
Pré-visualização44 páginas
"Carteira de Identificação de Conselheiro";
n) a declaração de que a carteira é válida como identificação de
Conselheiro de Conselho de Contabilidade, em todo o território
nacional.
Parágrafo único. Esta Carteira poderá ser expedida aos Conselheiros
Efetivos e Suplentes dos Conselhos Federal e Regionais de Contabilidade,
mantendo-se, naquilo que couber, as características técnicas e forma de
operacionalização, conforme definido no artigo 3º desta Resolução.
III - DA CARTEIRA DE REGISTRO PROVISÓRIO
Art. 10 Ao profissional registrado provisoriamente será expedida
Carteira de Registro Provisório, fazendo-se expressar seu prazo de validade
e demais dados do interessado, obedecendo-se o padrão do MODELO III,
em anexo.
Parágrafo único. A referida carteira será confeccionada e expedida
pelo respectivo Conselho Regional de Contabilidade, preferencialmente,
em formulário contínuo, resguardando-se o modelo definido pelo CFC.
IV - DO CARTÃO DO REGISTRO SECUNDÁRIO
Art. 11 Ao profissional registrado secundariamente será expedido
Cartão de Registro Secundário, fazendo-se expressar seu prazo de validade
e demais dados do interessado, obedecendo-se o padrão do MODELO IV,
em anexo.
Parágrafo único. O referido cartão será confeccionado e expedido
pelo respectivo Conselho Regional de Contabilidade, preferencialmente,
em formulário contínuo, resguardando-se o modelo definido pelo CFC.
171
Legislação da Profissão Contábil
V - DISPOSIÇÕES FINAIS
Art. 12 Ao Presidente do Conselho Federal de Contabilidade caberá
resolver os casos omissos e as dúvidas resultantes da aplicação da presente
Resolução, dando ciência ao Plenário de suas decisões.
Art. 13 Esta Resolução entra em vigor na data de sua aprovação,
produzindo efeitos a partir de 1º de abril de 2001.
Brasília, 9 de novembro de 2000.
Contador JOSÉ SERAFIM ABRANTES
Presidente
MODELOS ANEXOS à Resolução nº 893/00
MODELO I - Carteira de Identidade de Contabilista (art. 2º);
MODELO II - Carteira de Identificação de Conselheiro (art. 9º);
MODELO III - Carteira de Registro Provisório (art. 10);
MODELO IV - Cartão de Registro Secundário (art. 11).
172
Conselho Federal de Contabilidade
MODELO I - ANEXO À RESOLUÇÃO CFC Nº 893/2000
CARTEIRA DE IDENTIDADE DO CONTABILISTA
173
Legislação da Profissão Contábil
MODELO II - ANEXO À RESOLUÇÃO CFC Nº 893/2000
CARTEIRA DE IDENTIFICAÇÃO DE CONSELHEIRO
174
Conselho Federal de Contabilidade
 MODELO III - ANEXO À RESOLUÇÃO CFC Nº 893/2000
CARTEIRA DE REGISTRO PROVISÓRIO
175
Legislação da Profissão Contábil
MODELO IV - ANEXO À RESOLUÇÃO CFC Nº 893/2000
CARTÃO DE REGISTRO SECUNDÁRIO
177
Legislação da Profissão Contábil
Resolução CFC nº 899/01
Dispõe sobre a Certidão de Regularidade do
Contabilista e das Organizações Contábeis.
O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de
suas atribuições legais e regimentais,
CONSIDERANDO que o art. 12 do Decreto-Lei nº 9.295, de 27 de
maio de 1946, prevê a obrigatoriedade do Registro Profissional em Conselho
Regional de Contabilidade, e que a partir da data da concessão desse
Registro tem-se o dever do pagamento da anuidade cujo valor é fixado pelo
Conselho Federal de Contabilidade;
CONSIDERANDO que os arts. 579 e 580 da CLT, acolhidos pela
Constituição em seu inciso IV do art. 8º, prevêem a obrigatoriedade do
pagamento da Contribuição Sindical;
CONSIDERANDO que o art. 24 do Decreto-Lei nº 9.295/46 prevê que
somente poderá ser admitido à execução de serviços públicos de
Contabilidade, inclusive a organização dos mesmos, o profissional que provar
quitação de sua anuidade e de outras contribuições a que esteja sujeito;
CONSIDERANDO a necessidade da integração das entidades
relacionadas ao Profissional da Contabilidade em favor da classe em seu
conjunto,
RESOLVE:
Art. 1° O Conselho Regional de Contabilidade, para a expedição de
certidão atestando a regularidade para o exercício da profissão contábil por
parte do Contabilista ou da Organização Contábil, só a elaborará mediante
a verificação da inexistência de débito relativo à anuidade e multas devidas
ao CRC e de impedimento do exercício profissional em razão de aplicação
de penalidade, ainda em vigor.
178
Conselho Federal de Contabilidade
§1° Não comprovado o recolhimento da Contribuição Sindical previsto
na CLT a favor do respectivo Sindicato, ficará o CRC impedido de expedir a
Certidão de Regularidade do Profissional ou da Organização Contábil.
§2° Os projetos de fiscalização dos CRCs deverão contemplar a
verificação do recolhimento da Contribuição Sindical.
Art. 2° A aplicação do previsto nos §§ 1º e 2º do art. 1º da presente
Resolução ficará condicionada à assinatura de convênio entre o Conselho
Federal de Contabilidade, o Conselho Regional de Contabilidade e as
entidades sindicais, devendo estas ser representadas por suas respectivas
federações.
Art. 3° Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação,
revogando-se as disposições em contrário, em especial a Resolução CFC
nº 888/00.
Brasília, 22 de março de 2001.
Contador JOSÉ SERAFIM ABRANTES
Presidente
179
Legislação da Profissão Contábil
Resolução CFC nº 902/01
Dispõe sobre a concessão de isenção do
pagamento da anuidade ao Contabilista
com a idade igual ou super ior a 70
(setenta) anos.
O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas
atribuições legais e regimentais;
CONSIDERANDO que a competência deferida ao Conselho Federal
de Contabilidade para a fixação do valor das anuidades devidas aos
Conselhos Regionais de Contabilidade pelos Contabilistas nele
registrados pressupõe, implicitamente, competência para conceder
isenções;
CONSIDERANDO que se tem por oportuno, numa devida e justa
homenagem, quando o Contabilista atinge a idade de 70 (setenta) anos, em
pleno exercício da profissão contábil, o que denota os traços, em sutis
indícios, das grandes linhas de pensamento e das diretrizes de uma formação
profissional dedicada à Contabilidade;
CONSIDERANDO que o procedimento adotado pela Resolução CFC
nº 721/91 em que se estabelecia a obrigatoriedade do pedido de isenção
deixava de caracterizar a homenagem ao Contabilista;
CONSIDERANDO a concessão de diversos benefícios em vários
campos da sociedade aos que atingem a idade de 70 anos,
RESOLVE:
Art. 1° Ao Contabilista com a idade igual ou superior a 70 (setenta)
anos será concedida a isenção do pagamento da anuidade devida ao
Conselho Regional de Contabilidade a que estiver sujeito.
180
Conselho Federal de Contabilidade
Art. 2° Esta Resolução entra em vigor na data de sua assinatura,
revogada a Resolução CFC nº 721/91.
Brasília, 27 de abril de 2001.
Contador JOSÉ SERAFIM ABRANTES
Presidente
181
Legislação da Profissão Contábil
Resolução CFC nº 905/01
Dispõe sobre aplicação de penalidade à
Organização Contábil e dá outras
providências.
O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas
atribuições legais e regimentais,
CONSIDERANDO que a atividade da fiscalização do exercício
profissional contábil não deve se tornar ponto capaz de prejudicar o
desenvolvimento de trabalho de terceiros;
CONSIDERANDO que a finalidade do órgão fiscalizador é adotar
procedimento a fim de que alcance a regularidade normativa na área
profissional;
CONSIDERANDO que o funcionamento de uma Organização Contábil
envolve uma série de interesses e responsabilidades,
RESOLVE:
Art. 1º À Organização Contábil não será aplicada a pena de suspensão
de suas atividades.
Art. 2º A Organização Contábil poderá ser autuada por infração ao
Decreto-Lei nº 9.295, de 27 de maio de 1946, ficando sujeita à penalidade
de multa.
§ 1º Intimada a Organização Contábil para efetuar o pagamento de
multa, no prazo de 30 (trinta) dias, e não ocorrendo a satisfação do débito,
caberá ao sócio gestor a responsabilidade pela dívida.
§ 2º O sócio gestor será intimado para efetuar o pagamento da
multa da Organização Contábil, no prazo de 30 (trinta) dias.
182
Conselho Federal de Contabilidade
§ 3º A falta de pagamento da multa por parte do sócio gestor resultará
na aplicação