d004e1761bfd1d2f45ec9e75a4ddbfea
292 pág.

d004e1761bfd1d2f45ec9e75a4ddbfea


DisciplinaContabilidade e Mercado de Trabalho1.978 materiais7.674 seguidores
Pré-visualização44 páginas
até o final de março do ano subseqüente.
Art. 12. A CEPC-CRC manterá um processo para cada capacitadora
credenciada, que deve conter:
a) a documentação prevista para o credenciamento da autorização;
b) cópia do ofício de Credenciamento como Capacitadora
Autorizada;
c) relatório/parecer sobre a avaliação inicial da capacitadora para
o credenciamento;
d) parecer da CEPC-CFC.
e) programas de cursos a serem ministrados;
f) modificação dos programas de cursos a serem ministrados;
g) relatórios anuais dos cursos ministrados;
h) relatórios emitidos pelo Comitê de Avaliação do Programa de
Educação Profissional Continuada (PEPC).
i) queixas e investigações especiais;
j) cartas de observações dirigidas à capacitadora;
k) correspondências recebidas pela capacitadora em relação aos
cursos de Educação Continuada; e
l) qualquer outro documento relacionado com a capacitadora.
279
Legislação da Profissão Contábil
ANEXO III
PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
CONTINUADA
De acordo com a Resolução CFC nº Anexo I \u2013 Tabela de Pontuação
RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 
 
PERÍODO: 1º/1/........... a 31/12/.......... 
I. AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTOS 
CURSO/EVENTO CAPACITADORA Nº DA CAPACITADORA DATA OU 
PERÍODO 
CÓDIGO 
DO CURSO 
CRÉDITOS 
DE PONTOS 
 
 
 
 
II. DOCÊNCIA 
DISCIPLINA CAPACITADORA / 
INSTITUIÇÃO DE 
ENSINO 
Nº DA CAPACITADORA DATA OU 
PERÍODO 
CÓDIGO 
DO CURSO 
CRÉDITOS 
DE PONTOS 
 
 
 
 
III. ATUAÇÃO COMO PARTICIPANTE (COMISSÕES TÉCNICAS) 
COMISSÃO ENTIDADE DATA OU 
PERÍODO 
CRÉDITO DE PONTOS 
 
 
 
 
IV. PRODUÇÃO INTELECTUAL (LIVROS, ARTIGOS E PESQUISAS) 
TITULO FONTE DATA 
PUBLICAÇAO 
CRÉDITO DE PONTOS 
 
 
 
 TOTAL DE PONTOS 
DECLARO SOB RESPONSABILIDADE QUE SÃO VERDADEIRAS AS 
INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO. 
 
 
CRC Registro nº 
Local: de de 200X 
Nome: 
Endereço preferencial para comunicação ( ) Com. ( ) Res.: 
Rua / Av.: nº 
Bairro: Cidade: 
UF: Cep: 
Telefones( ) Com. ( ) Res.: Fax: 
Correio eletrônico: 
Empresa na qual trabalha: 
CRC ____ nº___________/____-____ 
Auditor Responsável - CVM Nº 
Quadro funcional ( ) 
Inscrito no CNAI. Nº 
281
Legislação da Profissão Contábil
SÚMULAS
DO
CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE
SÚMULA Nº 2
Contabilista que, no exercício da profissão, apropriar-se de coisa alheia
móvel, de que tenha a posse ou a detenção, está sujeito à penalidade prevista
no art. 27, letra e, do Decreto-Lei nº 9.295/46, por incapacidade técnica.
 Sala das Sessões, 21 de março de 1975.
SÚMULA Nº 4
O exercício das atribuições de fiscal de tributos, inclusive da
previdência social, constitui prerrogativa de contador, descabida a baixa do
registro por esse fundamento.
Sala das Sessões, 27 de junho de 1980.
SÚMULA Nº 5
Deve ser uma só a notificação sobre aplicação de multa e suspensão
do exercício profissional quando esta decorrer do inadimplemento daquela,
unificando-se em 90 (noventa) dias os prazos previstos nos arts. 30 e 32 do
Decreto-Lei nº 9.295/46.
Sala das Sessões, 27 de maio de 1983.
\u2022 A Res. CFC nº 880, de 18 de abril de 2000, fixou o prazo recursal em 30 dias, alterando,
dessa forma, o prazo unificado previsto pela Súmula 5 de 90 dias.
282
Conselho Federal de Contabilidade
SÚMULA Nº 6
Exploração de atividade contábil sem cadastro. Autuação do escritório
extensiva aos responsáveis técnicos.
Sala das Sessões, 14 de dezembro de 1984.
SÚMULA Nº 7
Prescrição: O prazo da prescrição de que trata a lei nº 6.838, de 29/
10/1980, conta-se a partir da data da ocorrência do fato.
Sala das Sessões, 27 de maio de 1988.
SÚMULA Nº 8
A elaboração de balanço ou de qualquer outro trabalho contábil de
responsabilidade similar, sem lastro em documentação hábil e idônea,
configura a infração ao disposto no art. 27 do Decreto-Lei nº 9.295/46, com
o enquadramento na letra d, se dolosa, e na letra c, se culposa.
Sala das Sessões, 2 de junho de 1989.
SÚMULA Nº 9
A competência dos Conselhos de Contabilidade para aplicar
penalidade alcança o leigo. É infração ao artigo 20 do Decreto-Lei nº 9.295/
46. Concomitantemente, o CRC fará representação à autoridade competente,
denunciando o exercício ilegal da profissão.
Sala das Sessões, 27 de julho de 1995.
283
Legislação da Profissão Contábil
Instrução Normativa CFC nº 2/93
EMENTA: Não cabe a aplicação da pena de suspensão do exercício
profissional ou da exploração da atividade contábil por
falta de pagamento de multa, quando inexistir o registro
em CRC.
ORIGEM: Decisão do Plenário tomada em 25 de junho de 1993,
acolhendo proposição da Câmara de Registro e
Fiscalização. ATA CFC Nº 718.
Brasília, 12 de julho de 1993.
Contador IVAN CARLOS GATTI
 Presidente
284
Conselho Federal de Contabilidade
Instrução Normativa CFC nº 3/93
EMENTA: Escritório de contabilidade. Empresa individual:
Possibilidade de se manter filial no mesmo município,
adotando, sempre o mesmo nome de fantasia.
ORIGEM: Decisão do Plenário do CFC em 12/7/1993.
Ata CFC nº 719
REFERÊNCIA: a) Consulta do CRC-Pará;
b) Informação do Departamento Jurídico nº 126/93;
c) Parecer do Conselheiro Daniel Salgueiro da Silva;
d) Deliberação CFC nº 086/93.
Brasília, 12 de julho de 1993.
Contador IVAN CARLOS GATTI
Presidente
285
Legislação da Profissão Contábil
Instrução Normativa CFC nº 5/95
EMENTA: O exercício da atividade contábil ou sua exploração com
registro baixado é infração ao art. 20 do Decreto-Lei nº
9.295/46.
ORIGEM: Decisões da Câmara de Registro e Fiscalização do CFC,
de 24/8/1995 e de 28/9/1995 e do Plenário do CFC, de
25/8/1995 e 29/9/1995.
RELATOR: Conselheiro MAURO MANOEL NÓBREGA.
Rio de Janeiro, 29 de setembro de 1995.
Contador JOSÉ MARIA MARTINS MENDES
 Presidente
286
Conselho Federal de Contabilidade
Instrução Normativa CFC nº 6/2005
Ementa: Escritório Individual \u2013 Cabe autuação ética e disciplinar
do titular por responder pela parte técnica de escritório
individual, sem registro cadastral ou com registro cadastral
baixado.
Origem: Decisão do Tribunal Superior de Ética e Disciplina \u2013
TSED, em 28/7/2005. Ata TSED nº 158.
Relator: Conselheiro Mauro Manoel Nóbrega.
Brasília, 28 de julho de 2005.
Contador José Martonio Alves Coelho
Presidente
287
Legislação da Profissão Contábil
Conselho Federal de Contabilidade
Biênio 2006/2007
PLENÁRIO
Contadora Maria Clara Cavalcante Bugarim Contadora Silvia Mara Leite Cavalcante
Presidente Vice-presidente de Administração
Contador José Martonio Alves Coelho Contador Enory Luiz Spinelli
Vice-presidente de Desenvolvimento Profissional Vice-presidente de Fiscalização
Contador Adeildo Osório de Oliveira Contador Luiz Carlos Vaini
Vice-presidente de Controle Interno Vice-presidente Técnico
Contador Juarez Domingues Carneiro Contador Antônio Augusto de Sá Colares
Vice-presidente de Desenvolvimento Operacional Vice-presidente de Registro
TC Bernardo Rodrigues de Souza
Representante dos Técnicos em Contabilidade
CÂMARA DE FISCALIZAÇÃO, ÉTICA E DISCIPLINA
Contador Enory Luiz Spinelli
Coordenador
Técnico em Contabilidade José Odilon Faustino
Coordenador-Adjunto da Câmara de Fiscalização, Ética e Disciplina
Conselheiros Efetivos Conselheiros Suplentes
CT José Wagner Rabelo Mesquita CT Cláudio Morais Machado
CT Marcelo do Nascimento França CT Eulália das Neves Ferreira
CT Jucileide Ferreira Leitão CT Reginaldo Luís Pereira Prates
TC Pedro Miranda CT Francisco Assis de Souza
TC José Augusto Costa Sobrinho TC Paulo Viana Nunes
TC Bernardo Rodrigues de Souza TC Aluízio Pires de Oliveira
TC Paulo