d004e1761bfd1d2f45ec9e75a4ddbfea
292 pág.

d004e1761bfd1d2f45ec9e75a4ddbfea


DisciplinaContabilidade e Mercado de Trabalho1.959 materiais7.670 seguidores
Pré-visualização44 páginas
de 1946.
Art. 2º O Conselho Federal de Contabilidade e os Conselhos Regionais
de Contabilidade já instalados promoverão, dentro de trinta dias da publicação
desta lei, a realização de eleições para a escolha dos suplentes
correspondentes aos membros efetivos escolhidos pela forma indicada na
alínea b do art. 4º do Decreto-Lei nº 9.295, de 27 de maio de 1946.
Parágrafo único. Por ocasião das eleições, a que se refere este
artigo, serão preenchidas as vagas existentes em cada Conselho, para
completar o período restante dos mandatos.
Art. 3º O mandato dos suplentes é de período igual ao dos membros
efetivos e se renovará da mesma forma.
Parágrafo único. (Revogado pelo Decreto-Lei nº 1.040, de 21 de
outubro de 1969).
Art. 4º (Revogado pela Lei nº 4.399, de 31 de agosto de 1964).
A Lei nº 4.399, de 31 de agosto de 1964, foi revogada pela Lei nº 4.695, de 22 de junho de 1965.
Art. 5º Além da anuidade e do custo da carteira profissional, poderão
ser cobrados emolumentos sobre averbações, certidões e outros atos, que
28
Conselho Federal de Contabilidade
forem fixados nos regimentos dos Conselhos Regionais aprovados pelo
Conselho Federal de Contabilidade.
Art. 6º A perda do mandato dos membros efetivos do Conselho Federal
de Contabilidade e dos Conselhos Regionais ocorrerá:
a) por falecimento ou renúncia;
b) pela superveniência de causa de que resulte a inabilitação para
o exercício da profissão;
c) pela ausência, sem motivo justificado, a três sessões
consecutivas ou seis interpolas em cada ano.
Parágrafo único. Ocorrida a perda do mandato, será convocado o
suplente mais votado ou, havendo caso de empate de votação, o que conte
registro mais antigo no respectivo Conselho Regional.
Art. 7º Os Conselhos Regionais poderão firmar acordos para a criação
de Delegacias Municipais e Distritais de inscrição e fiscalização, dentro
dos respectivos recursos financeiros.
Art. 8º (Revogado pelo art. 1º do Decreto-Lei nº 1.040, de 21 de outubro
de 1969).
Art. 9º (Revogado pelo art. 1º do Decreto-Lei nº 1.040, de 21 de outubro
de 1969).
Art. 10 Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.
Art. 11 Revogam-se as disposições em contrário.
Rio de Janeiro, 22 de dezembro de 1948.
Eurico Gaspar Dutra
Presidente
29
Legislação da Profissão Contábil
Lei nº 4.695/65
Dispõe sobre a composição do Conselho
Federal de Contabilidade e dá outras
providências.
Art. 1º (Revogado pelo Decreto-Lei nº 1.040, de 21 de outubro de
1969).
§ 1º (Revogado pelo Decreto-Lei nº 1.040, de 21 de outubro de 1969).
§ 2º (Revogado pelo Decreto-Lei nº 1.040, de 21 de outubro de 1969).
§ 3º (Revogado pelo Decreto-Lei nº 1.040, de 21 de outubro de 1969).
Art. 2º Ao Conselho Federal de Contabilidade compete fixar o valor
das anuidades, taxas, emolumentos e multas, devidas pelos profissionais e
pelas firmas aos Conselhos Regionais a que estejam jurisdicionados.
Art. 3º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Art. 4º Revogam-se as disposições em contrário.
Brasília, 22 de junho de 1965.
H. Castello Branco
Presidente da República
31
Legislação da Profissão Contábil
Decreto-Lei nº 968/69
Dispõe sobre o exercício da supervisão
ministerial relativamente às entidades
incumbidas da fiscalização do exercício de
profissões liberais.
Os Ministros da Marinha de Guerra, do Exército e da Aeronáutica
Militar, usando das atribuições que lhes confere o artigo 1º do Ato Institucional
nº 12, de 31 de agosto de 1969, combinado com o § 1º do artigo 2º do Ato
Institucional nº 5, de 13 de dezembro de 1968,
DECRETAM:
Art. 1º As entidades criadas por lei com atribuições de fiscalização
do exercício de profissões liberais, que sejam mantidas com recursos,
próprios e não recebam subvenções ou transferências à conta do orçamento
da união regular-se-ão pela respectiva legislação específica, não se lhes
aplicando as normas legais sobre pessoal e demais disposições de caráter
geral, relativas à administração interna das autarquias federais.
Parágrafo único. (Revogado pelo Decreto-Lei nº 2.299, de novembro
de 1986).
Art. 2º Este Decreto-Lei entrará em vigor na data de sua publicação,
revogadas as disposições em contrário.
Brasília, 13 de outubro de 1969.
Augusto Hamann Rademaker Grünewald
Aurélio de Lyra Tavares
Márcio de Souza e Mello
33
Legislação da Profissão Contábil
Decreto-Lei nº 1.040/69
Dispõe sobre os Conselhos Federal e
Regionais de Contabilidade, regula a eleição
de seus membros, e dá outras providências.
Os Ministros da Marinha de Guerra, do Exército e da Aeronáutica
Militar, usando das atribuições que lhes confere o artigo 3º do Ato Institucional
nº 16, de 14 de outubro de 1969, combinado com o § 1º do artigo 2º do Ato
Institucional nº 5, de 13 de dezembro de 1968, decretam:
Art. 1º O Conselho Federal de Contabilidade \u2013 CFC será constituído
por 1 (um) representante efetivo de cada Conselho Regional de Contabilidade
\u2013 CRC, e respectivo suplente, eleitos para mandatos de 4 (quatro) anos,
com renovação a cada biênio, alternadamente, por 1/3 (um terço) e 2/3 (dois
terços).
Art. 1º, caput, com redação dada pela Lei nº 11.160, de 2005.
Parágrafo único. A composição dos Conselhos Federal e Regionais
de Contabilidade obedecerá à seguinte proporção:
a) 2/3 (dois terços) de contadores;
b) 1/3 (um terço) de técnicos de contabilidade.
Art. 2º Os membros do Conselho Federal de Contabilidade e
respectivos suplentes serão eleitos por um colégio eleitoral composto de
um representante de cada Conselho Regional de Contabilidade, por este
eleito em reunião especialmente convocada.
Art. 2º, caput, com redação dada pela Lei nº 5.730, de 8 de novembro de 1971.
34
Conselho Federal de Contabilidade
§ 1º O colégio eleitoral convocado para a composição do Conselho
Federal reunir-se-á, preliminarmente, para exame, discussão, aprovação e
registro das chapas concorrentes, realizando as eleições 24 (vinte e quatro)
horas após a sessão preliminar.
§ 1º com redação dada pela Lei nº 5.730, de 8 de novembro de 1971.
§ 2º O terço a ser renovado em 1971 terá mandato de quatro anos, a
iniciar-se em 1º de janeiro de 1972, em substituição ao terço, cujos mandatos
se encerram a 31 de dezembro de 1971.
§ 2º com redação dada pela Lei nº 5.730, de 8 de novembro de 1971.
§ 3º (Revogado pelo Decreto-Lei nº 2.299, de 21 de novembro de 1986).
Art. 3º Os Presidentes dos Conselhos Federal e Regionais terão
mandato de 2 (dois) anos e serão eleitos dentre seus respectivos membros
contadores, admitida uma única reeleição consecutiva, não podendo o período
presidencial ultrapassar o término do mandato como Conselheiro.
Art. 4º Os membros dos Conselhos Regionais de Contabilidade e os
respectivos suplentes serão eleitos pelo sistema de eleição direta, através
do voto pessoal, secreto e obrigatório, aplicando-se pena de multa em
importância correspondente a até o valor da anuidade, ao contabilista que
deixar de votar sem causa justificada.
Art. 4º com redação dada pela Lei nº 5.730, de 8 de novembro de 1971.
Art. 5º As eleições para o Conselho Federal e para os Conselhos
Regionais serão realizadas, no máximo, 60 (sessenta) dias e, no mínimo,
30 (trinta) dias antes do término dos mandatos.
Art. 6º O mandato dos membros e respectivos suplentes do Conselho
Federal e dos Conselhos Regionais de Contabilidade será de 4 (quatro)
anos, renovando-se a sua composição de 2 (dois) em 2 (dois) anos,
alternadamente, por 1/3 (um terço) e por 2/3 (dois terços).
Art. 6º com redação dada pela Lei nº 5.730, de 8 de novembro de 1971.
Art. 7º O exercício do mandato de membro do Conselho Federal e
dos Conselhos Regionais de Contabilidade, assim como a respectiva eleição,
mesmo na condição de suplente, ficarão subordinados, além das exigências
constantes do artigo 530 da Consolidação das Leis do Trabalho e legislação
complementar, ao preenchimento dos seguintes requisitos e condições
básicas:
35
Legislação da Profissão Contábil
a) cidadania brasileira;
b) habilitação profissional na forma da legislação em vigor;
c) pleno gozo dos direitos profissionais,