Hisória do Direito Brasileiro - Apostila (9)
8 pág.

Hisória do Direito Brasileiro - Apostila (9)


DisciplinaHistória do Direito Brasileiro12.205 materiais307.684 seguidores
Pré-visualização3 páginas
exclui outras formas, como a gestual (sinais do guarda de trânsito), visuais (sinais de trânsito), etc.
O aspecto essencial a ser ressaltado, no que tange à forma, é a sua natureza instrumental. Ela é um meio 
para que o ato seja conhecido pelos seus destinatários e atinja suas finalidades. Por essa razão se diz que na 
Administração, deve-se adotar uma postura de formalismo moderado, que alguns autores também 
mencionam como princípio do informalismo que não significa falta de formalidades, mas adequação das 
formalidades à natureza e à finalidade do ato. 
O vício na forma poderá levar à invalidade do ato. Porém, em casos menos graves, é permitida a 
convalidação dos vícios formais vide o tópico "convalidação dos atos administrativos.
4) Motivo
Ao falarmos do motivo, devemos diferenciar dois tipos de motivo:
- o motivo de fato que é o acontecimento que desencadeia a ação administrativa
- o motivo de direito que é o comando normativo previsto para a edição daquele ato.
Diferente do motivo é a motivação, que é a explicitação dos motivos do ato. A motivação faz parte da forma 
do ato. Quando a lei obriga o agente público a motivar seus atos, a falta dessa motivação levará, 
logicamente à invalidade desse ato.
A importância da motivação se revela também pela adoção unânime pela doutrina e pela jurisprudência da 
denominada teoria dos motivos determinantes, pela qual o agente público, ao expor os motivos adotados 
para a prática do ato, vincula o ato àqueles motivos. 
5. Finalidade
É o norte de todo ato administrativo: a finalidade pública. "Não há ato administrativo sem um fim público a 
sustentá-lo", é o que diz DIÓGENES GASPARINI. 
É dever, portanto, do agente público, buscar em seus atos, a satisfação dessas finalidades, em geral 
apontadas pela própria lei e pelos princípios do Direito Administrativo.
O não atendimento a esse requisito gera o vício conhecido como desvio de finalidade ou desvio de poder, 
que se caracteriza quando o agente busca um fim que colide com o interesse público.
"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A 
violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).\u201d
www.r2direito.com.br