MARCAS DE FABRICA E DE COMMERCIO
458 pág.

MARCAS DE FABRICA E DE COMMERCIO


DisciplinaIntrodução ao Direito I93.024 materiais693.602 seguidores
Pré-visualização50 páginas
o interessado, no jornal que inserir o expe-
diente officiai do Governo Federal ou Estadual, a 
certidâo do mesmo registro e a explicação dos ca-
racteristicos da marca, transcriptas integralmente, uma e 
outra, da descripçâo do que constitua a a marca, com 
todas as suas explicações e caracte-risticos (358) e, 
dentro de 60 dias, contados da mes-ma data, depositara, 
na Junta Commercial do Rio de Janeiro, um dos 
modelos, na fórma do art. 4° da lei 1236 cit., e um 
exemplar da folha officiai em que houver sido feita a 
publicação determinada na pri-meira parte deste artigo. 
Na publicaçâo poderá a parte, querendo, incluir o 
desenho ou representação da marca (359). 
' 6\u2014uma vez feito o registo da marca em qual-quer 
Estado, de accordo com o que ficou exposto, e o 
subsequente deposito, deverâ a certidâo deste ser pu-
blicada no Diario Officiai da Uniâo. 
(357) Lei 1.236 cit. art. 6. 
(358) Lei 1.236 cit, art. 5 n.i. 
(359) Lei 1.236 cit. arts. 2, 4, 5 e 7. 
238 
Si fôrem excedidos os prazos referidos, não po-derâ 
ser feito o deposito da marca, salvo em todo o caso, ao 
respectivo dono o direito de renovar o mesmo registro. 
Incorre igualmente em privação de deposito a marca 
que tiver sido registrada sem os requesitos a que nos 
referimos no n. 4 (360). 
7\u2014Os documentos alludidos serâo encader-nados no 
fim de todos os annos, juntando-se ao volume um indice 
que mencionará por ordem alpha-betica a natureza dos 
productos a que as marcas se destinarem, e em seguida o 
nome do proprietario, o numero de ordem do archive e o 
logar do registro. 
Os documentos relativos aos registros feitos em 
paizes estrangeiros serâo encardenados em outros 
volumes, juntando-se-lhe o competente indice. 
Os indices correspondentes ao-anno findo serâo 
publicados no Diario Official no mez de julho se-guinte. 
A Junta Commercial do Rio de Janeiro, verifi-cando 
estar correcta a publicação, que fard emendar sendo 
preciso, communical-o-ha ao Governo para os fins 
determinados nas convençôes internacionaes 
(361). 
(360) Dic. 5.424 cit. arts. 23,24 t 25. 
(361) A publicaçâo do indice não é exigida como condição para o 
uso exclusive das marcas, mas como complemento das cautelas exigi- 
das pela leî. 
Déniais a divulgaçâo do indice só foi determinada no regulamento e 
deve ser considerada como medida meramente administrativa, visto como 
239 
As Juntas e Inspectorias Commerciaes faculta-rão, a 
quem solicital-o, o exame, dentro da Reparti-çâo e sob a 
necessaria vigilancia, clos documentos archivados ou 
depositados sobre marcas de industria e de commercio 
(362). 
8\u2014No registro observar-se-ha o seguinte : 1°\u2014a 
precedencia no dia e hora da apresenta-ção da marca 
estabelece preferencia para o registro em favor do 
respectivo requerente ; na simultanei-dade desse acto, 
relativamente a duas ou mais marcas identicas ou 
semelhantes, sera admittida a daquelle que, dentro de oito 
dias, provar, a juizo da Junta ou Inspectoria Commercial, 
tel-a usado ou possuido por mais tempo , na falta deste 
requesito ou da respecti -va prova, nenhuma sera 
registrada sem que os inte-ressados a modifiquem de 
modo a evitar erro ou con-fusâo (363). 
2°\u2014movendo-se duvida sobre o uso ou posse, da 
marca, determinara a Junta ou Inspectoria que os 
interessados liquidem a questâo perante o juizo com- 
a ella não é obrigado o intéressa do que registrou a marca. (O Direitos \vol. 
67 pag. 116). 
Esta doutrina, consagrada em voto vencido de illustre magistrado, deve 
ser entendida restrictivamente quanto aos indices. 
A publicidade das marcas, quer as originariamente regiitradas no Brasil, 
quer as depositadas, quer as archivadâs na Junta como registradas em 
Berna, é indispensavel para asaegurar o uso esclusivo e permittir a sancçâo 
pénal. O contrario, séria absurdo. 
(362) Rtg. S-424 cit. arts. 26 a 29. 
(363) Lei 1.236 cit. ait. 9 n. 1 combinando coin e art. 8 n. 6. 
240 
mercia, procedendo afinal ao registro na confôrmi-
dade do julgado (364). 
3°\u2014si marcas identicas ou semelhantes, îsto é, 
que sejam a reproducçâo ou a imitação, total ou par-
jcial, umas da outras, (365) fôrem registradas em jun-
tas ou Inspectorias diversas, prevalecerâ a de data 
anterior.e, no caso de simultaneidade de registro, 
qualquer dos interessados poderá recorrer aojuizo 
competente, que decidirá qual deve ser mantido, tendo 
em vista o que se acha disposto no n. 1 (366). 
O\u2014O registro realisado corn omissão dos re-
quisitos estabelecidos é irregular e inefficaz. 
D'ahi não resulta,entretanto, nullidade de pleno 
direito, e uma vez effectuado, as arguições consis-
tentes em semelhante inobservancia devem ser apre-
ciadas e resolvidas pelo Poder judiciario, unico com-
petente para affirmar a procedencia ou improceden-
cia de taes allegaçôes apresentadas por meio de acção 
competente (867). 
Todavia, mesmo irregular, o registro póde servir 
como meio de prova da adopçâo da marca, pelas 
declarações que devem figurar nos exemplares depo-
sitados (368). 
 
241 
10\u2014O registro não teM effeito retroactivo para o 
fim de autorizar o procedimento criminal contra actos 
anteriormente praticados â sua publi-cidade. 
Contraria sera a soluçâo em se tratando de acçôes 
civis contra outra marca não registrada(369). 
Igualmente o registro e deposito feitos depois de intentada 
a acçâo criminal seria inefficaz para legitimat esse 
procedimento (370). Assim, pondera POUILLET :\u2014
«Rien n'est plus juste, au surplus, puisque le dépôt a 
essentiellement pour object de notifier officiellement au 
public la prise de possession de la marque, et, par suite, 
de constituer les tiers en état de mauvaise foi. Sans doute 
cette irrecevabilité n'aura pas, dans la plupart des cas, de 
graves consequences. Le plaignant en sera quitte pour 
recommencer sa poursuite après son dépôt operé, si 
mieux il n'aime user de l'action en concurrence déloyale, 
qui lui demeure toujours ouverte (371), 
11\u2014Os.effeitos do registro ou suspendem se pela 
interposição de aggravo ou pela propositura de acçâo de 
preferencia, quando marcas identicas ou 
 (369) RUBEN DE COUDER\u2014Op. cit. in loc. 10 ; RENDU\u2014Op. cit. n. 69 ; 
POUILLET\u2014Op. cit. us. 108 e 109 ; BLANC\u2014De la contrefaçon \en tons 
genres pags. 768 e 769 ; CALMELS\u2014Marques dejabrique et de com-merce.n.53 
 (370) RENDU\u2014Op. cit. . 75. 
(371) Op. cit. u. 110. 
 
242 
semelhaantes fôrem simultaneamente registradas em 
Junta sou Inspectorias diversas (372) ou annullam-se, 
por meio de acçâo summaria, quando feito contra o 
que determina o preceito legal, e ficou exposto no 
capitulo antecedente (373). 
N'esta ultima hypothese, ainda a acçâo summaria 
sera a competente quando mesmo se trate de registro 
mantido pelo Tribunal judiciario, em grâo de recurso 
da decisâo da Junta Commercial (374). 
(572) Dec. $.424 eh, art. 30n. 2 esrt. 31 
A suspensâo do registro de uma marca de fabrica, determinada pela 
Junta Commercial, não auctorisa, ipso facto, a apprehensão de objectos coin 
aquella marca encontrados no commercio (Ace. do Snpremo Tribunal 
Federal, de 27 de Novembre de 1901 ; O DIREITO\u2014vol. 87 pag. 366.) 
(373) DEC. 5-424 cit. art. 33. 
(374) ODireito\u2014vol. 67 pags. 82 e stguintes. 
CAPITULO IX 
Dos recursos contra a admissão ou denegação do registro 
de marca 
1\u2014A conveniencia de cstabelecer medidas que 
assegurassem a propriedade da marca industrial as 
devidas garantias, exigia desde logo, como comple-
mento indispensavel, as maiores cautelas fia con-cessâo 
ou denegação do registro. 
Limitar as funcçôes das autoridades adminis-
trativas á verificação dos requisitos externos que devem 
satisfazer as marcas, cujo registro fôr soli-citado, sem 
quaesquer outras indagações, seria trans-fórmal-as em 
meros automatos, impossibilitados do exercicio da 
fiscalisaçâo reclamada, alias, pela propria lei ( Vide a 
not. 368). 
Desde que se prohibiu a adopção de marcas 
consideradas contrarias as conveniencias legaes, era 
natural, e mesmo necessario, que o legislador con-ferisse