[Prof. Carlão] Moagem

[Prof. Carlão] Moagem


DisciplinaProcessamento de Minerais I213 materiais2.114 seguidores
Pré-visualização4 páginas
girar mais rapidamente; a superfície do rolo pode ser lisa ou ter várias ranhuras ou enrugações.
*
*
*
MOINHOS DE ROLOS
QUALIDADE NA OPERAÇÃO 
 - O material deve ser introduzido entre os rolos de maneira Uniforme e constante. 
 - A classificação do tamanho do material é dependente da abertura entre os rolos ao longo de seu comprimento. 
 - Se esta abertura não for uniforme, o desempenho da moagem sofrerá, conduzindo a um aumento nos custos de manutenção, rendimento reduzido, e custos totais de operação aumentados. 
 - A abertura pode ser ajustada manualmente ou automaticamente com o uso de cilindros pneumáticos ou hidráulicos .
*
*
*
MOINHOS DE ROLOS
QUALIDADE NA OPERAÇÃO
 - Cada par dos rolos é giratório contrário. Para melhorar a redução do tamanho um dos rolos gira mais rapidamente. 
 - As faces do rolo podem ter ranhuras para vantagem no diferencial de velocidade e melhorar a redução de tamanho. 
 - Colocando pares dos rolos empilhados, dois ou três superiores, é possível reduzir o tamanho da partícula para abaixo de 500 mícrons.
 - Para a redução grosseira do grão, um moinho de rolo pode ter uma vantagem significativa sobre um moinho de martelos em termos de rendimento/kwh da energia.
*
*
*
MOINHOS DE ROLOS
MOINHOS DE ROLOS VERTICAIS PARA MOAGEM FINAL
 - Desde os anos 80, as plantas de cimento estão visando cada vez mais à tecnologia vertical do moinho de rolo para suas necessidades de moagem final. 
 - Os moinhos de rolo verticais apresentam um método de moagem compacto e eficiente. 
 - Permite que seque, moa, e classifique, todos dentro de uma parte do equipamento e todos em um espaço relativamente compacto. 
(Fonte: Portland Cement Association)
*
*
*
MOINHOS DE ROLOS
MOINHOS DE ROLOS COM PLANOS DE MOAGEM
 - Operam de forma conjugada com um classificador integrado à própria carcaça do moinho. Pode-se usar, além do ar, gases para a classificação. 
 - Em alguns casos, como operação conjunta com termelétrica,usa-se gás aquecido, proveniente da própria termelétrica,permitindo a moagem de carvão ou linhito com umidade entre 8 e 15%. Nesses moinhos, as forças de moagem são aplicadas ao material através de um sistema de rolos que giram em contato com uma superfície plana chamada de plano de moagem.
*
*
*
MOINHOS DE ROLOS
MOINHOS DE ROLOS VERTICAIS PARA MOAGEM FINAL
 - Economias de custo
 O ponto de maior consumo de energia na produção do cimento portland de moagem final. 
 - Qualidade 
 Os moinhos de rolo vertical criam uma distribuição de tamanho da partícula com um corte rígido em comparação com a tradicional moagem de cimento no moinho de bolas. Este corte mais rígido significa um potencial de menor variabilidade na consistência do produto e, portanto, resultados mais previsíveis no desempenho do produto 
*
*
*
MOINHOS DE ROLOS
MOINHOS DE ROLOS VERTICAIS PARA MOAGEM FINAL
 - Processo simplificado
 Mudando vários parâmetros de operação de moinhos de rolo verticais, os ajustes significativos na distribuição de tamanho da partícula, o tempo da retenção, e pureza do cimento final podem ser conseguidos. 
 Os moinhos de rolo verticais claramente são uma opção cada vez mais atrativa para melhorar a produção, abaixar custos de energia, e manter a qualidade de produto. 
*
*
*
MOINHOS DE ROLOS
MOINHOS DE ROLO DE ALTA PRESSÃO
 - Os moinhos consistem de uma armação que suporta dois rolos, um fixo e um solto. As forças de moagem, na ordem de 50 a 130 kN/cm, são transmitidas ao rolo solto com auxílio de cilindros hidráulicos. 
 - A alimentação dos moinhos é feita em excesso para que se forme uma camada de material na fenda entre os dois rolos. Na passagem pela fenda, essa camada é comprimida, resultando na geração de fraturas e quebra de partículas. 
*
*
*
MOINHOS DE ROLOS
MOINHOS DE ROLO DE ALTA PRESSÃO
 - Na escala industrial, com cimento e calcário, os moinhos de alta pressão, proporcionam baixo consumo específico da energia de moagem, sendo esse de 15 a 40 % menor que em circuitos convencionais. 
 - Nos circuitos, os moinhos de rolos de alta pressão são utilizados no estágio primário ou operados em combinação com um moinho de martelos 
*
*
*
MOINHOS DE ROLOS
MOINHOS DE ROLO DE ALTA PRESSÃO
 - Na indústria de mineração, o mecanismo de fragmentação nesses moinhos pode ter um efeito positivo para as etapas seguintes de beneficiamento, tais como lixiviação de minério de ouro.
 - Fatores que contribuíram para sucesso do moinho : faixa granulométrica do produto, consumo energético e a criação de micro-fissuras que proporcionam a diminuição da resistência do produto e/ou maior acessibilidade à lixiviação de minérios portadores de metais preciosos.
*
*
*
Moinhos de martelos
Os moinhos de martelos são indicados para materiais de baixa abrasividade, típicos das indústrias moageiras de calcário, cerâmica, cal, carvão mineral e também tem sido utilizado para moer milho, apresentando uma conveniente flexibilidade, quanto ao grau de moagem.
São usualmente aplicados para materiais tais como calcário com índice de abrasividade em torno de 0,04-0,05 (Metso Minerals, 2005).
 
*
*
*
MOINHOS DE MARTELOS SÉRIE S
Figura 2: Moinho de Martelos série S (Fonte: Metso Minerals, 2005). 
*
*
*
Princípio de funcionamento
A alimentação do produto ocorre através do funil montado sobre o moinho acima do rotor. 
Os martelos pendulares oscilantes de chapa plana montados no rotor posicionam-se radialmente devido a força centrífuga atingindo o material que ingressa e circula na câmara de moagem.
Desta forma, as partículas sofrem o impacto dos martelos e são projetadas contra a superfície interna da câmara fragmentando-se. 
*
*
*
Velocidade / Abertura da Grelha
Velocidades periféricas altas proporcionam granulometrias mais finas dos produtos, mas elevam os níveis de desgaste, reduzindo a durabilidade dos martelos e grelhas. 
Quanto menor a abertura, melhor a moagem obtida, mas a um custo superior devido ao desgaste(Metso Minerals, 2005).
Tabela 1: Velocidades recomendadas em função do material processado
*
*
*
Alguns modelos produzidos pela Metso Minerals(antiga FAÇO)
MOINHOS DE MARTELOS 12080P (PULVERIZADOR)
Figura 1: Moinho de Martelos 12080P - Pulverizador (Fonte Metso Minerals, 2005). 
*
*
*
Desenvolvido especificamente para a produção de calcário agrícola
Trabalha em circuito aberto
Dispensa peneiramento graças à combinação de elevada velocidade periférica dos martelos e grande área de grelhas com pequenas aberturas. 
Devido ao sistema de circulação interna do ar, as emissões de pó são minimizadas. 
Proporciona alta produção com baixa relação potência consumida/tonelagem produzida. 
*
*
*
Desenvolvido para moagens finas de calcário e outros materiais de média dureza e baixa abrasividade.
Possui grande versatilidade em diversas aplicações, pois permite vários ajustes para obtenção de granulometria e produções desejadas como:
-velocidade periférica
-potência
-abertura de grelhas 
-regulagem de distância da placa de impacto em relação aos martelos.
*
*
*
MOINHOS DE MARTELOS SÉRIE HD (HEAVY DUTY) 
Figura 3: Moinho de Martelos série HD \u2013 Heavy Duty (Fonte: Metso Minerals, 2005). 
*
*
*
Desenvolvido para moagens intermediárias de materiais de alta dureza, baixa ou média abrasividade, em aplicações como: 
-moagem de dolomitas
-reaproveitamento de materiais cerâmicos e refratários
-granitos e basaltos, onde se requer alta resistência mecânica e resistência ao desgaste e ao impacto.
*
*
*
 Moagem com jatos (Jet mill)
A moagem com jatos é um tipo de cominuição por choque em que, a energia de ruptura é oriunda da energia cinética das partículas.
Durante os choques, a energia cinética é,parcialmente, transformada em energia de deformação resultando na quebra das partículas, quando a resistência das mesmas é ultrapassada [4].
Em 1936 foi introduzido comercialmente o primeiro moinho de jatos de nome Micronizer vindo a ser o predecessor do atual Mícron-Master. 
*
*
*
No moinho de jato contrário, as partículas