144_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006
1 pág.

144_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006


DisciplinaClimatologia2.220 materiais40.291 seguidores
Pré-visualização1 página
130
METEOROLOGIA E CLIMATOLOGIA
Mário Adelmo Varejão-Silva
Versão digital 2 \u2013 Recife, 2006
15
70
15
40
850 mb
850 mb
154
0
15
4015
70
15
10
14
80
157
0
16
00
16
00
15
70
15
40
15
10
14
80
A
A
B
B
A
A
Fig. III.19 - Superfície isobárica de 850 hPa mostrando o eixo de duas cristas e de um vale
ou cavado (acima). Abaixo vê-se o aspecto da carta correspondente. As linhas
são isoípsas (mgp).
8. Exercícios.
1 - Sabe-se que, sob as condições normais de temperatura e pressão (0oC, 1013,25 hPa), a
molécula-grama de um gás ideal ocupa 22,414 litros. Admitindo que, tanto o ar seco como o
vapor d'água se comportam como gases ideais, mostrar que uma mistura constituída de 97%
de ar seco e 3% de vapor d'água (ar úmido) apresenta densidade menor que a do ar seco
(puro), nas mesmas condições de temperatura e pressão.
2 - Usando os mesmos dados do exercício anterior, calcular a massa molecular aparente da
mistura.
3 - Em um mapa, cujo fator de escala é 1:107, foram traçadas isóbaras a intervalos de 5 hPa.
Sabendo-se que a distância entre duas isóbaras consecutivas é de 3 cm, pede-se obter o gra-
diente horizontal de pressão.
4 - Em uma carta de superfície encontram-se duas isóbaras, orientadas no sentido leste-oeste.
A isóbara norte é de 1004 hPa e a outra de 1008 hPa. Sabendo-se que a distância normal en-
tre essas isóbaras é de 130 km e que a densidade do ar é de 1,2x10-3g cm-3, calcular:
 - a magnitude da componente horizontal da força do gradiente de pressão; e
 - a direção e o sentido dessa componente.