TCC - Redes sem fio - TSU
103 pág.

TCC - Redes sem fio - TSU


DisciplinaRedes sem Fio754 materiais25.924 seguidores
Pré-visualização14 páginas
a rede sofre uma interrupção na comunicação). Existe também a inconveniência de sempre necessitar do alinhamento dos dispositivos, o que cria uma certa dificuldade para locomoção, além de ter a mesma velocidade de uma porta serial.
Bluetooth
Em 1998, um consórcio entre a Ericsson, IBM, Nokia, Toshiba e Intel fez com que surgisse essa nova tecnologia de transmissão de dados sem fio com o objetivo de expandir e promover o conceito bluetooth e estabelecer um novo padrão industrial. 
FIGURA 8 - APARELHOS COM TECNOLOGIA BLUETOOTH(1)
 (1) Figura disponível em http://www.macwireless.com/html/images/BT/bluetooth-diagram.jpg. Data de acesso 21/10/2005.
Essa tecnologia permite a comunicação por rádio entre quaisquer aparelhos (como o mostrado na figura 8) que disponham do chip bluetooth (em seu tamanho natural mostrado na ver figura 9), possibilitando a criação de uma rede pessoal onde seu relógio, sua cafeteira, sua geladeira e seu computador interagem entre si, trocando bits, conectando assim uma ampla variedade de dispositivos tanto de computação, de telecomunicação e eletro-doméstico de forma simples como o mostrado na figura 10.
FIGURA 9 - CHIP BLUETOOTH DO TAMANHO DE UM PALITO DE FÓSFORO
Essa tecnologia atua em um raio de 10m, podendo chegar a 100m, com uma velocidade maior que o infravermelho, utilizando uma rádio frequência de 2,4 GHz. Em condições ideais tem a velocidade máxima de transmissão de 1 Mbps. 
Com bluetooth, o sinal se propaga em todas as direções, não necessitando de alinhamento e tornando a locomoção mais fácil. Os padrões de velocidade são: 
Assíncrono, a uma taxa máxima de 723,2 kbit/s (unidirecional). 
Bidirecional síncrono, com taxa de 64 kbit/s, que suporta tráfego de voz entre os dois dispositivos. 
FIGURA 10 - TECNOLOGIA BLUETOOTH EM FUNCIONAMENTO(1)
Pode-se comparar com uma USB Wireless. Essa tecnologia tem sido aplicada mais comumente devido a mobilidade, e estão sendo instaladas em automóveis, aumentando a produtividade e conectividade do indivíduo. Ambas as tecnologias (Infravermelho e Bluetooth) se aplicam às WPANs (Wireless Personal Area Network), realizando a interoperabilidade entre dispositivos próximos o que facilita as transmissões em tempo real de voz e dados.
(1) http://www.leica-geosystems.com/news/2004/images/bluetooth.jpg. Data de acesso 13/10/2005.
Essa interoperabilidade de comunicação entre dispositivos forman as redes de transmissão chamado de piconet. Podendo existir até oito dispositivos conectados entre si sendo que um deles é considerado o mestre, ou seja, o principal, considerando assim os demais como escravos. Apesar da limitação de dispositivos, o ponto de comunicação pode expandir sobrepondo vários piconets, resultando em um método chamado scatternet como mostrado na figura 11.
Ao estabelecer a rede, esses dispositivos determinam um padrão possível de transmissão usando canais para efetuar a transmissão de pacotes de dados como na internet. Cada pacote de dados será transmitido um em cada canal diferente em uma ordem que apenas os dispositivos de rede reconhecem, permintido que não haja interferência com outros dispositivos próximo.
FIGURA 11 - PICONET E SCATTERNET - TIPOS DE REDES FORMADAS ENTRE DISPOSITIVOS BLUETOOTH(1)
(1) Disponível em http://www.ic.unicamp.br/~ra007293/bluetooth/bluetooth.html. Data de acesso 19/10/2005
Vantagens e Desvantagens
A grande vantagem é de não ser necessário usar conexões por cabo, pois se comunica através uma espécie de antena, como mostra a figura 12. 
FIGURA 12 - NOTEBOOK CONECTADO EM REDE POR UM TRANSMISSOR BLUETOOTH(1)
É uma tecnologia de solução viável e de baixo custo para redes de curto alcance. Suporta comunicação tanto por dados como por voz. Pode ser facilmente integrada aos protocolos de comunicação, como o TCP/IP, por exemplo. Tem por vantagens também um sistema de criptografia o que torna as transmissões mais seguras permitindo também a inclusão de novas camadas via software de criptografia, autenticação, etc.. 
(1) http://www.infowester.com/bluetooth.php. Data de acesso 27/03/2005.
A instalação dos dispositivos Bluetooth não necessitam de profissionais podendo ser instalados até por pessoas leigas. No anexo A, é apresentado como montar uma rede Bluetooth, desde o equipamento necessário, até os passos necessário para conclusão da rede.
Como desvantagem, a quantidade de dispositivos que podem se conectar ao mesmo tempo é limitado, ainda mais comparado com uma rede cabeada o que por sua vez tem alcance bem maior que Bluetooth, colocando-o assim em desvantagem. Essa tecnologia também não permite outras aplicações sobre o mesmo dispositivo Bluettoth.
Curiosidade em Bluetooth
\u201cO nome Bluetooth é originado do conquistador Viking chamado Harald Bluetooth que unificou a Dinamarca e a Noruega no século X\u201d (SUDRE, 2003).
Redes sem Fio (Wireless)
Hoje as redes sem fio vêm sendo muito estudadas e utilizadas. Muitos produtos vêm sendo lançados no mercado, mostrando sua facilidade tanto para leigo como para o profissional, devido sua mobilidade e facilidade nas instalações, suas configurações. O que diferencia das redes cabeadas é o fácil acesso a banco de dados e também à internet, onde exista um ponto de cobertura de uma rede sem fio fornecendo esse acesso. Sobre o acesso, \u201csão cerca de 30 novos endereços todos os meses\u201d, conforme Roberto Ugolini presidente da Vex. Ele completa \u201cEssas unidades atendem a 15 mil usuários, três vezes mais que o ano passado\u201d (SANTOS, 2005, 24), onde o mesmo acredita haver pouco mais de 1.100 hotspots.
No anexo B, é apresentado um roteiro de como montar uma rede sem fio em uma empresa, usando o padrão 802.11g, mostrando o porquê da facilidade e do tempo de instalação desse tipo de rede.
Mesmo com essas facilidades e flexibilidades existem preocupações no que diz respeito à segurança. Como toda novidade tecnológica traz curiosidade, o interessado acaba adquirindo o produto mais por impulso do que em usufruir das reais vantagens com segurança. No capítulo 3 será detalhado mais sobre segurança.
Padrões
O wireless (redes sem fio) é um nome comercial para o padrão chamado de 802.11, mostrado no capítulo 2.
Com o surgimento dos padrões que permitiu a grande evolução dessa tecnologia e que reúne uma série de especificações que basicamente definem como deve ser a comunicação ente dois dispositivos. 
O principal componente para comunicação é um equipamento chamado ponto de acesso (AP - Access Point), mais detalhes no capítulo 2.5.3.2. Alguns equipamentos incluem também as funções de roteador (Router), o que permite compartilhar o acesso à internet. Além do ponto de acesso, cada máquina ou estação irá precisar de uma placa wireless, que pode ser interna ou externa. No caso dos notebooks e dos handhelds, existem modelos que já têm a tecnologia embutida no próprio processador dispensando o uso do adaptador adicional.
O padrão 802.11 em termos de velocidade de transmissão exerce no máximo 2Mbps, trabalhando com a banda de 2,4GHz.
Dentro de cada padrão temos diversos sub-padrões que definem as características particulares de cada um. Essas características são definidas por velocidade, alcance, freqüência e até mesmo protocolos de segurança. No capítulo a seguir, será apresentado com mais detalhes os sub-padrões da família 802.11.
Padrão 802.11a
Com a intenção de sanar os problemas antes encontrados nos padrões 802.11 e 802.11b foi criado o padrão 802.11a, com uma velocidade maior chegando ao máximo de 54 Mbps (de 72 a 108 Mbps por fabricantes não padronizados), podendo também operar em velocidade mais baixas. Trabalha em uma faixa de 5GHz, faixa essa que tem por vantagens poucos concorrentes, porém com menor área de alcance. Para esse padrão são permitidos 64 clientes conectados por PA. 
O tipo de modulação padrão consiste de 12 canais não sobrepostos disponíveis, diferente dos 3 canais livres disponíveis nos padrões 802.11b e 802.11g, o que permite cobrir uma área maior e mais densamente povoada, em melhores condições que outros padrões.