Fritjjof Capra_Ponto de Mutação_Modelo Biomédico
26 pág.

Fritjjof Capra_Ponto de Mutação_Modelo Biomédico


DisciplinaFarmacia e Sociedade109 materiais383 seguidores
Pré-visualização14 páginas
ao sistema comum de crenças culturais. Para suplantá-lo será necessário nada
menos que uma profunda revolução cultural. E tal revolução é imprescindível se
quisermos melhorar, ou mesmo manter, nossa saúde. As deficiências de nosso sistema
atual de assistência à saúde \u2014 em termos de custos, eficácia e satisfação das
necessidades humanas \u2014 estão ficando cada vez mais notórias e são cada vez mais
reconhecidas como decorrentes da natureza restritiva do modelo conceituai em que se
baseia. A abordagem biomédica da saúde ainda será extremamente útil, tal como a
estrutura cartesiana-newtoniana continua sendo útil em muitas áreas da ciência clássica,
desde que suas limitações sejam reconhecidas. Os pesquisadores médicos precisam
entender que a análise reducionista do corpo-máquina não pode fornecer-lhes uma
compreensão completa e profunda dos problemas humanos. A pesquisa biomédica terá
que ser integrada num sistema mais amplo de assistência à saúde, em que as
manifestações de todas as enfermidades humanas sejam vistas como resultantes da
interação de corpo, mente e meio ambiente, e sejam estudadas e tratadas nessa
perspectiva abrangente.
 
A adoção de um conceito holístico e ecológico de saúde, na teoria e na prática,
exigirá não só uma mudança radical conceituai na ciência médica, mas também uma
reeducação maciça do público. Muitas pessoas aderem obstinadamente ao modelo
biomédico porque receiam ter seu estilo de vida examinado e ver-se confrontadas com
seu comportamento doentio. Em vez de enfrentarem tal situação embaraçosa e
freqüentemente penosa, insistem em delegar toda a responsabilidade por sua saúde ao
médico e aos medicamentos. Além disso, como sociedade, somos propensos a usar o
diagnóstico médico como cobertura para problemas sociais. Preferimos falar sobre a
"hiperatividade" ou a "incapacidade de aprendizagem" de nossos filhos, em lugar de
examinarmos a inadequação de nossas escolas; preferimos dizer que sofremos de
"hipertensão" a mudar nosso mundo supercompetitivo dos negócios; aceitamos as taxas
sempre crescentes de câncer em vez de investigarmos como a indústria química
envenena nossos alimentos para aumentar seus lucros. Esses problemas de saúde
extrapolam os limites das preocupações da profissão médica, mas são colocados em foco,
inevitavelmente, assim que procuramos seriamente ir além da assistência médica atual.
Ora, só será possível transcender o modelo biomédico se estivermos dispostos a mudar
também outras coisas; isso estará ligado, em última instância, a uma completa
transformação social e cultural.
Cópia livre do capítulo para fins didáticos. Não autorizada.